Semana On

Quarta-Feira 20.mar.2019

Ano VII - Nº 342

Parceiros

Mato Grosso do Sul

Crimes têm queda de 9,16% em Mato Grosso do Sul

Campo Grande já registrou 27 assassinatos nos últimos 40 dias

Postado em 13 de Novembro de 2018 - Redação Semana On

Foto: Midiamax Foto: Midiamax

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

No período de janeiro a outubro de 2018, o número de crimes caiu 9,16% em Mato Grosso do Sul em relação a igual período do ano passado. Foram 6.174 crimes a menos, passando de 67.385 nos primeiros 10 meses de 2017 para 61.211 neste ano, de acordo com o relatório da Superintendência de Inteligência em Segurança Pública (Sisp), da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança (Sejusp).

Dos 12 tipos de crimes, 11 tiveram redução. As quedas mais acentuadas foram de roubos a estabelecimentos comerciais (diminuição de 26,77%), em residências (- 22,51%) e veículos (- 18%). Os furtos e homicídios também diminuíram drasticamente. Furtos nas casas diminuíram 16,72%, respectivamente. Homicídios dolosos tiveram redução de 12,76%, os homicídios culposos no trânsito recuaram 10,37% e os roubos seguidos de morte tiveram queda de 5%.

Na faixa de fronteira com Paraguai e Bolívia, a atuação dos homens e mulheres das forças estaduais de segurança de Mato Grosso do Sul também conseguiu reduzir o índice de 11 dos 12 tipos criminais, incluindo os roubos a estabelecimentos comerciais (-36,2%), a residências (-20,6%) e a veículos (-17,2%). Os roubos seguidos de morte também tiveram queda expressiva: – 18,2%.

Por meio do programa MS Mais Seguro, o Governo do Estado investiu, nos últimos 3 anos e 10 meses, mais de R$ 120 milhões no setor, entregou mais de 740 novas viaturas, além de armas e equipamentos para Polícia Militar, Civil e Bombeiros, nomeou mais de 1.700 agentes de segurança e deu mais qualificação a 5.000 homens e mulheres da segurança pública por meio de cursos e aperfeiçoamentos.

Segurança nas fronteiras é um dos assuntos que o governador Reinaldo Azambuja discutiu com o presidente eleito Jair Bolsonaro na última quarta-feira (14). Ele quer maior participação das forças nacionais de segurança para combater e coibir a entrada de armas ilegais e drogas no País. “Segurança pública é uma área que a gente precisa continuar avançando, todo dia. Temos muito trabalho pela frente”, disse Reinaldo Azambuja.

Campo Grande

Do dia 1º de outubro a 12 de novembro, Campo Grande registrou 27 homicídios, 13 a mais em comparação com o mesmo período de 2017. Os dados são da Sejusp e indicam que, neste período, o número quase dobrou.

Essa escalada dos assassinatos chama a atenção principalmente porque ocorre em um ano que, no acumulado, apresenta queda no número de homicídios. De janeiro até novembro foram 80 mortes violentas. Em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram 95 homicídios dolosos, houve queda de 15%. Em todo o ano passado, Campo Grande teve 115 assassinatos.

Entre as mortes violentas estão casos com características de crime de pistolagem, que forçaram a Polícia Civil a montar uma força-tarefa, para investigar dois casos ocorridos em outubro e um outro em junho, mas com características semelhantes.

A Polícia Civil de Mato Grosso do Sul é conhecida como uma das que mais elucidam crimes desse tipo no país. Um estudo sobre a impunidade no Brasil, publicado no fim de 2017 pelo Instituto Sou da Paz colocou Mato Grosso do Sul com a maior taxa de homicídios elucidados do país: 55,2% dos casos foram resolvidos em 2016, dado mais recente disponível. 


Voltar


Comente sobre essa publicação...