Semana On

Segunda-Feira 14.jun.2021

Ano IX - Nº 447

Mato Grosso do Sul

Ministério Público quer medidas mais restritivas de biossegurança em Bonito

Consta na ação civil pública que muitas pessoas têm circulado nas ruas da cidade sem equipamentos de proteção e festas clandestinas estão sendo realizadas. Prefeitura diz que só irá se pronunciar após ser notificada

Postado em 13 de Novembro de 2020 - G1MS

Foto: Anderson Viegas - G1MS Foto: Anderson Viegas - G1MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul (MP-MS) quer medidas mais restritivas de biossegurança contra a proliferação da Covid-10 em Bonito, a 296 quilômetros de Campo Grande. O município, que recebe turistas de todo o mundo por conta das belezas naturais, entrou na classificação de risco feita pelo governo do estado como bandeira vermelha, sendo recomendado apenas o funcionamento de serviços essenciais.

O secretário de Turismo, Indústria e Comércio da cidade, Augusto Mariano, disse que a prefeitura só irá se pronunciar quando for notificado da Ação Civil Pública proposta pelo MP, mas adiantou que algumas medidas sanitárias já vem sendo tomadas na cidade.

Augusto Mariano falou ainda que as alegações da promotoria têm como referência o feriado de 7 de setembro e que no dia 2 de novembro o cenário foi outro, com mobilização de vários setores para que as medidas sanitárias fossem cumpridas.

Ação Civil Pública

Na Ação, o MP-MS alega que percebeu-se grande quantidade de pessoas, especialmente à noite, sem equipamentos de proteção e foram necessárias várias abordagens da Polícia Militar (PM) e da Guarda Municipal em festas clandestinas.

O MP-MS também justifica a necessidade de ações mais restritivas contra a Covid-19 dizendo que metade dos policiais militares da cidade e alguns civis foram contaminados pelo novo coronavírus e que o município passou de bandeira laranja para vermelha, no Programa de Saúde e Segurança da Economia (Prosseguir), devido ao aumento da quantidade de casos.

O MP-MS pede a tutela provisória de urgência para que o município implemente, em 48 horas, a partir do recebimento da Ação, "medidas de biossegurança claras, baseadas em estudos técnicos", para evitar "grandes aglomerações e ou de acesso ao público"; que a Justiça determine toque de recolher e, em caso de deferimento deste último pedido, o horário seja divulgado pela prefeitura no prazo de 24 horas em rádios e carros de som sob pena de multa diária de R$ 10 mil em caso de descumprimento.

Covid-19 em Bonito

De acordo com os dados divulgados quinta-feira (11) pela Secretaria de Estado de Saúde, Bonito totaliza 634 casos de Covid-19, entre curados e atualmente infectados. Oito pessoas morreram.

Em Mato Grosso do Sul, desde março, quando foram os primeiros casos de infecção pelo novo coronavírus, já foram registradas 86.428 contaminações. Sendo que 1.674 pessoas morreram e 80.966 estão curadas.

 


Voltar


Comente sobre essa publicação...