Semana On

Sábado 24.ago.2019

Ano VII - Nº 360

Coluna

Como é cruel viver assim

O crime como solução para a frustração

Postado em 15 de Agosto de 2018 - Danilo Custódio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Julia Rezende iniciou no cinemão trabalhando em comédias comerciais sem muita profundidade. Escreveu e dirigiu Ponte Aérea (2015), Meu passado me condena (2015) e Um namorado para minha mulher (2016). Agora, em Como é cruel viver assim, promete equilibrar a comédia com a tragédia da vida, pontuando momentos memoráveis de seus personagens com situações cotidianas e principalmente na relação com pessoas à margem da sociedade, como a senhora sem braço que se esforça para vender um bolo para ganhar seu sustento, além do momento de saborear uma prato de comida simples ou mesmo o descaso com a higiene de uma lanchonete.

Como é cruel viver assim nos transporta para o que o ser humano tem de pior: sua frustração com relação as expectativas que a sociedade nos impõe. Partindo disso, explora o crime como solução para se alcançar a felicidade. E como brasileiro gosta de bandido, temos ai um prato bem saboroso. E a diretora até aproveita para nos conduzir – de maneira um tanto superficial, infelizmente – por questões essências de serem discutidas, como abuso familiar, violência em casa e traições conjugais. De qualquer forma, trata-se de uma bela obra produzida pelo nosso cinema. O filme estreia nessa semana no circuito comercial tupiniquim e chega com força graças a distribuição do O2. Bora se programar pra ver?

Cinema no MIS-MS

De terça a sexta da semana que vem (21 a 24/08), o Museu de Imagem e Som em Campo Grande apresentará a mostra Cinema e Psicanálise. As sessões acontecerão sempre as 19hs e vai rolar muitos filmes interessantes por lá. O MIS-MS fica no histórico prédio do antigo Fórum, localizado na av. Fernando Corrêa da Costa, 559 – terceiro andar. A programação é gratuita e sempre tá rolando sessões de cinema por lá. Fique ligado e compareça!

Festiva de Gramado

Nessa sexta (17) tem início um dos mais tradicionais festivais de cinema do país. A  46ª edição do Festival de Gramado exibirá dezenas de filmes que correm na disputa pelos tão cobiçados Kikitos, nome dado as estatuetas entregues aos premiados de cada categoria. Com curadoria desse ano fica por conta de Eva Piwowarski, Marcos Santuario e Rubens Ewald Filho e alguns filmes ganham destaque, como as cinebiografias Simonal e 10 Segundos Para Vencer; além dos dramas já exibidos e premiados em festivais internacionais Benzinho e Ferrugem. Chega mais no site oficial do evento e confira a programação completa.


Voltar


Comente sobre essa publicação...