Semana On

Terça-Feira 28.set.2021

Ano X - Nº 461

Coluna Eles em Nós

De blazer e sem mágoas

Idelber Avelar fala de Lula, de Ciro, de vermes e perdas

Postado em 10 de Março de 2021 - Idelber Avelar

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Quem tem fontes no interior do petismo já sabia: Lula e seu entorno haviam resolvido que a estratégia é parecer empático, não revanchista, moderado. É 2002 de novo.

De blazer, dizendo que não tem mágoas, falando como estadista, afirmando que o seu sofrimento não é nada comparado ao sofrimento do povo, Lula fez aceno até para as polícias e as Forças Armadas. Sem levantar o tom de voz, falando como bom pai que entende o sofrimento do filho.

A estratégia é clara: "o centro sou eu".

CIRO SE FODEU

Meu Deus, como o Ciro Gomes se fodeu! Eu nem consigo listar todas as formas em que o Ciro se fodeu. E eu estou rindo. Acho ótimo quando político oportunista se fode.

Prestenção: eu VOTEI no Ciro em 2018. Queria votar na Marina, mas ela foi derretendo e ficou claro que o Ciro era a única possibilidade de evitar o segundo turno que produziria o resultado que produziu. Milhões de brasileiros fizeram a mesma coisa que fiz. Não foi suficiente.

Eu disse a ele: "você vai se foder com essa ladainha de gópi". Ciro é inteligente e sabe muito bem o que é um golpe de Estado. E sabe que o que aconteceu na sociedade brasileira em 2015-16 foi um processo aberto, que transcorreu durante 18 meses, com manifestações livres nas ruas, contra e a favor do impeachment (estas dez vezes maiores que aquelas), e amplo debate na imprensa e nas redes.

Eu fui CONTRA o impeachment. Está tudo documentado aqui em Zuckerlândia, eu não apago posts. Fui contra porque eu sabia que o impeachment entregaria ao petismo a carta da vitimização. Que foi o que aconteceu. Viraram os coitados eternos.

Mas eu não confundo o meu desejo com a realidade. E a realidade é que a imensa maioria da sociedade brasileira queria o impeachment. Eu fiquei na minoria. Curiosamente sendo atacado, não pela maioria, mas pelos companheiros de minoria, que não aceitavam que eu não comprasse a ladainha do gópi.

*******

Pois bem, Ciro fez a escolha preguiçosa: "vou traficar essa bobagem de gópi porque assim eu herdo os votos da esquerda." Eu disse: "você vai se foder. Está contando lorota e sabe que está contando lorota. O que você vai fazer quando a esquerda se recompuser?"

Ciro poderia ter feito o esforço de se cacifar como candidato de centro. Poderia ter conversado com liberais. Poderia ter adotado o tom do centro democrático. Preferiu a opção oportunista e preguiçosa. Ficou anos associando o liberalismo ao apocalipse e repetindo o discurso sectário da escola rousseffo-mantego-santaniana.

As viúvas carpideiras do gópi agora vão votar no Lula. A direita é Bolsonaro. E com o centro democrático o Ciro queimou pontes.

Vai correr pra onde? Não tem para onde correr. Kaput, Ciro, kabô. Bem feito.

O QUE VAI ROLAR?

Atenção, acabei de descobrir o que vai acontecer. As cenas dos próximos capítulos são uma grande sacada de João Paulo Rodrigues: "Moro é julgado e condenado em 2022. Vai preso. Lula é eleito. Em 2024, vazamentos de áudios entre Gilmar Mendes e Cristiano Zanin, que se tornou ministro da justiça de Lula, reforçam o 'Moro Livre'. Moro é solto em 2025. Gilmar Mendes é impichado, julgado e preso em 2026, quando Moro é eleito presidente. Dallagnol vira ministro da justiça. Em 2028 vazam áudios entre Facchin e Dallagnol durante a campanha por 'Gilmar Livre' .... "

VERMES...

Jair e Eduardo Bolsonaro reproduzem carta de suicídio, com foto do corpo, para bater bumbo político. Crueldade inimaginável. Essa gente não tem limite. São os piores seres humanos de que já tive notícia. Vermes!

E MAIS VERMES

Coronel Tadeu (PSL-SP) é o nome do verme que cospe nos nossos mortos ao dizer isso.

Para que não digam que há "manipulação da imprensa", ofereço as aspas exatas do verme: "Esse jogo para mim é claro, as pessoas estão morrendo justamente para facilitar o caminho de retomada ao poder pela esquerda". Isso mesmo é o que ele disse.

Já são mais de 270.000 mortos por covid-19 no Brasil.

FALANDO EM LÍNGUAS

Existe um país em que um Ministro da Suprema Corte bate boca com o Ministro das Relações Exteriores no Twitter, ambos escrevendo em uma língua estrangeira.

O Brasil não para de passar vergonha.

PS: o Gilmar está certo e o chancelelé está mentindo.

SOBRE PERDAS

Mais uma madrugada chorando a partida de um irmão. O professor Luiz Fernando Souza Santos, catedrático da UFAM, gigante da sociologia brasileira, profundo conhecedor da Amazônia e aliado dos povos indígenas foi levado pela covid-19.

Combinava o engajamento político e o bom humor como poucos. Alguns anos atrás, em seminário na UFPA, fui escalado para oferecer críticas e sugestões aos trabalhos de um grupo de pesquisadores. O trabalho de Luiz era tão fino, tão bom, tão bem escrito, que eu não encontrei o que sugerir, a não ser que todos aplaudissem.

Se vocês fizerem uma busca com o nome dele nesta página, encontrarão dezenas de comentários de Luiz, sempre bem humorados, cheios de conteúdo, respeitosos e abertos ao outro.

Homenageemos Luiz relendo "O panóptico verde: A invenção ambiental da Amazônia" (Editora Valer, 2014). Com ele aprendi muito do pouco que sei sobre a Amazônia. Foi um mestre meu mas, sobretudo, um irmão.

Até quando, até quando vamos chorar as mortes dos nossos melhores?

LEGALIZE NO MÉXICO

Grande dia. Parabéns, República do México! Maconha legalizada!

O projeto passou no Senado e na Câmara, mas como esta fez alguns ajustes na lei, ainda falta a sanção final do Senado. Mas são favas contadas.

A lei é boa. Não é apenas uma descriminalização, é legalização mesmo. Cultivo autorizado, venda regulamentada etc.

A lei inclui a soltura de presos condenados por posse de até 28 gramas. São 18.000 seres humanos a menos mofando inutilmente em cárceres fétidos.

Muito, muito feliz com essa notícia. Parabéns mesmo, México!


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Colunista

Idelber Avelar

Idelber Avelar

Idelber Avelar é professor titular de literatura latino-americana e teoria literária em Tulane University.


Saiba mais sobre Idelber Avelar...