Semana On

Sábado 19.out.2019

Ano VIII - Nº 368

Legislativo

Amarildo Cruz solicita ao MPE que apure eventual irregularidade cometida pelo Imasul

Instituto teria liberado devastação ambiental em 20,5 mil hectares da Fazenda Santa Mônica

Postado em 26 de Abril de 2018 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Após veiculação de reportagem do jornal Correio do Estado a respeito da possibilidade de haver desmatamento na região do Pantanal com o aval do Instituto do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), órgão responsável pela gestão ambiental no Estado, o deputado estadual Amarildo Cruz encaminhou ao procurador-geral de Justiça, Paulo Cezar dos Passos, que apure eventuais irregularidades cometidas pela instituição estadual ao conceder autorização.

Segundo o parlamentar, ainda que haja a possibilidade de recursos contrários a decisão de liberar a devastação ambiental na região, é necessária que seja paralisada quaisquer atividades de retirada da mata até que tenha o julgamento do mérito.

Para Amarildo Cruz, o Imasul deve explicações por não cumprir uma série de ritos e de condicionantes necessárias para expedição dessa autorização.

“Estamos falando de uma área equivalente ao perímetro urbano da cidade de Campo Grande. Uma área enorme, que protege a fauna e flora dentro da região do Pantanal”, pontua o deputado estadual Amarildo Cruz.

Segundo a reportagem do Correio do estado, o Imasul liberou devastação ambiental em 20,5 mil hectares da Fazenda Santa Mônica, localizada na região do Paiaguás, banhada pelo Rio Piquiri, e a 40 quilômetros do Rio Taquari, ambos com problemas de assoreamento.


Voltar


Comente sobre essa publicação...