Semana On

Segunda-Feira 25.mar.2019

Ano VII - Nº 343

Coluna

O primeiro governador de Dourados?

As notícias que fizeram a semana política em MS, com Marco Eusébio

Postado em 14 de Novembro de 2018 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Dourados poderá realizar seu antigo sonho de ter um representante na cadeira de governador de Mato Grosso do Sul, com a reeleição de Reinaldo Azambuja. O governador é o principal nome do PSDB para disputar o Senado em 2022, quando estará em jogo o assento hoje ocupado por Simone Tebet (MDB). Caso confirme a candidatura, Azambuja terá de renunciar ao governo até seis meses antes da eleição. Quem assume é o vice Murilo Zauith (DEM). E o ex-prefeito de Dourados poderá disputar o governo no cargo, como aconteceu neste ano com Marcio França (PSB), que era vice de Alckmin em São Paulo.

Nelsinho terá de ressarcir Campo Grande e União por totens em obras na Capital

O juiz federal Pedro Pereira dos Santos, da 4ª Vara da JF da Capital, condenou Nelsinho Trad (PTB) por improbidade administrativa por fazer propaganda pessoal em obras públicas, com recursos federais, usando totens com número de obras e seu nome quando foi prefeito da cidade de 2005 a 2012. Conforme a decisão divulgada pelo Ministério Público Federal (veja aqui) o senador eleito terá de ressarcir o Município com a quantia usada para produção dos totens, com juros e correção, e pagar multa, em favor da União e do município, em montante equivalente a oito vezes a remuneração por ele recebida no ano de 2012.

Alegando infidelidade partidária, PRB expulsa senador e 11 vereadores em MS

Alegando "infidelidade partidária" por não seguirem a decisão do partido de apoiar o juiz Odilon de Oliveira (PDT) ao governo de Mato Grosso do Sul nas eleições deste ano, a executiva estadual do PRB aprovou a expulsão do partido o senador Pedro Chaves, onze vereadores do interior e outras lideranças, anunciou no Facebook o presidente estadual da sigla, Wilton Acosta. "Os vereadores na sua grande maioria por apoiarem candidaturas não indicadas na convenção. Entre elas as majoritárias também. O PRB indicou, além dos cargos proporcionais, um vice-governador e um candidato ao Senado. Portanto, a expectativa é que os mandatários e lideranças acompanhem essas indicações. Serão expulsos!", disse Acosta.

MS é 2º no ranking de 14 estados que estouraram limite de gastos com servidor

Relatório do Tesouro Nacional aponta que 14 estados apresentam comprometimento das receitas com despesas de pessoal acima de 60%, limite previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) para gastos de servidores. Minas Gerais lidera o ranking com 79,18% do total de receitas para pagar salários e aposentadorias, seguido por Mato Grosso do Sul (76,77%), Rio Grande do Norte (72,07%), Rio de Janeiro (70,8%) e Rio Grande do Sul (69,14%). Boa parte desse quadro é resultado do elevado crescimento das despesas com inativos de 2012 e 2017, que avançaram sobre as receitas, que ficaram praticamente estagnadas no período, gerando rombos fiscais crescentes. Em média, o total de inativos cresceu 25% no período. Em seis estados, incluindo Mato Grosso do Sul, Bahia, Amazonas e o Distrito Federal, essa taxa foi ainda maior: 30%. “O caráter rígido dessa despesa, somado ao agravamento da situação previdenciária, dificulta a contenção das despesas para aqueles estados que já destinam boa parte de sua arrecadação para o pagamento de salários ou aposentadorias", diz o relatório. O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, já sinalizou que não há espaço para a União “salvar” os estados, informa o jornal O Globo.

Tereza Cristina quer fiscalizar dinheiro de multas ambientais repassado às ONGs

A deputada federal Teresa Cristina (DEM-MS) pretende fiscalizar a destinação do dinheiro público repassado a organizações não-governamentais, provenientes de multas por crimes ambientais. "Se tem dinheiro, e é dinheiro público, a gente precisa saber se tem resultado", afirmou a futura ministra da Agricultura aos jornalistas, após reunião de trabalho com o presidente eleito Jair Bolsonaro, ontem, em Brasília, informa a Agência Brasil. Tereza disse ter ficado "espantada" com as cifras do setor. "Eu sabia que era grandioso, mas não tão grande. Temos mais ou menos R$ 15,3 bilhões em multas em cima do setor agropecuário. Um percentual desses recursos vai para essas ONGs, mas vai para quê, para melhorar o quê, qual a utilidade desses projetos, eles vão mesmo para recuperação?", questionou.

