Semana On

Segunda-Feira 21.mai.2018

Ano VI - Nº 303

Super Banner na capa e em toda a revista

Campo Grande

Com compra de 55 mil lâmpadas, 53% da iluminação pública de Campo Grande será de LED

Prefeitura finaliza contratos para manter 21 equipes cuidando da iluminação pública na Capital

Postado em 10 de Maio de 2018   - Redação Semana On

Foi publicado no Diário Oficial de Campo Grande o aviso de licitação para o pregão eletrônico programado para o próximo dia 18, destinado ao registro de preços para aquisição de 55 mil lâmpadas de LED, que substituirão as fluorescentes.

Para a compra está previsto investimento de R$ 41,6 milhões, tomando como base o preço de referência. A meta é que ao final de 2019 53% das lâmpadas da rede de iluminação da cidade seja de LED, proporcionando uma economia média de 30%, levando em conta o consumo de energia e maior durabilidade em relação as fluorescentes. Atualmente, 40% dos 140 mil postes tem lâmpadas de LED, cobertura que vai dobrar, quando forem instaladas as lâmpadas adquiridas em 2016.

A atual gestão encontrou 16.126 lâmpadas estocadas no pátio da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos. Elas foram adquiridas em 2016, mas só em outubro do ano passado a Prefeitura recebeu autorização do Tribunal de Contas para instalação.

O TCE havia determinado a paralisação do contrato de R$ 20 milhões para compra de 20.367 lâmpadas. Deste contrato, já foram instaladas 10 mil lâmpadas, sendo 5.500 na atual gestão, atendendo corredores de ônibus, vias como a Ernesto Geisel e Fernando Correa da Costa.  Restam ainda 10 mil lâmpadas, das quais 600 vão melhorar a iluminação pública das avenidas Mato Grosso e Afonso Pena.

Equipes

Até o final da  semana, a Prefeitura planeja assinar os novos contratos com a Construtora JLC  Ltda e Construtora B & Ltda, empresas que  ganharam  a concorrência para fazer a manutenção da iluminação pública.

A partir da assinatura da  ordem de serviço,  o número de equipes vai passar de 9 para 21, com capacidade para instalar 8 mil lâmpadas por mês nas sete regiões urbanas da cidade.  Desde setembro, quando terminaram os contratos de cinco regiões urbanas, o trabalho ficou prejudicado.

A concorrência atraiu 10 empresas, o que reduziu em 29,07% o valor de referência, de R$ 15.686.676,60 para R$ 11.125.627,50, projetando uma economia de R$ 4.561.049,50 ao longo dos 12 meses de vigência dos contratos.

O certame, iniciado em setembro do ano passado,  sofreu interrupção para adequações no edital cobradas pelo Tribunal de Contas  e retardamento provocados por  recursos judiciais dos participantes.

Segundo a Prefeitura, o resultado foi divulgado dia 13 março, mas novos recursos (no âmbito administrativo) retardaram a conclusão do processo por mais dois meses.


Voltar


Comente sobre essa publicação...