Semana On

Sexta-Feira 18.out.2019

Ano VIII - Nº 368

Mato Grosso do Sul

Estado investirá R$ 1 bi em saneamento básico até o fim de 2018, afirma Miglioli

Somente nas quatro maiores cidades do interior (Dourados, Três Lagoas, Corumbá e Ponta Porã), estão sendo aplicados R$ 390 milhões

Postado em 02 de Março de 2018 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) completará seu primeiro mandato de quatro anos, em dezembro de 2018, investindo mais de R$ 1 bilhão em saneamento básico em 68 dos 79 municípios e 55 distritos de Mato Grosso do Sul, onde a Empresa de Saneamento de MS (Sanesul) tem a gestão dos serviços de água e esgoto, não incluindo Campo Grande.

A meta foi anunciada pelo secretário de Estado de Infraestrutura (Seinfra), Marcelo Miglioli, ao apresentar um balanço dos investimentos do Governo desde 2015, com um saldo de mais de 500 obras executadas. Em saneamento, somente nas quatro maiores cidades do interior (Dourados, Três Lagoas, Corumbá e Ponta Porã), estão sendo aplicados R$ 390 milhões.

“Esse é o nosso grande desafio e nós vamos perseguir: levar Mato Grosso do Sul aos níveis dos países de primeiro mundo, com a universalização dos sistemas de coleta e tratamento de esgoto em todos os municípios”, afirma o governador Reinaldo Azambuja.

Esgoto: 2,9 mil km de rede

O secretário da Seinfra observou que, segundo os novos cálculos da Organização Mundial de Saúde (OMS), para cada R$ 1,00 investido em saneamento, economiza-se R$ 9,00 em saúde. Por isso, o Governo de Mato Grosso do Sul investe R$ 1 bilhão até o final de 2018 em sistemas de água potável e de coleta e tratamento de esgoto.

“São 234 obras em 68 municípios e 55 distritos, compondo 2,9 mil km de redes coletoras de esgoto, 49 poços tubulares profundos e 56 reservatórios, dentre outros serviços”, contabilizou.  

O maior programa em execução contempla Três Lagoas, um dos maiores centros em desenvolvimento econômico e populacional, com investimentos de R$ 150 milhões. Em Dourados, são R$ 100 milhões, e em Corumbá, onde a empresa projetou obras para atender o município nos próximos 30 anos, mais R$ 85 milhões. Ponta Porã recebe aporte de R$ 55 milhões.


Voltar


Comente sobre essa publicação...