Semana On

Quarta-Feira 21.ago.2019

Ano VII - Nº 359

Mato Grosso do Sul

Odilon Júnior reuniu-se com Puccinelli na cadeia após 1º turno

Apoio do MDB ao candidato Odilon foi anunciado logo depois da visita

Postado em 16 de Outubro de 2018 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Ata de controle de entrada do Centro de Triagem de Campo Grande mostra que o filho do candidato a governador pelo PDT Odilon de Oliveira, o vereador Odilon de Oliveira Júnior, reuniu-se com o ex-governador e hoje presidiário André Puccinelli logo após o final do primeiro turno da eleição. Depois do encontro, coincidentemente lideranças emedebistas anunciaram apoio à candidatura do juiz aposentado.

Essa é mais uma contradição em que se mete o juiz Odilon de Oliveira, que mesmo antes de lançar sua candidatura – e ainda hoje – tem no combate à corrupção e aos corruptos o mote principal de sua campanha. A visita a André Puccinelli, que está preso desde o dia 20 de julho, ocorreu no início da semana passada. Odilon Júnior estava acompanhado do advogado Luiz Pedro gomes Guimarães, denunciado na Operação Coffee Break, que investiga a suposta compra de votos de vereadores no processo de cassação do então prefeito de Campo grande Alcides Bernal, em 2014.

Odilon Júnior e Luiz Pedro se identificaram como advogados “para falar com o interno André Puccinelli”, conforme registraram os agentes penitenciários na ata de controle de entrada do Centro de Triagem de Campo Grande.

Ao ser indagado pelo site Campo Grande News, o juiz aposentado Odilon de Oliveira disse que seu filho foi colega de faculdade de André Puccinelli Júnior, também advogado, ao justificar a visita, que por coincidência aconteceu logo após o primeiro turno da eleição e algumas horas antes de o magistrado receber apoio formal do MDB à sua candidatura.

Na verdade, Odilon de Oliveira Júnior cursou Direito na Uniderp no período de 2002 a 2006, enquanto que André Puccinelli Júnior frequentou a UCDB no período de 1994 a 1999.

Contradição

Há algumas semanas, ao ser indagado pela imprensa a respeito de sua opinião sobre o MDB, Odilon de Oliveira disse que “nosso projeto é incompatível com o MDB, que está sendo acusado no Brasil inteiro e tem até um nome: quadrilha do MDB. Quem diz isso é a televisão nacional. Então, efetivamente essa mancha é lançada sobre todos os candidatos do MDB que estejam respondendo a inquérito ou a processo por corrupção”.

No entanto, isso não impediu que o juiz aposentado aceitasse formalmente o apoio dos emedebistas, formalizado logo após o primeiro turno.


Voltar


Comente sobre essa publicação...