Semana On

Segunda-Feira 22.out.2018

Ano VII - Nº 325

Super Banner na capa e em toda a revista

Poder

Ciro diz que Temer vai para a cadeia

Pré-candidato disse que MDB é o único partido com quem descarta aliança e também fez críticas a Bolsonaro

Postado em 08 de Junho de 2018   - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Pré-candidato à Presidência da República, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) disse na quarta-feira (6) que o presidente Michel Temer será preso e que o MDB é o único partido com o qual descarta alianças. Ele também fez críticas ao deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), a quem chamou de tresloucado, boçal despreparado e câncer.

"Peguei um tempo em que estava em pleno comando da Câmara o Michel Temer e o Eduardo Cunha, batendo bola um com o outro para roubar a nação. Fui processado por ambos. Um já está na cadeia e o outro vai", afirmou em sabatina promovida pelo jornal Correio Braziliense.

Em seguida, elencando todos os governos de que Romero Jucá (MDB-RR) foi líder - de Fernando Henrique a Michel Temer-, ele afirmou que descartava aliança com o MDB. "Se deixar a porta aberta, vai vir abanando o rabo, mas está avisado que por esta porta não entra. Ladrão do PMDB vai me fazer oposição", disse Ciro Gomes.

Em entrevista após a sabatina, Ciro foi indagado sobre suas considerações sobre o MDB e disse haver exceções, citando alguns nomes. "O problema é essa hegemonia quadrilheira que tomou conta do país há muito tempo e que hoje está aí capitaneando o golpe, afirmou.

Logo em seguida, questionado sobre o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), foi irônico na resposta. "Tudo o que tinha a falar sobre isso acabei de falar. Outra pergunta."

O pré-candidato disse que o PSB é seu aliado preferencial - "Acendo uma vela todo dia para ver se dá certo" - e reafirmou descartar apenas o partido de Temer.

Outro alvo de Ciro Gomes foi Jair Bolsonaro, candidato que lidera todas as pesquisas em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não aparece.

Ciro afirmou que Bolsonaro "nunca administrou um boteco" e também não ofereceu ajuda ao seu estado, Rio de Janeiro, em questões de segurança pública, sua área de atuação.

O pré-candidato do PDT também ironizou as declarações do deputado que, mais cedo, na sabatina, afirmou que não tributar fortunas ou heranças. “O líder nas pesquisas falou hoje que não vai tributar fortuna nem herança. Se ele não vai, de onde virá o dinheiro para resolver o buraco das contas do Brasil?”, afirmou.

Seguindo a estratégia de polarizar com Bolsonaro, Ciro disse que o adversário é “um tresloucado, um boçal despreparado [que] desorienta o debate desta forma”. "Temos obrigação de extirpar este câncer enquanto ele pode ser extirpado", disse Ciro Gomes.


Voltar


Comente sobre essa publicação...