Semana On

Quinta-Feira 03.dez.2020

Ano IX - Nº 421

Coluna

MDB abre encontros em Campo Grande e pretende chegar a 50% do tempo de TV

As notícias que fizeram a semana política em MS, com Marco Eusébio

Postado em 18 de Maio de 2018 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Neste sábado (19), sob comando do pré-candidato e presidente da sigla André Puccinelli, o MDB lança em Campo Grande o programa "MS Maior e Melhor" de consultas à população para elaboração do plano de governo para a campanha eleitoral deste ano. O ato político a partir das 9h na sede campestre do Clube Nipo Brasileiro vai reunir lideranças da sigla e de partidos aliados. "Conversações estão adiantadas e devemos fechar de 12 a 14 partidos. O projeto é de que aliança atinja a metade do tempo de rádio e TV", disse ao Blog o presidente municipal da sigla, Ulisses Rocha, informando que o evento de sábado "é o primeiro de uma série de encontros que vamos realizar em todas as regiões da Capital".

Globo já tem data para debate em MS

A afiliada Globo já tem data para o debate dos candidatos ao Governo de Mato Grosso do Sul. Em reunião na TV Morena, representantes dos partidos foram informados que o debate está previsto para o dia 2 de outubro, a terça-feira que antecede a eleição do domingo, dia 7. Caso aconteça segundo turno no estado, o debate será no dia 25 de outubro.

Alckmin em Campo Grande e Corumbá

Geraldo Alckmin desembarca em Campo Grande no sábado da semana que vem, dia 26, para participar de um grande ato político do PSDB. Depois, o presidenciável tucano, ciceroneado pelo governador Reinaldo Azambuja, deverá estender a viagem até Corumbá para prestigiar a reta final do Festival América do Sul.

Juntos de novo?

A aliança ainda não é oficial, mas nos bastidores políticos de Campo Grande já é dado como praticamente certo o apoio do Progressistas (ex-PP) de Alcides Bernal ao projeto de reeleição do governador Reinaldo Azambuja (PSDB). Vale lembrar que Bernal já foi apoiado por Azambuja no segundo turno do pleito municipal de 2012 quando acabou eleito prefeito da Capital.

Ao completar dois anos no Senado, Pedro Chaves faz balanço positivo do mandato

O senador Pedro Chaves (PRB-MS) completou dois anos do mandato que assumiu com a cassação de Delcídio do Amaral, de quem era suplente, e fez um balanço produtivo de sua atuação no curto período para MS e o Brasil. Lembrou que destinou mais de R$ 93 milhões aos municípios do estado no período citou sua atuação em Brasília, que permitiu nesta semana o lançamento das obras do Reviva Centro, em Campo Grande, projeto há anos travado no Ministério da Fazenda. O senador também lembrou que foi relator de importantes projetos nacionais como a Reforma do Ensino Médio, a regulamentação de transporte por aplicativos como o Uber, e o que transfere à Justiça Militar o julgamento de atos de militares contra civis em ações de garantia da lei. "Como relator consegui ainda, a liberação de recursos para a construção da ponte bioceânica que ligará Porto Murtinho ao Paraguai e, também, a liberação do crédito especial de R$ 2 bilhões para municípios do estado, nas áreas da saúde, educação e desenvolvimento social", citou.

Na briga tucana com Geraldo, Miglioli percorre o interior de olho no Senado

Em meio à troca de farpas na imprensa com o deputado Geraldo Resende nesta semana aquecendo a briga interna no PSDB para ver quem será candidato da sigla ao Senado, o ex-secretário Marcelo Miglioli está gastando sola de sapato MS afora para se viabilizar. Seus apoiadores distribuíram uma série de convites na região da Serra da Bodoquena para ato do PSDB às 19h desta sexta no Usina Club, na cidade de Jardim, para "apresentação da pré-candidatura ao Senado do engenheiro".

Projeto que obriga notificação de casos de câncer vai ao plenário do Senado

Projeto de lei que torna obrigatório o registro e notificação de casos de câncer e malformações congênitas pelos serviços de saúde públicos e privados foi aprovado hoje na Comissão de Assuntos Sociais do Senado (CAS) e enviado para o plenário com pedido de votação de urgência. Relator do projeto, Waldemir Moka (MDB-MS) alerta que a medida é importante, uma vez que o câncer é responsável por 15% dos óbitos anuais no país. O senador destacou a necessidade de políticas públicas voltadas ao rastreamento, tratamento e reabilitação da doença e disse informou que para isso é fundamental "boas fontes de informação". A deputada Carmen Zanotto (PPS-SC), autora do projeto, diz que a medida permitirá identificar os gargalos de assistência, diagnóstico, tratamento e prevenção da doença, bem como estabelecer dispositivos técnicos para o efetivo cumprimento da Lei dos Sessenta Dias.

Para governador de MS, senador Pedro Chaves está entre André e o juiz Odilon

Em meio às conversas sobre alianças para disputar a reeleição ao Senado, Pedro Chaves (PRB-MS) ainda não definiu quem vai apoiar para governador de Mato Grosso do Sul. Mas, embora seu partido continue comandando a Funtrab e a Defesa Civil no governo Azambuja (PSDB), o senador confirmou hoje ao Blog que está entre o ex-governador André Puccinelli (MDB) e o juiz aposentado Odilon de Oliveira (PDT). "Estou entre esses dois" disse Pedro Chaves, frisando que busca "mais espaço para o PRB". Ouça o áudio no ícone abaixo.


Voltar


Comente sobre essa publicação...