Semana On

Segunda-Feira 29.nov.2021

Ano X - Nº 469

Coluna

Piada e assassinato não são o mesmo

Raphael Tsavkko Garcia fala de extremismo e de falta de noção no debate

Postado em 28 de Outubro de 2020 - Raphael Tsavkko Garcia

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Contar piada e degolar são dois lados do extremismo mesmo, amiguinho.

Inclusive cadê você aplaudindo o integralista que jogou molotov no Porta dos Fundos? Ou só não pode piada com Maomé?

A hipocrisia argumentativa de certa "esquerda" continua à toda. Discurso de ódio é defender terrorismo religioso porque se encaixa na tua narrativa vitimista e visão de mundo deturpada.

Mais do que nunca, a blasfêmia é necessária. É uma arma na luta contra o fanatismo e pela liberdade de expressão. O terrorismo islâmico não pode ter imunidade. Nenhuma religião pode ser sagrada, imune a críticas e a piadas.

Quem define o que é discurso de ódio? Esse pessoal mais preocupado em defender censura a uma revista satírica do que em condenar degolamento de pessoas?

É por essas e outras que eu tenho cada vez mais o pé atrás com discursos que pregam combater "discurso de ódio" porque em geral é disfarce pra autoritário conseguir calar o adversário. Claro que existe discurso de ódio, claro que existem limites, mas é cada vez mais difícil ter um debate minimamente civilizado sobre o tema - para uma turma "militante", discurso de ódio é tudo que não se encaixe em sua visão limitada e falsa de mundo.

E isso vale pra esquerda identitária, petista e "mais amor por favor" e pra direita carola, bolsominion e "liberal na economia, conservadora nos costumes" indistintamente.

A IRONIA

A ironia disso tudo é que não falta gente que ativamente criminalizava as ruas em 2013 comemorando as mobilizações e a vitória dos chilenos. São incapazes de enxergar seu papel de destruidores de um movimento que tinha tudo para ser ainda maior e mais poderoso e alterar significativamente as bases do poder no país.

Aliás, até hoje o PT segue na ladainha - com apoio de setores do PSOL - contra 2013, como se "tudo" tivesse começado ali. Como se o PT não fosse corrupto até a medula e tão sujo quanto qualquer adversário e suas ações não tivessem tido quaisquer consequências.

Quando a esquerda se coloca ao lado da repressão (e como opressor), passa anos gritando como loucos conspirações patéticas de GOLPE da CIA e de ativistas manipulados pelos EUA, o resultado é Bolsonaro. Agora olhem pro Chile. E aprendam.


Voltar


Comente sobre essa publicação...