Semana On

Sexta-Feira 05.mar.2021

Ano IX - Nº 433

Coluna

TJ tira André da mira da Coffee Break

As notícias que fizeram a semana política em MS, com Marco Eusébio

Postado em 23 de Março de 2018 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Por unanimidade, desembargadores da 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS) seguiram voto do desembargador relator Sérgio Martins, acataram recurso da defesa e excluíram o ex-govenardor André Puccinelli (MDB) do rol de investigados da Coffee Break, operação que apurou esquema envolvendo políticos e empresários de Campo Grande para cassar o ex-prefeito Alcides Bernal (PP) pela Câmara dos Vereadores. "Não foi atribuída a ele a prática de nenhum ato administrativo. Ele era governador, não tinha gerência pelo julgamento da Câmara", argumentou o advogado Vladimir Rossi Lourenço, que integrou a defesa. As acusações contra ele ficaram restritas ao âmbito da atuação política", disse Vladimir Rossi.

Dagoberto diz que Gilmar Mendes 'envergonha o Brasil e o Supremo'

Após novo bate-boca ao vivo no Supremo, em que o ministro Luís Roberto Barrosso disse que Gilmar Mendes está "sempre atrás de algum interesse que não é o da Justiça" (veja aqui), o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT-MS) declarou que foi muito "grave o episódio", afirmou ser "público e notório" que Gilmar Mendes defende interesses "do Aécio, do Michel Temer, do Beto Richa" e envergonha "o País e o STF". "Só no ano passado foram seis pedidos de impeachment dele, um deles com mais de dois milhões de assinaturas. Ou seja, O brasil tá indignado com a conduta desse ministro. Nós temos que tomar uma providência. E tem que começar aqui pela Câmara", declarou Dagoberto.

No Dia da Síndrome de Down, Kemp repudia desembargadora do Rio

No Dia Internacional da Síndrome de Down, o deputado Pedro Kemp (PT) apresentou na Assembleia moção de repúdio à desembargadora Marília Castro Neves, do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) por suas declarações discriminatórias nas redes sociais que, frisou o parlamentar, incitam o ódio e reforçam a violência. A magistrada criticou a notícia de que o Brasil é o primeiro país a ter uma professora portadora de síndrome de down: "Aí me perguntei: o que será que essa professora ensina a quem?".

Como resposta, Debora Seabra, de 36 anos, primeira educadora com síndrome de down do Brasil, de Natal (RN), escreveu uma carta à mão afirmando não querer “bater-boca” com Marília. “Eu ensino muitas coisas às crianças. A principal é que elas sejam educadas, tenham respeito às outras. Aceitem as diferenças de cada uma. Ajudem a quem precisa mais (...). O que eu acho mais importante de tudo isso é ensinar a incluir as crianças e todo mundo pra acabar com o preconceito porque é crime. Quem discrimina é criminoso".

Citando a carta, Kemp disse que a professora deu "uma aula de cidadania à desembargadora" que, lembrou, ficou conhecida por mensagens polêmicas nas redes sociais, como quando disse que a vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada neste mês no Rio, seria "engajada com bandidos" e defendendo "paredão" para executar o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ). "Fiquei estarrecido quando li e assisti o telejornal sobre as declarações dessa desembargadora que não poderia permanecer nem um minuto mais no cargo de desembargadora no TJ do RJ, um Estado tão sofrido, tão prejudicado por conta da violência", disse Kemp, que ouviu apartes favoráveis, como o do deputado Barbosinha (PSB).

Lembrado para o Governo, Coronel David mantém a mira na Assembleia

Embora sem se colocar como pré-candidato tenha ficado só atrás dos três principais cotados ao Governo de MS – o juiz Odilon de Oliveira, o ex-governador André Puccinelli e o atual governador Reinaldo Azambuja – em pesquisa divulgada no fim de semana passado (veja mais abaixo), Coronel David (PSC) mantém seu plano de voltar a disputar uma cadeira de deputado estadual nas eleições deste ano. O ex-deputado apoiador de Jair Bolsonaro admite, entretanto, trocar de planos caso o cenário venha a mudar. "Sou candidato a deputado estadual, mas na pesquisa para governo continuo subindo na preferência dos eleitores. Só mudo de disputa se caso a subida nas pesquisas pra governo continuarem e se o partido entender que somos um nome viável e competitivo", afirmou David.

