Semana On

Segunda-Feira 17.dez.2018

Ano VII - Nº 332

Governo

Viver bem

Pequenas quantidades de vinho fazem bem ao cérebro, diz novo estudo

Cientistas mostram que, ao contrário do consumo em excesso, pequenas quantidades de álcool podem ajudar a livrar o cérebro de toxinas

Postado em 15 de Fevereiro de 2018   - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Pesquisadores do Centro Médico da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, publicaram um artigo que indica os benefícios do baixo consumo de vinho para o nosso cérebro.

A equipe é coordenada pela neurocientista Maiken Nedergaard, mesma médica que dirigiu os estudos sobre um novo sistema do nosso corpo, o glinfático, responsável por drenar os resíduos do nosso cérebro. Agora, os pesquisadores querem estudar como o álcool impacta esse sistema de limpeza.

Menos é mais

O estudo utilizou ratos para observar o impacto do consumo agudo e crônico de vinho. Os animais que foram expostos a níveis maiores da bebida tiveram prejuízo em habilidades cognitivas e motoras, apresentando mais marcadores moleculares de inflamação, principalmente nos astrócitos, células reguladoras do sistema glinfático.

Já os ratos que consumiram baixas quantidades de álcool apresentaram menos inflamação no cérebro e os seus sistemas glinfáticos foram mais eficientes em mover o líquor através do cérebro e remover resíduos.

“Estudos têm mostrado que o consumo baixo e moderado de álcool está associado a um menor risco de demência, enquanto beber muito e por muitos anos aumenta o risco de declínio cognitivo”, lembra Nedergaard. “Esse estudo pode explicar porque isso ocorre. Especificamente, baixas doses de álcool parecem melhorar a saúde do cérebro no geral.”


Voltar


Comente sobre essa publicação...