Semana On

Domingo 23.jan.2022

Ano X - Nº 475

Coluna True Colors

Suicídio entre gays, lésbicas e bissexuais: pesquisa analisa papel de fatores como gênero, raça e idade

Segundo pesquisadores, intersecção de múltiplas identidades minorizadas aparecem associadas ao risco aumentado de suicídio

Postado em 24 de Novembro de 2021 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O risco de suicídio entre lésbicas, gays e pessoas adultas bissexuais varia consideravelmente de acordo com a interseção entre a identidade sexual e outros aspectos da identidade, como gênero, idade e raça. A conclusão é de uma pesquisa conduzida pelo Instituto Nacional de Saúde Mental (NIMH), nos Estados Unidos. Uma das maiores organizações de pesquisa sobre saúde mental no mundo.

“Este estudo demonstra a importância de perguntar sobre a identidade sexual nos esforços nacionais de coleta de dados e destaca a necessidade de serviços de prevenção de suicídio que atendam às experiências e necessidades específicas de lésbicas, gays e bissexuais adultos(as) de diferentes gêneros, idades, raças e grupos étnicos ”, explica em comunicado para imprensa Rajeev Ramchand, Ph.D., Conselheiro Sênior em Epidemiologia e Prevenção de Suicídio no NIMH e principal autor do estudo.

Como foi feito o levantamento

Diante da hipótese de que o risco de suicídio pode variar consideravelmente de acordo com a identidade sexual, o gênero, a idade e a raça/etnia de uma pessoa, os pesquisadores optaram por analisar dados da Pesquisa Nacional de Uso de Drogas e Saúde (NSDUH), uma pesquisa que, segundo eles, é nacionalmente representativa de civis adultos(as) nos Estados Unidos.

Foram examinados dados que iam de 2015, quando a pesquisa introduziu pela primeira vez questões sobre identidade sexual, até o meio de 2019. Em conjunto, a análise reuniu um total de 191.954 participantes, dos quais 14.693 se identificaram como lésbicas, gays ou bissexuais.

Como parte da pesquisa, os participantes relataram sua identidade sexual, optanto pelas alternativas: heterossexual, lésbica ou gay, bissexual ou não sei. Também foi perguntado se os respondentes tiveram, em qualquer momento nos últimos 12 meses, comportamentos relacionados ao suicídio, sendo eles pensamentos suicidas, planos de suicídio ou tentativas de suicídio.

As respostas foram analisadas em comparação com características individuais, como idade (18-24, 25-34, 35-64), raça/etnia (branca, negra, hispânica, outra raça / multirracial) e gênero (homem, mulher). Os pesquisadores também levaram em consideração certas características sociodemográficas, como nível de escolaridade e situação de emprego.

Conclusões

Confirmando conclusões reportadas por outras pesquisas, os dados do NSDUH mostraram que as taxas de todos os três comportamentos relacionados ao suicídio - pensamentos, planos, tentativas - são geralmente maiores entre lésbicas, gays e pessoas bissexuais do que entre pessoas heterossexuais.

De forma geral, levando em consideração fatores demográficos, os pesquisadores descobriram que o risco de suicídio é de três a seis vezes maior para lésbicas, gays e pessoas adultas bissexuais do que para pessoas adultas heterossexuais, em todas as faixas etárias e categorias de raça/etnia.

Recorte de gênero

Quando olham para recortes mais específicos, como o de gênero, os pesquisadores destacam uma diferença entre os riscos de homens e mulheres. Entre os homens gays e bissexuais, 12% a 17% pensaram em tirar suas vidas no ano anterior, 5% haviam feito um plano de suicídio e cerca de 2% haviam feito uma tentativa de suicídio. Já entre mulheres lésbicas ou gays e mulheres bissexuais, 11% a 20% tiveram pensamentos suicidas, 7% haviam feito um plano de suicídio e cerca de 3% haviam feito uma tentativa de suicídio.

Recorte de gênero e raça

Entre homens gays e bissexuais, os dados não mostraram diferenças no risco de suicídio de acordo com a raça/etnia. No entanto, entre as mulheres lésbicas ou gays e bissexuais, os dados indicaram que as mulheres negras tinham menor risco de pensamentos e planos suicidas em relação às mulheres brancas.

Quando os pesquisadores analisaram a interseção específica entre a identidade sexual e raça / etnia, eles descobriram que as mulheres brancas e negras que se identificaram como bissexuais eram mais propensas a relatar pensamentos suicidas em relação às mulheres brancas e negras que se identificaram como lésbicas ou gays.

Recorte de idade

Olhando para a interseção entre identidade sexual e idade, os pesquisadores descobriram que os pensamentos suicidas também eram relativamente maiores entre mulheres bissexuais no grupo de 35-64 anos em comparação com mulheres lésbicas ou gays na mesma faixa etária.

População LGBT não é uniforme

Para os cientistas esses resultados mostram claramente que pessoas adultas lésbicas, gays e bissexuais não constituem um grupo uniforme quando se trata de risco de suicídio. “Este estudo prepara o terreno para trabalhos futuros que investiguem o impacto das desigualdades sociais no risco de suicídio entre pessoas com múltiplas identidades sociais”, conclui Ramchand.

*O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email e chat 24 horas todos os dias. Para mais informações disque 188.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Colunista

Equipe Semana On

Equipe Semana On

Coluna editada pela equipe da Semana On.


Saiba mais sobre Equipe Semana On...