Semana On

Quarta-Feira 21.nov.2018

Ano VII - Nº 328

Super Banner na capa e em toda a revista

Auau Miau

Obesidade em pet é fator de risco para doenças e pode causar até problemas ortopédicos

Sedentarismo e redução do espaço doméstico contribuem para o ganho de peso

Postado em 23 de Outubro de 2018   - Lívia Marra – Bom pra Cachorro

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Obesidade não atinge apenas seres humanos. Animais de estimação também são afetados por alimentação irregular e estilo de vida —dos tutores, inclusive.

Sedentarismo e redução do espaço doméstico —e para lazer— contribuem para o ganho de peso.

A obesidade é considerada fator de risco para doenças metabólicas e acarreta problemas ortopédicos e dificuldades respiratórias –nesse caso, principalmente em animais de focinho achatado.

“A obesidade em gatos e cães é uma doença de ampla importância e com prevalência cada vez maior. O excesso de peso nos pets representa grande fator de risco para outras doenças, principalmente as metabólicas. Estudos demonstram que pets com o peso ideal apresentam maior qualidade e expectativa de vida”, afirma Larissa Lima, coordenadora de Comunicação Científica da Royal Canin.

O problema é que nem todos os tutores reconhecem quando o animal fofinho está acima do peso.

“Os tutores precisam primeiro aceitar a condição de que seus pets estão com sobrepeso ou obesos para que o tratamento de fato seja bem-sucedido. Além disso, muitas vezes a mudança no estilo de vida do tutor impacta na vida de seus animais de estimação, tanto para o ganho de peso, quando há uma dieta irregular associada à carência de atividades físicas, como para uma vida saudável e feliz quando essas condições são respeitadas e seguidas à risca”, diz, por meio da marca de alimentos, Viviani De Marco, médica-veterinária e presidente da Abev (Associação Brasileira de Endocrinologia Veterinária).

Segundo ela, o próprio tutor pode identificar, com o toque dos dedos, quando o bichinho está obeso: “É possível entender quando o gato ou cão está fora do peso quando não é possível sentir as costelas dele ao apalpá-lo. Em alguns casos, apenas com o contato visual em uma determinada posição já é possível identificar o sobrepeso.”

Animais idosos e de meia idade estão mais predispostos ao ganho de peso. Por isso, os cuidados com nutrição e saúde devem ser contínuos.


Voltar


Comente sobre essa publicação...