Semana On

Quarta-Feira 21.ago.2019

Ano VII - Nº 359

Campo Grande

Obra no Anhanduí já afasta risco de erosão e melhora vazão do rio

Até 2020 as margens serão urbanizadas, com abertura de uma ciclovia, e o asfalto será refeito no trecho de quase 2 quilômetros onde o projeto está sendo executado, entre as ruas Santa Adélia e Aquário

Postado em 22 de Novembro de 2018 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

As obras de revitalização e controle de enchentes em execução no Rio Anhanduí, além de terem resistido sem estragos as chuvas intensas que têm sido registradas na cidade, estancaram a erosão que ameaçava as pistas laterais da Avenida Ernesto Geisel, no trecho perto da Rua Santa Adélia. A vazão do rio melhorou e, com isto, até o momento, não foram registrados transbordamentos do canal, afirma a Prefeitura.

Até 2020, quando deve ficar pronto o último lote (entre as ruas Abolição e Bom Sucesso), as margens serão urbanizadas, com abertura de uma ciclovia, e o asfalto será refeito no trecho de quase 2 quilômetros onde o projeto está sendo executado, entre as ruas Santa Adélia e Aquário.

Até agora, tomando como base as últimas medições entregues à Sisep pelas empreiteiras, já foram implantadas 34,13% da extensão de gabião projetada no trajeto onde, nesta etapa, haverá intervenção. De 24.624,5 metros, ficaram prontos 8.405,50 metros, restando ainda 16.098 metros, chegando em alguns pontos a 8,5 metros de altura, com até 10 degraus.

Dos 4.492,50 de manta  geotêxtil  que revestirão os barrancos,  mais de 3.134 metros já foram instalados. Este material, feito com poliéster, é colocado atrás das paredes de gabião, reforçando ainda mais a proteção das margens do aparecimento de novos processos erosivos.   Dos 20.929 muros de contenção em concreto armado programados, mais de 8 mil metros já foram colocados.

Projeto retomado

A revitalização do Rio Anhanduí é um projeto antigo, que se arrastava há pelo menos cinco anos. Ano passado, a Prefeitura recuperou os recursos alocados junto ao Ministério das Cidades e fez a licitação.  A obra faz parte de um conjunto de ações que beneficiará diretamente os moradores dos bairros Marcos Roberto, Jockey Clube, Jardim Paulista e Vila Progresso.

Nesta etapa estão previstas intervenções num trecho de 2 quilômetros, entre as ruas Santa Adélia e do Aquário, investimento de R$ 48.497.999,21.  Estão previstas intervenções para recompor as margens do rio, mas também dentro do leito, com implantação de soleiras (espécies de degraus) para reduzir a velocidade da água e reter areia que desce das cabeceiras, evitando assim o assoreamento , a formação de bancos de areia.


Voltar


Comente sobre essa publicação...