Semana On

Quinta-Feira 22.ago.2019

Ano VII - Nº 359

Coluna

Bolsonaro deseja boa sorte a Reinaldo no 2º turno

As notícias que fizeram a semana política em MS, com Marco Eusébio

Postado em 10 de Outubro de 2018 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Em vídeo ao lado da deputada federal Tereza Cristina (DEM-MS), líder da bancada da Agropecuária no Congresso, Jair Bolsonaro (PSL) externou seu apoio à candidatura do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) em MS.

"Reinaldo foi meu colega de parlamento por muito tempo, nos demos muito bem, eu quero agradecer a expressiva votação em Mato Grosso do Sul, já morei por três anos em Nioaque, uma cidadezinha pequena, mas muito hospitaleira, e desejar a você, Reinaldo, boa sorte, agora no segundo turno, e agradecer mais uma vez o seu apoio à nossa candidatura a presidente da República", disse Bolsonaro.

Veja o vídeo postado no perfil de Azambuja no Facebook.

Juiz Odilon, do PDT, apoia Bolsonaro

Embora a cúpula nacional do PDT tenha anunciado apoio a Fernando Haddad (PT), o candidato da sigla ao governo de Mato Grosso do Sul, juiz Odilon de Oliveira, declarou hoje que apoia a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) neste segundo turnos das eleições presidenciais.

"O Ciro, o Lupi, decidiram em Brasília que vão apoiar o outro candidato [Haddad], mas independentemente de terem deixado ou não livre os estados, eu já tinha tomado minha decisão e avisei hoje cedo o Schimidt, o presidente regional do PDT [Dagoberto Nogueira], que eu iria anunciar às 5h da tarde o meu apoio a Jair Bolsonaro", disse o juiz em ato na sede do MDB que confirmou apoio à sua candidatura, mas, conforme o deputado Júnior Mochi, deixou "livre" os filiados para votar em quem quiser.

"Se alguém quiser apoiar o Azambuja, não terá problema", afirmou o deputado estadual. Na ocasião, também foi anunciado que o vereador Odilon Júnior, substitui João Leite Schimidt na coordenação da campanha do juiz. Veja a declaração de Odilon em vídeo.

MDB de Mochi confirma apoio a Odilon

O MDB que ficou em terceiro lugar com Júnior Mochi no primeiro turno, decidiu apoiar a candidatura do juiz Odilon de Oliveira (PDT) neste segundo turno contra o governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

Fórum dos Servidores de MS apoia Odilon

O Fórum dos Servidores Públicos de MS que reúne sindicatos das várias categorias decidiu hoje manifestar apoio à candidatura do Juiz Odilon (PDT) ao governo neste segundo turno. Um dos coordenadores do fórum, o presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol-MS), Giancarlo Miranda, alega, entre outros motivos, que a decisão foi tomada por "falta de diálogo" da gestão do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) com os servidores e informa que um ato político será realizado na sede da entidade a partir das 18h de hoje no bairro José Abrão para a entrega da "Carta de Apoio" a Odilon.

Deputado do MDB com Azambuja

Indagado sobre quem apoia no segundo turno para o governo de MS após seu partido anunciar apoio ao juiz Odilon (PDT), o deputado estadual Eduardo Rocha, um dos três reeleitos da bancada emedebista, respondeu que está com o governador: – "Azambuja, 45. Dei apoio ao governo dele todo o mandato, sou líder. Acredito no projeto dele". Rocha informou que o deputado estadual Renato Câmara, igualmente reeleito, também apoia o tucano. Não conseguimos retorno de Renato. Consultado, o deputado estadual Márcio Fernandes respondeu: "Vou seguir a orientação do partido, vou de Odilon". Da bancada federal, os dois senadores do MDB, Moka e Simone Tebet, confirmaram apoio a Odilon.

Marquinhos segue com Azambuja e anuncia apoio a Bolsonaro no 2º turno

O prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), acompanhado de dirigentes estaduais da sigla, anunciou o apoio de seu partido a Jair Bolsonaro (PSL) neste segundo turno presidencial, depois de apoiar Geraldo Alckmin no primeiro turno; e reafirmou o apoio à reeleição do governador Reinaldo Azambuja (PSDB). Trad também comemorou a eleição um deputado federal pelo seu partido, seu irmão Fábio Trad, reeleito ao cargo, e de um deputado estadual, Londres Machado, que voltará à Assembleia em 2019.