Em reunião com Tereza Cristina, Azambuja garante recuperação da Malha Oeste

Após reunião em Brasília com a futura ministra da Agricultura, Tereza Cristina, o governador Reinaldo Azambuja anunciou a inclusão da recuperação da ferrovia Malha Oeste – com extensão de 1.973 km, passando por Mato Grosso do Sul – no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) criado em 2016 pelo governo federal, que será mantido na gestão de Jair Bolsonaro. A proposta é prorrogar a concessão da Rumo Logística, que como contrapartida deverá investir até R$ 5 bilhões na linha férrea. Na reunião, o secretário de Coordenação de Projetos da Secretaria Especial do PPI, Tarcísio Gomes de Freitas, disse que, nos primeiros anos, o PPI priorizou a prorrogação das concessões de outras cinco malhas, e a etapa seguinte, no início do ano que vem, será a da Malha Oeste. Para Azambuja, isso deve viabilizar a Ferrovia Transamericana, que permitirá escoar a produção de MS para os portos dos oceanos Atlântico e Pacífico.

Tereza diz que produtores e meio ambiente vão ganhar com 'sinergia' de ministérios

A deputada federal de Mato Grosso do Sul Tereza Cristina, que será ministra da Agricultura do governo de Jair Bolsonaro, disse em entrevista ao Globo Rural que pretende trabalhar em conjunto com o Ministério do Meio Ambiente e acredita que essa "sinergia" trará vantagens para os dois lados: "Vai ser importantíssima essa sinergia entre os dois ministérios. Por quê? Porque os ganhos que você pode ter no seu produto, vendendo um produto porque tem o selo verde, que tem um protocolo A, B, C ou D. Então, se você tiver uma sinergia, todo mundo ganha. Ganha o ambiental e ganha quem está produzindo de maneira mais sustentável", declarou. Tereza também falou na entrevista sobre agrotóxicos, exportações, pequenos produtores e reforma agrária. Veja a íntegra aqui em vídeo da Globo.

Juiz mantém no dia 20 eleição da OAB-MS

A eleição para escolha da nova diretoria da Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso do Sul (OAB-MS) está mantida para a próxima terça-feira, dia 20 de novembro. A decisão foi tomada pelo juiz federal Pedro Pereira dos Santos, da 4ª Vara de Campo Grande, um dia depois de expedir liminar determinando o adiamento de pelo menos cinco dias da data do pleito, a pedido da chapa encabeçada pelo advogado Jully Heyder. Com base em recurso e "novas informações" a OAB-MS, o juiz afirma: "modifico a decisão recorrida e decido pelo indeferimento do pedido de adiamento formulado na inicial, podendo a autarquia realizar as eleições no dia 20.11.2018". Sobre as listas com nomes e endereços de e-mails pleiteada pela chapa na ação, a OAB-MS informa que já foram liberadas para as chapas concorrentes.

Bolsonaro confirma conversa com Mandetta sobre Ministério da Saúde

Jair Bolsonaro admitiu que avalia o nome do deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) para assumir o Ministério da Saúde. O médico de Campo Grande, que não disputou a reeleição, se reuniu com o presidente eleito no Rio, informa o site da IstoÉ. Conforme a revista, Bolsonaro disse que o ministro da Saúde terá como missão "tapar os ralos”, e economizar recursos. “Não temos como falar em investir mais em saúde porque estamos no limite em todas as áreas”, afirmou. Caso Mandetta vier a ser confirmado, será o segundo ministro de Mato Grosso do Sul, e o terceiro do DEM, incluindo Tereza Cristina (MS) e Onyx Lorenzoni (RS), o que não agrada outras siglas aliadas do capitão.


Voltar


Comente sobre essa publicação...