Semana On

Sexta-Feira 22.out.2021

Ano X - Nº 463

Coluna A Arte de ser Viajante

Visitante come o que colhe em fazendas antigas do Vale do Café, no Rio

Propriedades vão além do turismo histórico e oferecem imersão em plantação de orgânicos

Postado em 23 de Maio de 2018 - Bruno Lee – Folha de SP

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Fisicamente, o Vale do Café ocupa uma área que abarca 15 municípios do sul fluminense. Temporalmente, transita entre o século 19 e o atualíssimo.

Os ecos do primeiro período, auge da produção do fruto na região, são a principal marca do turismo local. Hoje, das mais de 147 fazendas históricas do Vale do Café --nas contas do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural--, 35 estão abertas para visitação.

Em diferentes estados de conservação, as propriedades permitem vislumbrar como funcionava o processo de beneficiamento do grão --em algumas delas, os visitantes são recebidos por guias trajando roupas, e afetando trejeitos, do passado.

Em Rio das Flores (a 180 km da capital fluminense), a fazenda do Paraízo, de 1845, guarda construções, maquinário, móveis e utensílios da época, incluindo um fogão a lenha, ainda em uso pelos donos, que moram por lá. A visita, encerrada com lanche colonial, custa R$ 70 por pessoa.

Alguns anos mais moça, a Alliança (finalizada em 1863), no município de Barra do Piraí (110 km do Rio de Janeiro), também conserva o aparato usado no século 19 para o processamento do café.

Além disso, assume a roupagem de "fazenda de vivência", nas palavras da proprietária, a argentina Josefina Durini.

Parte do terreno é usada para cultivar orgânicos --de batata doce a alho-poró-- e pancs (plantas alimentícias não convencionais), que nos últimos anos passaram a integrar cardápios de restaurantes celebrados em grandes cidades do país. Os visitantes são guiados pela plantação e aprendem sobre as propriedades das espécies: tiririca, erva-de-santa-maria, capoeraba...

E há o momento colheita. Os turistas podem apanhar os produtos e levá-los para casa ou ver uma porção deles usada no almoço, servido na própria fazenda --dependendo da categoria de passeio.

É preciso agendar a visita às duas fazendas com pelo menos dois dias de antecedência --o mesmo ocorre com outras atrações.

Assim, vale tentar marcar ao menos dois passeios num mesmo dia, para não perder a viagem, e estabelecer uma cidade como base. Vassouras, a 117 km da capital do estado, é uma das maiores da região. 

Entre as opções de hospedagem por lá estão o hotel Santa Amália, com diária para duas pessoas a partir de R$ 607 (pensão completa), e a Vila Hibisco Pousada (preços partem de R$ 247).

Em Barra do Piraí, uma alternativa é o hotel fazenda Ribeirão, com diárias para duas pessoas a partir de R$ 750 (pensão completa). 

Jardim Ecológico Uaná Etê

Com 135 mil metros quadrados e trilhas que somam cerca de 10 km, o espaço, localizado na cidade de Engenheiro Paulo de Frontin, preenche facilmente um dia inteiro.

Isso se o visitante aderir à proposta de relaxamento do jardim: há redes e grandes teias trançadas com cordas para se jogar, gramados para piquenique, silêncio e natureza --30 mil mudas de diversas espécies foram plantadas no Uaná Etê desde sua inauguração, em 2014 (o que é sinônimo de "é preciso levar repelente de insetos").

Os fundadores do local, o casal de músicos Cristina Braga e Ricardo Medeiros, também investiram em atividades relacionadas ao seu ofício.

No bosque dos sinos, por exemplo, diversos desses objetos ficam à disposição para o público chacoalhar e "tocar" como bem entender.

O jardim funciona de quinta a segunda, das 9h às 17h. A entrada inteira custa R$ 40.

Cachaça Werneck

Em 2008, o casal Cilene e Eli Werneck --ele, engenheiro, e ela, artista plástica-- passou a se dedicar à produção de cachaça orgânica, em uma fazenda na cidade de Rio das Flores (a 180 km da capital fluminense). A bebida já ganhou prêmios dentro e fora do país. 

É possível visitar as instalações pequenas, em um tour guiado pelo próprio Eli. Vale pelo didatismo dele --o visitante aprende, por exemplo, que o caldo de cana deve ser diluído em água, porque as leveduras encarregadas da fermentação não aguentam tanto açúcar-- e pela degustação ao fim do passeio.

O programa é gratuito e deve ser agendado com dois dias de antecedência. Informações pelo email contato@cachacawerneck.com.br.

Fazenda Santo Inácio

A menos de 15 km de Minas Gerais, a fazenda, de 1830, faz as vezes de restaurante de comida mineira desde 2007.

É uma experiência pé no chão. Os donos da Santo Inácio --e o gato Filé-- vivem na propriedade e dividem o espaço com os clientes.

Os comensais se servem, na própria cozinha, de pernil, arroz, feijão-preto, couve, taioba e quiabo refogados, purê de abóbora e por aí vai. Opções simples e saborosas.

Segundo Ana Célia Mello Valle, responsável pelo restaurante, tudo que é servido cresce na fazenda. Porcos são abatidos a poucos metros do salão principal e o mesmo vale para a produção dos doces.

Serve-se à vontade por R$ 40. O restaurante abre apenas aos domingos, para o almoço, mas é possível agendar horários durante a semana. Mais informações pelo telefone (24) 2458-1996.

Fazenda Alliança

Na propriedade da argentina Josefina Durini, os turistas são acompanhados pelo olhar de 140 búfalas, que pastam no entorno da sede da fazenda. A produção de leite do animal é o carro-chefe da Alliança.

A visita mais completa, com lanche, passeio pela estrutura usada para processar café, pela horta e pelos pomares, contato com as búfalas e almoço com produtos orgânicos e pancs custa R$ 280 por pessoa. Mais informações pelo telefone (24) 99327-0248.

Hotel fazenda União

O hotel, em Rio das Flores, pode agradar quem quer relaxar e fazer turismo histórico.

A sede da fazenda, de 1836, é uma espécie de antiquário, com peças garimpadas pelos donos do hotel, e conta com 11 quartos. Entre as peças expostas, há louças que pertenceram a figurões: Dom João, duque de Caxias e marechal Deodoro da Fonseca. Há ainda um museu de arte sacra, com 50 peças dos séculos 18 e 19. O hotel também tem piscina aquecida, quadra de tênis e oferece passeios de quadriciclo e cavalgadas. 

A diária para duas pessoas parte de R$ 1.075. Agendamentos pelo e-mail reservas@fazendauniao.com.br.

PACOTES

R$ 387
3 noites em Vassouras, na Submarino Viagens (submarinoviagens.com.br)
Hospedagem no hotel Santa Amália para uma pessoa, em quarto duplo. Inclui café da manhã. Sem aéreo

R$ 908
2 noites em Conservatória, na CVC (cvc.com.br) 
Hospedagem no hotel fazenda Rochedo, em quarto duplo, com pensão completa. Inclui passeio pelos principais pontos da cidade. Sem aéreo

R$ 1.198 
4 noites em Resende, na CVC (cvc.com.br) 
Hospedagem em quarto duplo no hotel fazenda Três Pinheiros, com pensão completa. Inclui passeio pela cidade. Sem aéreo


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Colunista

Equipe Semana On

Equipe Semana On

Coluna editada pela equipe da Semana On.


Saiba mais sobre Equipe Semana On...