Marun anuncia apoio a Bolsonaro

Depois de a direção nacional do MDB liberar hoje seus filiados neste segundo turno das eleições presidenciais, o ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo) declarou em nota que "como cidadão e líder político" vai apoiar Jair Bolsonaro (PSL) e vai recomendar "aos amigos e àqueles que me são próximos o voto no 17 no próximo dia 27/10".

Veja a íntegra da nota:

"Considerando que o MDB liberou seus filiados para votarem e manifestarem apoios em conformidade com as 'suas consciências', informo o que se segue:

1) Tenho divergências com Bolsonaro, em especial quanto a política externa.

2) Todavia, compactuo com ele teses como a valorização da família tradicional; a necessidade de um combate duro a violência; o direito de o cidadão possuir arma para a sua defesa, de sua família e do seu patrimônio; necessidade de valorização do patriotismo; necessidade do resgate do sentimento de respeito a autoridade; necessidade da alteração das regras que definem horários para determinadas programações nas TVs abertas; Redução da Maioridade Penal; e outras.

3) Vejo ampla sintonia no pensamento econômico até agora apresentado por sua equipe econômica e a agenda do nosso governo.

4) Votamos lado a lado em dois momentos importantes da história: eleição de Eduardo Cunha para a presidência da Câmara Federal e o Impeachment de Dilma.

5) Lutei muito, e certamente muito mais do que muitos, para que o PT fosse expulso do Poder.

6) O Governo Federal não terá candidato neste 2º turno e receberá respeitosamente o eleito para uma transição produtiva.

7) Não farei campanha neste 2º turno em função dos meus muitos afazeres no governo.

8) Todavia, como cidadão e líder político, apoiarei Bolsonaro e recomendarei aos amigos e àqueles que me são próximos o voto no 17 no próximo dia 28/10.

CARLOS MARUN"

Temer vai 'deixar saudades', diz Marun

Carlos Marun afirmou que a população vai ter saudades do governo de Michel Temer, após refletir sobre suas realizações. O comentário foi feito pelo ministro ao jornal O Globo, ontem, ao avaliar os memes com a hashtag #FicaTemer nas redes sociais após a definição do segundo turno presidencial com Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), candidatos com altos índices de rejeição. "O governo Temer é um governo positivo, que vai deixar saudades. Quando as pessoas refletirem sobre tudo, vai se ter saudades do governo Temer pelas muitas realizações que são características desse breve tempo de mandato", avaliou. Sobre o segundo turno, Marun disse que o MDB vai decidir nos próximos dias sua posição, e adiantou que irá defender que o partido libere seus filiados.

Picarelli diz que não se reelegeu por 'falta de dinheiro'

Na primeira sessão da Assembleia depois das eleições, o deputado estadual Maurício Picarelli (PSDB) usou a tribuna e lamentou não ter sido reeleito depois de 32 anos na casa onde está finalizando seu oitavo mandato. Picarelli atribuiu à falta de dinheiro o principal motivo de não conquistar o nono mandato.

"Faltou dinheiro. Você acha que com R$ 200 mil dá para fazer campanha? Contra milhões e milhões? O pessoal falou muito em renovação, então acreditaram, de certo, me associaram à velha política, pode ter certeza. Mas o Londres [Machado] voltou. Então é uma coisa que a gente não entende. É inexplicável", afirmou.

Também falou do "efeito Bolsonaro" que elegeu dois deputados estaduais. "Estive correndo para lá e para cá, fazendo o máximo, enfrentando o ‘efeito Bolsonaro’. Aliás, eu quero parabenizar o Capitão Contar e o Coronel David, eleitos pelo efeito. A gente sentia que o povo queria, não vou dizer renovação, mas uma mudança".

Por fim, conforme o site Midiamax, Picarelli admitiu disputar uma cadeira de vereador em Campo Grande.

CNJ decide afastar a presidente do TRE-MS

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu abrir processo disciplinar contra a desembargadora Tânia Garcia de Freitas Borges, presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS), que deverá ser afastada do cargo e das funções de desembargadora do Tribunal de Justiça (TJMS). A magistrada foi denunciada pelo Ministério Público por usar carro oficial e escolta para buscar o filho Breno Fernando Solon Borges, acusado de tráfico e posse ilegal de arma fogo, no presídio de Três Lagoas, e interná-lo em clínica psiquiátrica. Em junho, a 4ª Câmara Cível do TJMS arquivou o caso, que seguiu sob apuração do CNJ, onde está sob relatoria do corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins. (Com Correio do Estado) .


Voltar


Comente sobre essa publicação...