Semana On

Terça-Feira 19.jan.2021

Ano IX - Nº 426

Coluna

Rotinas jornalísticas nas redações integradas

É incontestável o crescimento do acesso à informação por meio de dispositivos móveis.

Postado em 06 de Junho de 2014 - Gerson Martins

O ambiente das redações jornalísticas experimenta grandes e significativas mudanças nos últimos anos com o advento da internet e das tecnologias da informação. O ambiente das redações jornalísticas experimenta grandes e significativas mudanças nos últimos anos com o advento da internet e das tecnologias da informação.

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O ambiente das redações jornalísticas experimenta grandes e significativas mudanças nos últimos anos com o advento da internet e das tecnologias da informação. O jornal O Globo realizou modificações substantivas no processo de produção jornalística, em que busca integrar as redações do impresso e do cibermeio e altera os procedimentos de produção da noticia cotidiana. O Globo promoveu mudanças significativas no cronograma de trabalho e nas prioridades de apuração. Segundo informações do jornal, o cibermeio, ou seja, a versão digital terá prioridade sobre o impresso na divulgação de notícias mais ágeis e com foco em assuntos, fatos de interesse social, muito mais do que reportagens frias, de longo prazo. O jornal valoriza a versão internet e a coloca prioritariamente no processo de produção da notícia.

Este fato, num dos maiores jornais do país, sinaliza o futuro do jornalismo assim como coloca o impresso em segundo plano. É incontestável o crescimento do acesso à informação por meio de dispositivos móveis, smartphones e tabletes, e pelos computadores portáteis, cada vez mais acessíveis à população. Em ambientes coletivos é significativa a imagem de dezenas, centenas de pessoas a manipularem seus smartphones.

A decisão do O Globo também sinaliza o perfil profissional do jornalista que terá amplas oportunidades nos próximos anos. O novo jornalista deve dominar as técnicas de produção nos cibermeios, mais do que a televisão ou rádio, assim como no impresso, o jornalista do futuro deverá dominar a narrativa para os cibermeios, produzir e editar tanto vídeo como áudio. Fundamentalmente, a narrativa para o cibermeio está muito distante do impresso. Os recursos do ciberespaço são muito mais ricos para a compreensão da informação, pois reúne recursos que favorecem a contextualização da informação.

O jornalista do futuro deverá dominar a narrativa para os cibermeios, produzir e editar tanto vídeo como áudio.

O pesquisador português, João Canavilhas, em sua proposta de narrativa jornalística na forma de uma pirâmide deitada, destaca a importância do incremento da contextualização para um entendimento maior da informação e o ciberespaço é um ambiente que potencializa a narrativa e a compreensão da notícia, diz ele que é a forma mais adequada para escrever uma notícia para internet, o que provoca um alto índice de percepção, de compreensão e de satisfação com a leitura. Canavilhas destaca, em seu estudo, que a arquitetura da notícia deve apresentar um modelo que ofereça liberdade ao usuário, consumidor de notícias para realizar uma leitura mais pessoal. Nesta arquitetura, a informação se organiza horizontalmente de menos para mais informação sobre cada um dos elementos da notícia e é o usuário quem decide o que ler. Cada um criará sua própria notícia de acordo com duas necessidades de informação, mas também de acordo com as expectativas que tem em relação às características do meio, reorganiza a informação de uma forma individual e única, afirma Canavilhas, com a possibilidade de introduzir enlaces, links para mais informação.

Dominar o processo não quer dizer realiza-lo, mas entender como funciona. Sem qualquer dúvida, o novo jornalista deve dominar todo os modelos de narrativas multimídias. As novas rotinas jornalísticas, ao contrário, demandam mais profissionais, mas não aquele que domina estou ou aquele processo, mas o profissional que compreender e domina todos os processos, sem necessariamente ter que executa-los. Para haver competência jornalística em tempo de convergência e em tempos de redação integrada, o profissional deve conhecer todos os processos, todas os modelos de narrativas. Se o profissional jornalista compreender qual será o futuro do jornalismo, vai se preparar para dominar todas as ferramentas do ciberespaço. As rotinas se modificaram e é preciso que os jornalistas compreendam e dominem essa nova situação.


Voltar


Comente sobre essa publicação...