Marquinhos foi mais um a ter o Whatsapp clonado

Depois do ministro Carlos Marun (MDB) e do deputado federal tucano Geraldo Resende (leia abaixo), o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD) publicou um alerta no Facebook avisando que também foi vítima de clonagem no Whatsapp e que seu perfil está sendo usado por golpistas para solicitar depósitos bancários aos contatos. "Por favor, fiquem atentos e desconsiderem essas falsas mensagens. Já estamos tomando as medidas legais para identificar os responsáveis", diz o prefeito. Marquinhos foi avisado do golpe pelo assessor Pitu, que recebeu mensagem pedindo depósito, ficou desconfiado e perguntou: "Que time o senhor torce?". O hacker respondeu: "Corinthians". Pitu então avisou ao prefeito vascaíno sobre a tentativa de extorsão.

Geraldo Resende clonado também

A bancada federal de MS virou alvo dos hackers. Depois de o ministro Carlos Marun (MDB) ter o celular clonado por gente que chegou a pedir R$ 6 mil reais ao deputado federal Elizeu Dionízio (PSDB-MS) via Whatsapp, o deputado federal Geraldo Resende (PSDB) também caiu no golpe. A assessoria do tucano enviou mensagem aos seus contatos no Whatsapp avisando que o seu celular também foi clonado e está sendo usado para pedir dinheiro pelo aplicativo. Geraldo disse que já está tomando as medidas cabíveis junto à operadora Vivo e à polícia.

Funcionária 'fantasma' leva juíza a afastar presidente da Câmara de Água Clara

A juíza substituta Thielly Dias de Alencar Pithan e Silva, de Água Clara, afastou o vereador Vicente Amaro de Souza Neto (PDT) do mandato e da presidência da Câmara da cidade distante 193 km de Campo Grande, alvo da Operação Fantasma deflagrada pelo Ministério Público Estadual. O vereador é acusado pelo MP de contratação de funcionária "fantasma" e peculato. A 1ª vice-presidente Simone Oliveira Batista (PEN), a Xucra, assumiu a presidência do Legislativo. A cadeira do vereador afastado deve ser preenchida dentro de 30 dias pela suplente Ambrósia de Oliveira Gomes (PT), a Nega da Mangaba.

Vicente está proibido de se aproximar de funcionários ouvidos na investigação e das demais testemunhas. Conforme a denúncia, no início de 2017 ele nomeou uma assessora jurídica com salário de R$ 7,3 mil. Embora não prestasse serviços, a mulher recebeu os salários normalmente, chegou a tirar três meses de licença maternidade no fim do ano passado e só foi exonerada em fevereiro deste ano, informa o site G1-MS.

Adversário de Ciro Gomes, Álvaro Dias confirma apoio a Odilon em MS

Com a presença do senador e presidenciável Álvaro Dias, dirigentes nacionais e estaduais do Podemos confirmaram o apoio à pré-candidatura do juiz Odilon de Oliveira (PDT) ao governo de Mato Grosso do Sul que deverá ter o pecuarista Chico Maia (Podemos) disputando o Senado em sua chapa. Embora os dois partidos tenham candidatura própria à Presidência – ele pelo Podemos e Ciro Gomes pelo PDT – Álvaro Dias não colocou obstáculos à união regional. "Eu vim aqui manifestar o meu apoio à união do PDT com o Podemos. Precisamos de Chico Maia no Senado e do Juiz Odilon no governo de Mato Grosso do Sul”, disse o senador paranaense em evento na sede da Acrissul, em Campo Grande, que teve Odilon de Oliveira como principal convidado.

Zeca e Pedro, uma inusitada 'dobradinha'

Dois pré-candidatos ao Senado, supostamente adversários, se tratando como aliados. O clima amistoso do deputado federal Zeca do PT com o senador Pedro Chaves (PRB) chamou a atenção durante as comemorações dos 54 anos da cidade de Antônio João, no sábado passado. Teve até churrasco de confraternização. O presidente estadual do PT, inclusive, chamou Pedro Chaves para percorrerem juntos o estado na caminhada eleitoral deste ano. "São duas vagas para senador nessas eleições, então porque não, eu e o Pedro? É uma possibilidade", citou. Indagado sobre essa inusitada parceria, Zeca reforçou ontem aqui ao Blog: – "Falei sim. Até porque se são duas vagas e se deve trabalhar com todas as hipóteses. Além do que, pessoalmente gosto e respeito o Professor Pedro Chaves". A propósito, vale citar que as presenças do deputado federal Vander Loubet (PT) e do deputado estadual Enelvo Felini (PSDB) nos eventos promovidos pela prefeita Márcia Marques (MDB) em Antônio João.

