Semana On

Segunda-Feira 23.jul.2018

Ano VI - Nº 312

Parceiros

Auau Miau

Dez dicas para adotar um cãozinho

Brasil tem cerca de 20 milhões de cães abandonados

Postado em 11 de Abril de 2018   - Livia Marra – Bom pra cachorro

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Ter um cachorro em casa é conviver com um amor incondicional. Mas ter um animal de estimação implica dedicação e gastos.

Como um integrante da família, o bichinho precisa atenção, carinho e cuidados com alimentação, saúde e lazer.

O Brasil tem cerca de 30 milhões de animais abandonados, sendo 20 milhões de cães, segundo dados de 2014 da Organização Mundial da Saúde (OMS). Não há números oficiais mais recentes, mas protetores e ONGs sentem essa estatística engrossar. Por inúmeros motivos, animais são colocados para fora de suas casas diariamente —e alguns adotados, devolvidos aos abrigos.

Antes de adotar um amigão, é preciso avaliar, por exemplo, se ele se encaixa na rotina da família e se o tutor terá tempo suficiente para o bichinho.

As dicas abaixo sobre guarda responsável são da Pedigree, que mantém o programa Adotar é Tudo de Bom. A ação, que completa dez anos neste ano, já ajudou quase 63 mil animais a ganharem um lar no país.

Confira:

⁃ Pesquise e cheque se o animal é compatível com o estilo de vida da família;

⁃ Se a casa é pequena, o ideal é que o animal também seja de pequeno porte. Cães grandes podem ter problemas de adaptação em ambientes pequenos.

⁃ Um animal vive, em média 12 anos. Antes de adotar, converse com a família para verificar se há recursos para mantê-lo e como cuidar dele nas ferias ou feriados prolongados.

⁃ Caso tenha outros cães em casa, o novo morador deve ser apresentado de forma gradual. Fique sempre atento à convivência.

⁃ Mantenha o animal sempre dentro de casa, jamais solto na rua. Na do passeio, leve-o com uma coleira que contenha a plaquinha de identificação.

⁃ Castre machos e fêmeas e evite as ninhadas indesejadas.

⁃ Todo pet precisa de alimentação de qualidade, que leve em conta suas necessidades, e muita água fresca e limpa.

⁃ Cuide da saúde física do animal. Forneça abrigo, alimento, vacinas e leve-o regularmente ao veterinário. Isso incluem ainda banhos, escovação do pelo e exercícios.

⁃ Zele também por sua saúde psicológica. Dê atenção, carinho, ambiente adequado e reserve um momento do dia para as brincadeiras.

⁃ Avalie levar um idosinha para casa. Cães adultos também se adaptam com facilidade às mudanças e tem condições de oferecer e receber muito carinho.


Voltar


Comente sobre essa publicação...