Semana On

Quarta-Feira 10.ago.2022

Ano X - Nº 499

Coluna Eles em Nós

Ressentimento, mediocridade e raiva

Idelber Avelar fala de Paulo Guedes, pentecostalismo e do grande irmão

Postado em 07 de Outubro de 2021 - Idelber Avelar

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Ideólogo crente em seus dogmas, raivoso, medíocre em sua área, milionário e, sobretudo, ressentido. Profundamente ressentido. É uma combinação rara.

O diagnóstico é complicado porque a palavra “ressentimento” foi uma das que andaram perdendo o sentido no Brasil dos últimos anos (há um texto meu no Medium sobre isso). A estratégia é simples: você coloca suas milícias digitais para massacrar alguém e, depois de concluído o massacre, você desqualifica qualquer coisa dita pela pessoa com o rótulo de “essa aí é ressentida”.

Essa foi a estratégia de destruição de reputação usada contra uma das pessoas menos ressentidas que conheço, Marina Silva, que continua tranquilamente fazendo o seu trabalho, mesmo depois de todo o massacre que sofreu.

No extremo oposto de Marina, está Paulo Guedes, esse sim, um ressentido legítimo. No ressentido, a motivação de tudo fica clara: Paulo Guedes é obcecado com André Lara Rezende, Pérsio Arida, e todos os outros economistas do Plano Real, que fizeram o que ele gostaria de ter feito, estabilizar a economia brasileira e tirá-la da hiperinflação.

Na definição nietzscheana, o ressentido é aquele que cozinha dentro de si a sua impotência em vingar-se daqueles que lhe impuseram prejuízos, sejam reais ou imaginários. No caso de Guedes, é um prejuízo imaginário. Ninguém lhe causou dano nenhum. O único dano que ele sofreu foi ver outros economistas fazer o que ele gostaria de ter feito. Ele cozinha há trinta anos essa dor. É visível em tudo o que ele diz e faz.

Talvez até mais que Sergio Moro, Paulo Guedes é o indivíduo sem o qual dificilmente o bolsonarismo teria tomado a forma que tomou. Bolsonaro tinha consigo o Partido do Boi, o Partido Teocrata, o Partido da Polimilícia, e o Partido dos Trolls. Mas precisava de um avalista no mercado, afinal ele sempre votou contra as políticas pró-mercado (pra quem não sabe: Bolsonaro foi contra o Plano Real, contra as privatizações, contra as reformas da previdência etc).

Guedes foi o único que ele conseguiu.

Conseguiu porque Guedes abraçaria até Trotski se Trotski pudesse ajudá-lo a se vingar dos economistas que estabilizaram a economia brasileira sem pedir permissão a ele, e sem incluí-lo, naqueles anos 90 tucanos que Guedes via como continuação dos anos 80 pinochetistas e thatcheristas dos quais ele participou, roubando dos trabalhadores chilenos algumas módicas garantias que eles haviam conquistado no governo do Doutor Salvador Allende.

Paulo Guedes começou o governo repetidamente ameaçando ir embora se não fosse obedecido. Afinal de contas, todo mundo sabe que ele é milionário e, estritamente falando, não precisa daquilo.

Vai terminar o governo desmoralizado, pisoteado, humilhado pelo centrão, e sem poder sair, porque afinal de contas, como todo ressentido, ele está preso.

INACREDITÁVEL

A inacreditável Alerj, com sanção do governador, apronta mais uma. Enquanto vocês almoçavam, o pentecostalismo virou patrimônio imaterial do estado do Rio de Janeiro.

QUEM IMAGINARIA?

Puxa vida, quem poderia imaginar que um único indivíduo controlando a comunicação virtual de bilhões de pessoas, sem regulação, sem responsabilização, sem se sujeitar a nenhum controle democrático, não era uma ideia muito boa, né mesmo?

A parte inacreditável da história foram os funcionários do Facebook sem conseguir entrar no prédio porque os crachás que dão acesso funcionam com … o login de sua conta de Facebook! Se fosse um filme, já seria suficiente para parecer de quinta categoria.

É uma luta do nosso tempo: manter as possibilidades de inovação tecnológica enquanto criamos mecanismos de regulação democrática sobre duas ou três empresas que têm sobre nós um controle que nenhuma empresa jamais teve.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Colunista

Idelber Avelar

Idelber Avelar

Idelber Avelar é professor titular de literatura latino-americana e teoria literária em Tulane University.


Saiba mais sobre Idelber Avelar...