Semana On

Quinta-Feira 13.dez.2018

Ano VII - Nº 331

Camara

Legislativo

Deputados lamentam fala equivocada de Salineiro sobre manifestação de indígenas

Vereador se desculpa e Câmara assinará Termo de Cooperação

Postado em 09 de Março de 2018   - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O deputado estadual Pedro Kemp (PT), vice-líder do partido na Casa de Leis, ocupou a tribuna para criticar a declaração feita no último dia 6 pelo vereador André Salineiro (PSDB), da Câmara Municipal de Campo Grande, sobre o protesto organizado dos indígenas na BR-163 entre as cidades de Campo Grande e Jaraguari, no Estado. “Foi um comentário desastroso e infeliz. Quando ele diz ‘vai ter que apanhar’ em relação aos indígenas não está respeitando o direito de manifestação garantido pela Constituição Federal”, declarou.

Pedro Kemp explicou os motivos do bloqueio da estrada. “Os indígenas estavam apenas reivindicando melhores condições no atendimento à saúde nas aldeias. O vereador, antes de falar algo tão contundente, deveria conhecer a realidade dos índios. Esse tipo de discurso deve ser repudiado veementemente. Se esta atitude que incita a violência resolvesse o problema, a Síria seria o céu”, considerou.

O deputado estadual Zé Teixeira (DEM), 1º secretário da Casa de Leis, também analisou o assunto abordado. “A fala do vereador foi infeliz e aumenta a desunião que já existe entre os indígenas e a classe produtora. Também acredito que toda a violência é uma reação e os índios não fazem seus movimentos de forma exclusiva. Eles têm o direito de reivindicar, mas não de impedir o direito das pessoas de ir e vir, nem fazer destruição do patrimônio público. Os indígenas precisam mesmo é de uma atenção especial dos governantes, pois vivem em um estado de penúria. Não concordo com agressão, mas também não concordo com a baderna”, relatou.

O deputado Pedro Kemp falou sobre o direito às manifestações. “De um lado há o direito de manifestação, de outro o de ir e vir, o que sempre acontece nestas ocasiões é a polícia ir até o local para negociar com os manifestantes, como aconteceu neste caso, para liberar a rodovia. Todo direito tem que ser preservado dos dois lados, não podemos ter dois pesos e duas medidas no regime democrático”, afirmou.

Ao final de sua fala na tribuna, Kemp lembrou que Salineiro fez um pedido de desculpas na Câmara Municipal de Campo Grande na manhã de quinta-feira (8)

Após reunião com indígenas, Câmara se compromete a assinar Termo de Cooperação

Em reunião com uma comissão de indígenas na manhã da última quinta-feira (8), o presidente da Câmara Municipal de Campo Grande , Prof. João Rocha (PSDB) e o vereador André Salineiro (PSDB) se comprometeram a assinar um Termo de Cooperação Técnica com o Conselho Municipal dos Direitos e Defesa dos Povos Indígenas (CMDDI).

Os representantes dos indígenas estiveram na Casa de Leis, por conta de pronunciamento d Salineiro na sessão da última terça-feira (6).

Com objetivo de garantir o estreitamento das relações com o Conselho Municipal, o chefe do Poder Legislativo, João Rocha sugeriu a assinatura do Termo de Cooperação, para que as causas indígenas sejam tratadas diretamente entre as duas entidades. "Vamos tomar essa iniciativa que melhorará muito nosso trabalho enquanto legisladores e poderá ser, inclusive, ampliada para a Assembleia Legislativa também", afirmou João Rocha.

Na Tribuna, Salineiro se retratou: "Acredito que a presença do movimento aqui hoje é um ato legítimo e democrático. E parabenizo-os por isso. Vieram protestar onde devem. Se a revolta foi em função da minha fala, vieram no lugar certo, vieram protestar pacificamente aqui hoje e não interromperam vias ou rodovias, prejudicando outras pessoas que não têm culpa alguma. Novamente, quero que me perdoem pelos termos utilizados, mas ainda acredito que o Estado precisa ser um instrumento garantidor de direitos para o cidadão".

Em reunião na presidência, os indígenas aceitaram as desculpas do vereador e pediram ajuda da Casa de Leis para implementar políticas públicas para os povos indígenas, como melhoria do escoamento da produção agrícola, mais postos de trabalho, além de vagas em escolas e faculdades para índios.

Participaram da reunião o presidente do CMDDI, Elcio Terena, a subsecretária de Políticas Públicas para a População Indígena, Silvana Terena, além de diversos caciques e lideranças.


Voltar


Comente sobre essa publicação...