Semana On

Domingo 26.mai.2019

Ano VII - Nº 352

Coluna

Odilon já admite disputar Prefeitura da Capital em 2020

As notícias que fizeram a semana política em MS, com Marco Eusébio

Postado em 31 de Outubro de 2018 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Empolgado por ter chegado ao segundo turno da disputa pelo governo de Mato Grosso do Sul e ter obtido 616.422 votos, o juiz aposentado Odilon de Oliveira (PDT) disse que seu projeto político continua, e que não descarta disputar as eleições de 2020, quando estarão em jogo a cadeira de prefeito da Capital. O presidente regional do PDT, deputado federal Dagoberto Nogueira, disse ao jornal Correio do Estado que considera o juiz "imbatível para a prefeitura". Odilon não se colocou como "oposição" ao governo do reeleito Reinaldo Azambuja (PSDB), mas – sem citar o prefeito Marquinhos Trad (PSD) e o govenador reeleito Reinaldo Azambuja (PSDB) –, disse que "vai se posicionar com relação ao governo municipal e estadual" em defesa "do povo". Contou também que pretende sugerir um projeto para o governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para a segurança pública, focado nas fronteiras de MS com o Paraguai e a Bolívia que, fez questão de frisar, foi "abandonada nos últimos anos".

Reeleito, Azambuja agradece e diz que sua gestão foi testada e aprovada

Reeleito governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB) agradeceu aos eleitores, disse à imprensa que precisa concluir o atual mandato e afirmou que vai "trabalhar dobrado" na nova gestão a partir de 2019. "Vencemos juntos pelo trabalho". Azambuja declarou que sua gestão foi "testada" e aprovada " pela maioria da população do estado", depois de enfrentar a "intolerância", o denuncismo" e "um adversário que só falava uma palavra, combater a corrupção, combater isso, como se nós não fizéssemos isso”. Reinaldo também disse que "ninguém faz política sozinho" e agradeceu a militância e aos que disputaram a eleição. Ouça trecho do discurso.

Salomão volta ao comando do Procon-MS

O advogado Marcelo Salomão voltou ao cargo de superintendente do Procon-MS, do qual se afastou no início de agosto para atuar na campanha da vice-governadora Rose Modesto (PSDB), eleita deputada federal. Sua nova nomeação será publicada na próxima segunda-feira no Diário Oficial do Estado, com data reatroativa a hoje. Já neste primeiro dia, Salomão divulgou pesquisa feita em floriculturas e hipermercados de Campo Grande que aponta diferença superior a 500% no preço de produtos para o Dia de Finados (veja na nota abaixo). Em áudio, Salmão fez um rápido balanço de sua primeira fase no Procon e falou dos novos projetos para atuar contra abusos contra o consumidor, orientar a população sobre seus direitos, e dar respaldo aos comerciantes para que "bons empresários" cumpram a legislação. Ouça abaixo.

Evo quer intensificar relações com MS

Além de afirmar que pretende manter relações com o Brasil, apesar das diferenças ideológicas, e parabenizar o País pelas eleições que chamou de "festa democrática" que elegeu Bolsonaro, o presidente da Bolívia, Evo Morales, disse ao prefeito de Corumbá, Marcelo Iunes, e ao presidente da Câmara e deputado eleito, Evander Vendramini, que pretende intensificar a relação com Mato Grosso do Sul.

"Ele falou que quer intensificar a relação com o MS, o que achei bom levando em conta à necessidade da abertura para que a MS Gás possa adquirir gás natural mais barato. Disse também que em breve vai inaugurar o porto em Porto Busch, que irá escoar minério de ferro das jazidas de Mutum, na Bolívia, que irá trabalhar forte na questão da rota bioceânica passando por Corumbá, até o Peru, e me convidou a ir a La Paz fazer para uma visita oficial, a ser agendada", contou o deputado eleito Evander, depois do encontro com o presidente boliviano que inaugurou ontem os portos Gravetal e Aguirre, no município de Puerto Quijarro, na fronteira com MS.

TJMS elege sua nova diretoria

O desembargador Paschoal Carmello Leandro foi eleito presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) para o biênio 2019-2020, tendo como vice-presidente Carlos Contar e como corregedor-geral Sérgio Martins. A nova diretoria da Corte foi eleita por maioria, pelos desembargadores do Pleno. Normalmente, a presidência do TJMS é assumida por quem ocupa a presidência do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS), mas como presidente Tânia Garcia de Freitas Borges está afastada das funções pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a tradição foi interrompida neste fim de ano.

Fusão de ministérios de Bolsonaro segue exemplo de MS, diz Onyx Lorenzoni

Ao falar sobre a fusão a possível de ministérios no governo de Jair Bolsonaro que vai criar o superministério da Economia (abrigando Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio Exterior) a ser comandado por Paulo Guedes e, em especial, sobre a fusão do Ministério da Agricultura com o do Meio Ambiente, o futuro chefe da Casa Civil, deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), citou como exemplo o governo de Mato Grosso do Sul:

"O presidente não recuou em nada. Assim como já tem a experiência de alguns anos em Mato Grosso do Sul e em outros lugares do mundo: agricultura e meio ambiente de mãos dadas. É isso. Um ministério só", disse à TV Globo.

Sobre a menção feita por Lorenzoni, o governador Reinaldo Azambuja afirmou: "Aqui, o resultado foi positivo porque conseguimos conciliar preservação ambiental com desenvolvimento do estado. Sou favorável a isso". Bolsonaro, disse Onyx, quer reduzir para 15 ou 16 o número de ministérios.

Em MS, Azambuja baixou de 15 para 10 o número de secretarias e cortou 3.900 cargos comissionados. "Diminuímos as estruturas para gastar menos com o governo e investir mais nas pessoas”, afirmou hoje o governador.

Coronel David vira alvo de pré-candidatos à Mesa Diretora

Eleito deputado, o Coronel David (PSL) visitou a Assembleia, conversou com o presidente da Casa em fim de mandato Júnior Mochi (MDB) e concedeu entrevistas. O ex-comandante da PM e antigo apoiador de Bolsonaro, que na atual legislatura foi suplente e chegou a ocupar a cadeira de deputado quando Barbosinha (DEM) virou secretário de Segurança, David disse que foi "rever os amigos". Na Casa, acabou sondado pelos deputados tucanos Onevan de Mattos e Rinaldo Modesto, que estão de olho na presidência da Assembleia. Outro pré-candidato, Eduardo Rocha, que embora seja do MDB, apoiou o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) no segundo turno, também telefonou para David. "O PSDB tem a maior bancada, mas é necessário dialogar com os deputados. Por enquanto, só há especulações", disse.

Mourão promete ajudar MS e Levy Fidelix confunde o estado com MT

Ainda em tom de campanha após as eleições, a senadora eleita Soraya Thronicke (PSL) postou vídeo no Facebook ontem ao lado do vice-presidente eleito da República, Hamilton Mourão, e com o presidente do partido dele, o PRTB, Levy Fidelix, em São Paulo, em que o general manda uma mensagem a Mato Grosso Sul dizendo que "o governo Bolsonaro tem uma visão muito clara de como auxiliar mais ainda o desenvolvimento desse estado que tem uma pujança enorme e uma representatividade tremenda no nosso país". No vídeo, Levy Fidelix insiste em chamar MS pelo nome do vizinho Mato Grosso.

 

 


Voltar


Comente sobre essa publicação...