Partilha de recursos para campanha gera racha no PT

Na primeira eleição sem doações de empresas, a disputa por dinheiro do fundo eleitoral provoca um "racha" no PT, diz O Globo. Resolução do partido aprovada na semana passada, estabelece que a campanha de Lula à Presidência e as de deputado federal (principalmente candidatos à reeleição e outros com viabilidade eleitoral) terão prioridade na distribuição dos recursos, estimados em R$ 210 milhões. Candidatos ao Senado ficam em terceiro e os candidatos a cadeiras de governador e de deputado estadual estão no fim da lista.

O foco na Câmara é estratégico: mais deputados federais significa mais tempo de TV e mais recursos dos fundos partidário e eleitoral. "A prioridade para a campanha do presidente Lula ninguém contesta. O problema é deixar os governadores e deputados estaduais de lado. Temos 150 deputados estaduais, que são fundamentais para levar o partido aos pequenos municípios. O PT pode perder penetração nesses locais", diz o secretário-geral do PT, Romênio Pereira, um dos que votou contra a resolução, aprovada na Executiva por 17 votos a 2.

Em Mato Grosso do Sul, o advogado e ex-BBB Ilmar Renato Fonseca, o Mamão, é um dos pré-candidatos a deputado federal que estaria incluído nessa lista dos "com viabilidade eleitoral", com apoio de Romênio e de outros integrantes do Diretório Nacional do PT. Indagado se não pode ter recursos cortados pelo Diretório Estadual do partido, Mamão disse o seguinte: "Não, porque a transferência vem através de repasse do Diretório Nacional e hoje estou também como uma das prioridades aqui na direção regional do partido".

Pesquisa aponta Odilon, André e Azambuja em empate técnico para o Governo de MS

Pesquisa da Ranking Comunicação aponta empate técnico pela margem de erro de 2,83 pontos percentuais para mais ou para menos dos três principais candidatos ao Governo de MS. Na espontânea, sem citar nomes ao eleitor, Odilon de Oliveira aparece na frente com 15,75%, seguido pelo ex-governador André Puccinelli (MDB) com 14,25% e do atual governador Reinaldo Azambuja (PSDB) com 13,58%. Na estimulada, com ficha de candidatos mostrada ao eleitor, Odilon também lidera com 22,75% seguido de André (20,16%) e de Azambuja (18,75%). Depois deles, o principal citado é o ex-deputado Coronel David (PSC). No quesito rejeição, André lidera com 26,75% seguido de Bernal com 17,75%, Azambuja 13,66% e Odilon aparece em 4º com 4,00%. Conforme o site, a pesquisa ouviu 1.200 eleitores dos 79 municípios de MS no período de 11 a 15 deste mês e foi registrada no TRE-MS com nº MS-09695/2018 e no TSE com o nº 03086/2018.

Pesquisa para deputado estadual de MS

A imagem acima mostra os 42 nomes mais citados em pesquisa espontânea (sem mostrar nomes ao eleitor) de intenção de voto para as 24 cadeiras de deputado estadual da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, feita pela Ranking Comunicação.

Pesquisa para deputado federal por MS

A imagem acima mostra os 41 nomes mais citados em pesquisa espontânea (sem citar nomes ao eleitor) de intenção de voto para as oito cadeiras de Mato Grosso do Sul na Câmara dos Deputados, feita pela Ranking Comunicação e Pesquisas.

Pesquisa mostra Bolsonaro disparado em MS na frente de Lula para a Presidência

Pesquisa da Ranking Comunicação aponta o deputado Jair Bolsonaro (RJ) disparado na preferência do eleitor de Mato Grosso do Sul para a Presidência da República, com mais do que o dobro dos índices de intenção de voto do segundo colocado, o ex-presidente Lula. Na estimulada (com nomes apresentados ao eleitor), Bolsonaro tem 37,33% e Lula 18,00%. Na espontânea (sem mostrar nomes ao eleitor), Bolsonaro também lidera com 33,00% e Lula 15,41%. No quesito rejeição, Lula lidera em MS com 43,50%. O senador Fernando Collor aparece em segundo com 10,83% e Bolsonaro em terceiro com 10,25%. A pesquisa foi reproduzida por Bolsonaro no Twitter.

 


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Publicidade