Semana On

Terça-Feira 19.nov.2019

Ano VIII - Nº 372

Campo Grande

Capital é a primeira cidade do país a integrar projeto nacional de pesquisa na área da Saúde

Além da Capital, apenas outras 13 cidades do Brasil foram escolhidas como sedes da pesquisa

Postado em 25 de Outubro de 2018 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Campo Grande é a primeira cidade do país a participar do processo de capacitação previsto dentro do processo de implementação do projeto Índice de Funcionalidade Brasileiro (IFBr), desenvolvido por pesquisadores da Universidade Nacional de Brasília (UNB) em parceria com o Ministério da Saúde.  A fase de coleta de dados iniciada na terça-feira (23) terá como base quatro unidades: UBSF Fernando de Arruda Torres, CAPSIJ, CAPS Margarida e CER/APAE.

O pesquisador da UNB, Heleno Rodrigues Correa Filho, explica que Campo Grande foi a primeira cidade a receber o projeto pelo fato da estrutura do serviço de saúde mental e da atenção primária em saúde ser considerada modelo. Além da Capital, apenas outras 13 cidades do Brasil foram escolhidas como sedes da pesquisa.

“Nós últimos anos Campo Grande tem chamado a atenção nacionalmente por ter conseguir avançar em várias frentes em tão pouco tempo. Essa articulação que resultou na reestruturação dos serviços serve de exemplo para os outros municípios do país. Por isso a importância de iniciarmos os trabalhos por aqui.  Tendo resultados positivos com certeza servirá de modelo para as demais”, pontuou.

Conforme o pesquisador, o IFBr é um projeto de validação de uma escala de valor ativo para identificar se as pessoas têm ou não deficiência e se é de grau leva, moderada ou grave. O resultado deve trazer benefícios na assistência prestada a este público.

“A ideia é através deste instrumento único de avaliação ter todo o diagnóstico em relação ao histórico da pessoa. O cadastro desta pessoa ficará numa base de dados nacional em Brasília da maneira que essa pessoa não precisará passar por um monte de consultórios e especialistas se ela já foi avaliada uma única vez. Isso de certa forma otimiza os resultados”, disse.

O cadastro deve servir ainda de base para composição de 26 políticas públicas hoje existentes em todo o país que vão desde benefícios assistenciais até o Instituto Nacional de Seguridade Social (NSS).

A fase de coleta de dados deve se estender até dezembro deste ao e o resultado final, avaliação e publicação da pesquisa devem ocorrem somente em dezembro de 2019. Em todo o país serão mais de 7 mil pessoas entrevistadas.

IFBr

O Índice de Funcionalidade Brasileiro (IFBr) é um instrumento de avaliação e mensuração da deficiência que está em fase de validação para uso pelas políticas públicas brasileiras, de acordo com o preconizado pela Lei n. 13.146, de 06 de julho de 2015 (Lei Brasileira de Inclusão). Trata-se de uma escala com domínios e atividades formuladas com base na Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF).

Dessa forma, pretende-se realizar tais validações por meio da pesquisa de Implementação do Modelo Único de avaliação e valoração da deficiência: uma análise do processo de validação do Índice de Funcionalidade Brasileiro (IFBr) pelas políticas sociais brasileiras, de responsabilidade da pesquisadora Lívia Barbosa, do Departamento de Serviço Social


Voltar


Comente sobre essa publicação...