Semana On

Quinta-Feira 22.ago.2019

Ano VII - Nº 359

Poder

Brasileiros que conviveram com ex-mulher de Bolsonaro na Noruega confirmam que ela relatava ameaça

Ana Cristina Valle, que agora faz campanha para o capitão reformado, nega ameaça relatada pela Folha e documentada do Itamaraty

Postado em 29 de Setembro de 2018 - Thais Arbex - Folha de SP

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Cinco brasileiros que vivem na Noruega e conviveram com Ana Cristina Valle, ex-mulher de Jair Bolsonaro (PSL), confirmaram o relato que consta em documento oficial do Itamaraty, redigido em 2011.

O registro diplomático informa que ela afirmou ao vice-cônsul naquele país que havia sido ameaçada de morte pelo ex-marido e que por isso havia fugido do Brasil.

O caso foi revelado pelo jornal Folha de SP no dia 25. Logo após a publicação da reportagem, Ana Cristina divulgou vídeo nas redes sociais no qual negava ter falado sobre o assunto com a embaixada brasileira, rechaçava ter sido alvo de qualquer ameaça e defendia Jair Bolsonaro, atacando a imprensa. 

Dos cinco brasileiros que aceitaram falar com a reportagem, quatro disseram que só o fariam sob anonimato, com medo de represália. Uma decidiu se identificar. 

Simone Afonso ainda reside na Noruega e conta que conheceu Ana Cristina em 2009, quando ela deixou o Brasil. 

“Ela tentou asilo político aqui, o que foi negado pelo departamento de imigração local. Dizia que estava sendo ameaçada pelo ex-marido, o Jair Bolsonaro, que ele havia tirado a guarda do filho dela”, contou. 

“Todo mundo aqui em Oslo sabe que o discurso dela era: estou aqui por medo do meu ex-marido”, continuou. “E se você quiser, a gente pode fazer uma lista de pessoas daqui que sabem dessa história.”

As outras quatro testemunhas relatam o caso da mesma forma. Segundo elas, Ana Valle, como ela é conhecida por lá, chegou à Noruega muito fragilizada e se aproximou de um grupo de brasileiros. 

Segundo os relatos dos brasileiros, ela costumava repetir que a “minha cabeça vale R$ 50 mil”. Como não tinha fluência na língua local e falava com dificuldade o inglês, Ana dependia das pessoas que acabara de conhecer.

Simone Afonso contou que Ana chegou a morar na casa de um brasileiro em Oslo. Fernando Xavier, disse ela, teria alugado um quarto para a ex-mulher de Bolsonaro até que ela pudesse se estabelecer no país.

Em suas redes sociais, Xavier compartilhou a reportagem da Folha o dia 25. “Olha as verdades surgindo do teatro de vampiros!!!! (sic) Chegou ameaçada e ficou anos sem ver o filho!!!”, escreveu. “Eu sou testemunha e muitas outras pessoas da sociedade de Oslo!!!”

Uma das pessoas ouvidas pela reportagem disse que, em maio deste ano, Ana Cristina esteve no país afirmando que iria disputar uma vaga de deputada federal pelo Podemos.

Quando ainda morava no exterior, a ex-mulher de Bolsonaro contou aos brasileiros detalhes da disputa judicial que travou com o ex-marido pela guarda do filho do casal, Renan. 

Uma das pessoas com as quais a reportagem conversou disse ter enviado para Ana Cristina, no Brasil, a certidão de nascimento com a qual ela conseguiu tirar o filho do país sem a autorização de Bolsonaro —foi isso o que levou o deputado a mobilizar o Itamaraty.

A ex-mulher do presidenciável usou um documento antigo, anterior ao reconhecimento da paternidade. Nele, apenas seu nome constava como responsável pelo menino. Essa mesma pessoa diz que presenciou a ligação do vice-cônsul que consta no telegrama reservado arquivado no Itamaraty. 

Reações

O vídeo em que Ana Cristina Valle nega a ameaça de morte relatada ao Itamaraty e revelada pela Folha de SP está sendo compartilhado entre os brasileiros que conviveram com ela na Noruega. De acordo com os relatos, ninguém entende o apoio repentino ao ex-marido, de quem ela dizia que tinha medo. 

Muitos deles foram até as redes sociais dela para questioná-la. Dizem que quem conviveu com ela sabe do que chamam de história verdadeira. “Por que, de repente, ela está apoiando a candidatura?”, pergunta Simone Afonso. “Ninguém que é ameaçado de morte quer depois carregar o sobrenome dessa pessoa.”

Técnico de enfermagem e vivendo na Noruega há 13 anos, o brasileiro Fernando Xavier abrigou Ana Cristina Valle em sua casa.  Xavier tornou-se um dos melhores amigos da hoje candidata a deputada federal pelo Podemos e acompanhou de perto o período em que ela chegou à capital norueguesa, fugindo de uma ameaça de morte do Brasil. "Depois das coisas que ouvi e presenciei, realmente, não posso ter simpatia [por ele]..."

Xavier contou que conheceu Ana Cristina depois de ela ter rompido com um namorado norueguês. À procura de um lugar para morar, ela alugou um quarto na casa do brasileiro.  Xavier diz que, àquela época, Ana estava "muito abalada e fragilizada". Além das recentes separações, conta ele, ela sofria com a falta do filho —ela travava uma disputa judicial com Bolsonaro sobre a guarda do filho do casal, então com cerca de 12 anos.

“Tenho apreço por ela. Fico até imaginando como deve estar sendo difícil para ela ter que administrar toda essa confusão em torno da vida conjugal que ela teve com Bolsonaro e também a política.  Mas não posso compartilhar com essa simpatia e com essa defesa que ela faz dele porque, em respeito a ela, a uma pessoa que foi minha amiga, a Ana Valle, eu não consigo acreditar que ela o apoia.  Eu decidi expor minha opinião e até mesmo me afastar para dar um tempo para as coisas acontecerem para ela, na vida dela. Depois das coisas que ouvi e presenciei, realmente, não posso ter simpatia [por ele]...”, afirmou.

No vídeo publicado para rebater a reportagem, ela disse que estava indignada. “Venho aqui muito indignada desmentir a suja Folha de S.Paulo, que publica que o Jair me ameaçou de morte. Nunca.”

“Pai do meu filho, meu ex-marido. Ele é muito querido, por mim e por todos. Ele não tem essa índole”, ela disse. “Espero que vocês acreditem que essa mídia suja só quer denegrir a imagem dele, porque ele está em primeiro lugar nas pesquisas e assim vai ficar.”


Voltar


Comente sobre essa publicação...