Semana On

Segunda-Feira 20.set.2021

Ano X - Nº 461

Mato Grosso do Sul

Reinaldo Azambuja e governadores pedem a viabilização de insumos para produção de vacinas contra a Covid-19

Governo do Estado e MPMS alinham estratégias de fiscalização no combate a Covid-19

Postado em 22 de Janeiro de 2021 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O governador de Mato Grosso do Sul é um dos 16 governadores que assinaram ofício encaminhado ao presidente Jair Bolsonaro, pedindo que a diplomacia seja acionada para “dialogar com a China e índia, países produtores de vacina contra a Covid-19, para garantir a entrega do IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) usado na produção de vacinas no Brasil”.

O IFA é necessário para que instituições como o Butantan e a Fiocruz possam produzir os imunizantes e assim garantir a continuidade do Programa Nacional de Imunizações (PNI) no combate a Covid-19. Em Mato Grosso do Sul, a vacinação nos municípios do interior teve início na terça-feira (20), graças a eficiência da logística implantada pelas secretarias estaduais de Saúde (SES) e Justiça e Segurança Pública (Sejusp), que garantiu a entrega das doses da vacina em tempo recorde – 24 horas.

“Estamos muito empenhados, os governadores do Brasil, para que ocorra a liberação de outro lote de vacinas que está no Butantan. Queremos ampliar o leque de distribuição. Enquanto isso, é importante permanecermos vigilantes, usando máscaras e tendo os cuidados de higiene”, afirmou o governador Reinaldo Azambuja.

O governador enfatizou que enquanto o Governo Federal não encaminha os lotes das vacinas para as próximas etapas da vacinação contra a Covid-19, a população precisa continuar atenta e cumprindo com as medidas de segurança. “Vamos continuar nos cuidando para que possamos todos juntos vencer essa etapa difícil”, ressaltou ele ao dizer que “a página do livro da pandemia só será virada quando a cobertura vacinal atingir toda a população”.

A elaboração do documento em nome do Fórum Nacional de Governadores foi  coordenada pelo governador do Piauí, Wellington Dias.Também assinaram o ofício os governadores Renan Filho (Alagoas), Waldez Góes (Amapá), Camilo Santana (Ceará), Renato Casagrande (Espírito Santo); Flávio Dino (Maranhão), Mauro Mendes (Mato Grosso), Romeu Zema (Minas Gerais), Hélder Barbalho (Pará); João Azevedo (Paraíba), Paulo Câmara (Pernambuco), Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte), Eduardo Leite (Rio Grande do Sul), João Dória (São Paulo) e Belivaldo Chagas (Sergipe).

Governo e MPMS alinham estratégias de fiscalização no combate a Covid-19

Procurador-Geral de Justiça, coordenadores dos grupos/núcleo da saúde e educação do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), Governador do Estado e Secretários Estaduais da Saúde, Educação e Segurança Pública alinharam estratégias de combate à pandemia de Covid-19 para este ano. A manutenção do toque de recolher, a fiscalização da aplicação de vacinas nos municípios e planos de retorno às aulas na Rede Estadual de Ensino foram pauta do encontro.

Governo do Estado e MPMS vão fiscalizar a aplicação das vacinas contra a Covid-19 na população para que não haja desvios de doses do imunizante e para que o Plano Nacional de Imunizações (PNI), estabelecido pelo Ministério da Saúde, seja cumprido integralmente. Conforme determinado no PNI, a fase 1 da campanha de imunização tem como público-alvo profissionais de saúde que atuam na linha de frente da pandemia, trabalhadores de salas de vacinas, indígenas que moram em aldeias rurais e idosos que vivem em instituições de longa permanência, conhecidas como asilos.

Para conter a propagação do vírus causador da Covid-19, diminuir o número de infecções e desafogar as estruturas de saúde, o toque de recolher em todo o Estado deve ser prorrogado, com apoio do MPMS. Decreto com a determinação será editado e publicado em diário oficial. A medida que limita a circulação de pessoas continuará sendo fiscalizada pelas forças de segurança de Mato Grosso do Sul.

No encontro, o Governo do Estado ainda apresentou três planejamentos de volta às aulas da Rede Estadual de Ensino, o primeiro presencial, o segundo híbrido e o último remoto. Com todas as escolas já equipadas com kits e equipamentos de proteção para alunos, professores e técnicos administrativos, o plano de retorno às aulas ideal para o ano letivo de 2021 será definido em conjunto entre os setores de Educação e Saúde.


Voltar


Comente sobre essa publicação...