Semana On

Quinta-Feira 22.ago.2019

Ano VII - Nº 359

Coluna

Ilha mais popular das Filipinas é reaberta para teste turístico

Local foi fechado por seis meses para conter poluição; reabertura oficial acontecerá no dia 26

Postado em 24 de Outubro de 2018 - Folha de SP

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A ilha de Boracay, nas Filipinas, esteve fechada ao turismo durante seis meses para uma reabilitação profunda. Agora, antes da reabertura oficial, um grupo de pessoas foi convidado a testar as novas infraestruturas desse popular destino de férias.

Em abril, Rodrigo Duterte, presidente das Filipinas, anunciou o fechamento da ilha para conter a poluição. Depois de seis meses de limpeza e restruturação, o Departamento de Turismo das Filipinas anunciou que este popular destino iria abrir novamente ao público, no final do mês de outubro.

A poucos dias da reabertura oficial (com data marcada para dia 26 de outubro), os responsáveis pelo turismo local decidiram convidar um pequeno grupo de moradores, empresários e turistas para testar as novas instalações de Boracay.

De acordo com a CNN Travel, durante o período de reabilitação, todas as praias de Boracay passaram por uma limpeza e remodelação, mas as estradas da ilha ainda precisam de mais obras antes da chegada em massa de turistas.

Segundo a publicação, a reabilitação completa pode levar até dois anos.

A recuperaçãode Boracay —uma ilha com apenas quatro quilômetros de extensão e cerca de 1,6 quilômetro de largura—  trouxe também um leque de restrições, como a proibição de plástico descartável.

"A ilha deve ser um modelo de turismo sustentável", afirmou Romulo-Puyat.

"Podemos fazer de Boracay um dos destinos turísticos mais prestigiados do mundo", acrescentou Eduardo Año, secretário do Interior e do Governo Local.

De acordo com a CNN Travel, os moradores de Boracay aguardam ansiosamente pela reabertura da ilha, pois a subsistência da maioria depende dos lucros do turismo.

Boracay é visitada por quase 2 milhões de pessoas anualmente. Em 2017, o faturamento foi de US$ 1 bilhão (R$ 3,3 bilhões).

No início deste mês de outubro, a Tailândia decidiu manter a proibição de turistas na praia de Maya Bay (cenário do filme "A Praia"), nas ilhas tailandesas Phi Phi, que deixou de receber barcos com visitantes em junho para permitir que os recifes de corais na região se regenerassem.


Voltar


Comente sobre essa publicação...