Semana On

Sexta-Feira 03.dez.2021

Ano X - Nº 469

Coluna A Arte de ser Viajante

Turismo de Bonito tem o melhor setembro dos últimos 7 anos

‘Estamos nos reerguendo’, afirma guia de turismo do município

Postado em 20 de Outubro de 2021 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Afetado de forma drástica pela pandemia de Covid-19, o setor do turismo é certamente um dos mais favorecidos pelo avanço da vacinação. Em Bonito, a atividade econômica vem batendo recordes e registrou, em 2021, o melhor setembro dos últimos sete anos. 

Mais de 25.600 pessoas visitaram a cidade no mês passado. Nos anos anteriores, de 2015 a 2020, esse número variou entre 16 mil e 20 mil. Os dados são do Observatório do Turismo de Bonito (OTEB), coordenado pelo Bonito Convention & Visitors Bureau com apoio da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul (Fundtur-MS).

A quantidade de visitações nos atrativos naturais da cidade cresceu na mesma proporção. Enquanto setembro de 2019 teve 46.460 visitações, o mesmo mês de 2020 contabilizou 52.062. Já setembro de 2021 anotou 84.306 acessos.

Para a coordenadora do OTEB, Janaina Mainchein, a retomada das atividades do setor se deve ao bom desempenho do Mato Grosso do Sul na condução da pandemia, incluindo nesse cenário a força que o Estado demonstrou na campanha de imunização.

"A cidade anda muito lotada, principalmente pelos jovens. Muita gente tem vindo para cá e o que destacamos é o perfil do visitante. Os turistas de Mato Grosso do Sul vêm nos feriados e nos finais de semana. Quando passa domingo, eles vão embora. Aí, chegam os turistas de fora do Estado, que ficam mais dias, normalmente uma semana", avalia Janaina.

Embora a cidade comemore os sinais de aquecimento do turismo, os cuidados com os protocolos de segurança continuam. "Os passeios sempre foram controlados, mesmo antes da pandemia. As empresas seguem cumprindo os protocolos", fala.

Incentivo ao setor

O diretor-presidente da Fundtur-MS, Bruno Wendling, destaca que a retomada do turismo passa pela política de incentivos ao setor. “Tivemos um aumento do orçamento ao turismo, ampliação nos investimentos em apoio aos eventos geradores de fluxo, assim como as campanhas internas e nacionais para divulgar os nossos principais roteiros e caminhos”.

Em junho deste ano, o Governo do Estado lançou um megapacote de incentivos às diversas atividades econômicas e combate às desigualdades sociais que já repercute positivamente no desenvolvimento local.

Para o setor do turismo, o programa Incentiva+MS Turismo disponibilizou auxílio emergencial de R$ 6 mil, divididos em seis parcelas iguais, para guias turísticos, MEIs e microempresas. Na primeira etapa do programa, 612 profissionais foram selecionados.

Para o setor de bares e restaurantes, 6 mil empresas do Simples Nacional, o equivalente a 95% do mercado, tiveram isenção total de ICMS até 2022.

Recuperação

De uma semana para a outra a cidade fechou. Bonito, um dos destinos de ecoturismo mais premiados do Brasil, suspendeu todas as atividades turísticas por causa da pandemia em 18 de março de 2020, quatro dias depois da confirmação do primeiro caso de Covid-19 em Mato Grosso do Sul.

Por pouco mais de três meses, de março a julho, Bonito não recebeu nenhum visitante, segundo o Observatório de Turismo e Eventos da cidade (OTEB).

“Quando ninguém podia sair e a cidade não tinha nenhum passeio aberto, aproveitei pra fazer manutenção em casa. Eu tinha uma certa reserva quando fechou o turismo, por sorte, porque uns meses antes eu tinha vendido um veículo. Essa reserva, que era para fazer um investimento, acabei usando para me manter durante o fechamento”, conta Marcos Violante, de 51 anos, que trabalha como biólogo e guia de turismo.

Mas muitos colegas de Marcos não tiveram a mesma sorte que ele. "A maioria não estava com nenhuma reserva e o momento mais crítico foi de duas a três semanas após o fechamento total, onde muitos guias ficaram sem nenhum dinheiro".

Com as dificuldades batendo na porta, a própria comunidade resolveu agir. Almoços beneficentes foram organizados e vaquinhas arrecadaram dinheiro para os trabalhadores do turismo. "Para auxiliar pessoas que estavam com bastante necessidade", diz.

Bonito voltou a receber turistas após meses de fechamento. Tudo organizado com protocolos de segurança que chagaram a render para a cidade o selo "Safe Travel", concedido neste ano pelo Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, sigla em inglês).

A retomada gradativa da movimentação turística devolveu renda aos operadores do turismo. E o anúncio do auxílio estadual "Incentiva+MS Turismo", de R$ 6 mil em seis parcelas para pessoas físicas e jurídicas, animou o setor. "Foi uma reação de alegria de todo mundo porque é uma quantia considerável esse valor de mil reais por mês. Não foi uma quantia irrisória. Foi uma quantia considerável que realmente ajuda, dá para pagar água, luz, telefone, às vezes até aluguel", explica Marcos.

Na primeira etapa do auxílio estadual, 612 auxílios foram aprovados pela Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul (Fundtur). Na segunda, que está em andamento, 171 candidatos enviaram suas inscrições à Fundação, que tem até dia 29 de outubro para analisar a documentação.

"Para você pagar todas as contas e se alimentar sem ter renda nenhuma foi bem complicada (a pandemia), uma verdadeira prova de resistência. Essa ajuda do governo hoje está vindo para a gente se reerguer", completa Marcos, que é um dos beneficiários do "Incentiva+MS Turismo".

Para ele, a normalidade ainda não voltou, mas a esperança é que 2022 seja o ano da virada, ainda mais pelo avanço da vacinação no Brasil e no mundo. "Trabalho muito com turismo de estrangeiros, afetou fortemente e não retomou ainda. Fiz poucos trabalhos este ano. Estou contando que volte em 2022", acredita.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Colunista

Equipe Semana On

Equipe Semana On

Coluna editada pela equipe da Semana On.


Saiba mais sobre Equipe Semana On...