Semana On

Segunda-Feira 15.out.2018

Ano VII - Nº 324

Governo

Auau Miau

Falta de apetite e vômitos podem ser sintomas de doença renal em pets

Se o problema for detectado no início, as chances de o tratamento ser bem sucedido são maiores

Postado em 28 de Março de 2018   - Lívia Marra – Bom pra cachorro

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Falta de apetite, apatia, vômitos, emagrecimento, desidratação, alteração no volume de urina, sede excessiva e hálito forte podem ser sinais de doenças renais em pets.

Se o problema for detectado no início, as chances de o tratamento ser bem sucedido são maiores. Porém, animais idosos estão também mais sujeitos ao desgaste natural dos órgãos, e a doença  pode atingir o nível crônico.

É o caso da DRC (Doença Renal Crônica), alteração degenerativa de um ou dos dois rins, que não tem cura. Porém, há tratamento, que alivia os sintomas e controla a progressão da doença. Isso inclui administração de soro e dieta adequada.

Especialistas dizem que os problemas renais são mais frequentes em animais com mais de seis anos; e que pets acima de 10 anos têm 81% de chance de apresentar algum sintoma.

No entanto, além da idade, as causas podem envolver, entre outras, inflamações, parasitas, doenças congênitas e traumas.

Exames preventivos e idas regulares ao veterinário são importantes, já que coloração e odor do xixi, por exemplo, nem sempre dão pistas de que algo não está bem. Além disso, os sintomas podem ser confundidos com outras doenças.

Quanto mais cedo for diagnosticado o problema, maior a possibilidade de elevar a expectativa de vida.

De acordo com especialistas, as doenças renais estão entre as que mais atingem –e provocam mortes– de cães e gatos.

“Na maioria das vezes, o diagnóstico é realizado tardiamente. Um gato com Doença Renal Crônica, por exemplo, costuma apresentar sintomas quando pelo menos 75% dos seus rins já estão sem funcionar”, afirma Eduardo Zaneli, coordenador da Comunicação Cientifica da Royal Canin Brasil.

Segundo a marca, as raças de cães mais propensas a desenvolver a doença são  beagle, bull terrier, chow chow, cocker, pinscher, pastor alemão, lhasa apso, shih tzu, maltês, schnauzer, daschund, sharpei e poodle. Nos gatos, maine coon, abissinio, siamês, russian blue e persa.

Segundo a Petz, hábitos saudáveis podem ajudar a prevenir doenças também nos pets.

Entre algumas medidas estão: oferecer dieta balanceada e adequada à idade e porte do animal, disponibilizar água limpa e fresca ao longo do dia, fazer controle de pulgas e carrapatos e manter a vacinação em dia.

Março é conhecido como o mês internacional de alerta e cuidado com doenças renais – o chamado março amarelo. Fique de olho no seu bichinho!


Voltar


Comente sobre essa publicação...