Assédio sexual nos principais carnavais do país é tema de campanha | Semana On

Semana On

Quarta-Feira 15.ago.2018

Ano VI - Nº 315

Parceiros

Brasil

Assédio sexual nos principais carnavais do país é tema de campanha

Respeite o NÃO se espalha pelas principais cidades

Postado em 09 de Fevereiro de 2018   - Isabella Macedo – Congresso em Foco

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Nos últimos anos, o combate ao assédio em uma das principais festas brasileiras tem mobilizado cada vez mais mulheres, organizações não-governamentais e demais grupos de proteção dos direitos da mulher. Além das redes de apoio criadas e iniciativas originadas em movimentações orgânicas de mulheres – que tomaram coragem e passaram a denunciar o assédio sofrido nas ruas durante o período da festa –, governos e prefeituras também passaram a lançar campanhas para conscientizar os foliões.

O movimento de campanhas de órgãos de governo tem se fortalecido desde 2016, quando a organização do carnaval do Recife lançou a primeira edição do “Pequeno Manual Prático de Como Não ser um Babaca no Carnaval”, que viralizou na internet. A campanha traz, desde então, imagens com mensagens diretas chamando a atenção para comportamentos de assédio e com o telefone do Liga Mulher, uma linha gratuita do Centro de Referência Clarice Lispector, que acolhe e orienta mulheres em situação de violência.

“Se tá difícil de entender, a gente desenha! Brinque o carnaval com respeito”, dizia a primeira edição. Desde então, as imagens viralizaram na internet. “Beijo forçado é crime. Além de ser coisa de mamão”, é uma das mensagens da primeira campanha. No Recife, “mamão” é uma gíria que identifica uma pessoa babaca, de acordo com o esclarecimento na descrição do próprio manual de 2018. Neste carnaval, a campanha traz a hashtag #BabacaNãoTemVezNoCarnaval e o personagem “Zé Mamão”, demonstrando as atitudes consideradas assédio.

“Já cheguei descendo a ladeira, fazendo poeira e atiçando o calor. Dizendo sim ou dizendo não, eu vou pegar quem for”, diz o personagem Zé Mamão em umas das ilustrações. A resposta vem de uma figura fantasiada de vampiro: “Não é não, boy. Forçar alguém a ficar com você tem nome: estupro. E é crime”.

São Paulo

No ano passado, a prefeitura de São Paulo também tentou entrar no clima das postagens com linguagem dos memes da internet, mas acabou gerando controvérsia. “Bater de frente não tem que ser só tiro, porrada e bomba. O negócio é deixar pra lá e sambar na cara da sociedade, porque briga no carnaval não está com nada. Aproveite para marcar a sua amiga ‘Jéssica’ e avisar que agora é só paz, amor e folia! #ExisteFoliaEmSP”, dizia a postagem, que trazia uma ilustração com os dizeres “Já acabou, Jéssica! Briga estraga a folia. Agora é paz, amor e carnaval!”. A frase fazia referência a um vídeo que mostra duas meninas se agredindo na rua. Uma delas, após a troca de agressões, questiona: “Já acabou, Jéssica?”.

As críticas ao post, que defendiam que as “Jéssicas” não devem se calar ao sofrer assédio ou violências, acabou fazendo a prefeitura a publicar uma postagem para esclarecer a anterior e pedir desculpas, afirmando que “repudia qualquer atitude de assédio, agressão ou violência e incentiva as vítimas a não se calarem”. Neste ano, a única postagem no Facebook da prefeitura se limitou a publicar a lista dos blocos que desfilarão no carnaval de rua da capital paulista.

O Departamento de Políticas para Mulheres da Prefeitura de São Paulo manterá a unidade móvel de atendimento, conhecido como “ônibus lilás”, durante o fim de semana de carnaval no Sambódromo. O equipamento oferecerá atendimento de primeiros socorros às vítimas de assédio e violência.

Rio de Janeiro

O carnaval carioca, um dos mais famosos do mundo, receberá em 2018 um ponto de apoio para que os foliões denunciem casos de assédio e racismo durante a festa. Na Praça XV, a Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos terá um ponto de apoio com técnicos do órgão, com prestação de auxílio às vítimas e suporte de agentes da Operação Segurança Presente. O local vai funcionar das 9h às 15h, com distribuição de preservativos e o material da campanha “Carnaval é curtição, respeite o meu não”.

O Disque Cidadania do estado também irá atender casos de denúncia pelo telefone nos quatro dias do carnaval, das 14h às 20h, entre esta sexta (9) e a próxima terça-feira (13). Casos que ocorrerem em pontos fora da região central da capital fluminense ou fora do horário de atendimento poderão ser denunciados por meio das redes sociais da secretaria.

A secretaria também preparou vídeos que estão sendo veiculados nos transportes públicos, ventarolas e tatuagens temporárias com a frase “Não é não”. As tatuagens são fruto de financiamento coletivo pela internet e serão distribuídas pela segunda vez no Rio.

Belo Horizonte

As tatuagens do “Não é não” também serão distribuídas em Belo Horizonte, São Paulo, Salvador e no Recife pela primeira vez. A ideia da tatuagem é de um grupo de amigas e surgiu em 2017, no carnaval do Rio de Janeiro.

“É mais que uma frase, ou um grito de guerra. É a criação de um escudo que empodera a mulher. Devolve a ela o direito ao próprio corpo e o poder de fazer com ele o que bem entender. Não é não”, escrevem as idealizadoras do financiamento coletivo, que arrecadou R$ 20,4 mil reais para produzir e distribuir cerca de 27 mil tatuagens nos estados do Rio, Minas Gerais, São Paulo, Bahia e Pernambuco.

De acordo com a programação, as tattoos serão distribuídas – apenas para as mulheres – em 11 blocos do Rio; cinco em Belo Horizonte; dois no Recife e em Olinda; dois em São Paulo; e quatro em Brasília (veja a programação mais abaixo).

Além das tatuagens, os blocos de rua Tchanzinho Zona Norte, Bloco do Pescoção e Orquestra Royal criaram uma marchinha para a campanha, promovida pela estatal Companhia Energética Minas Gerais S/A (Cemig) e pela secretaria de Turismo de Belo Horizonte (Belotur). O vídeo abaixo, de cerca de 30 segundos, foi concebido para conscientizar os foliões da capital mineira a respeito dos direitos da mulher, e não só durante a folia.

Salvador

A secretaria estadual de Políticas para as Mulheres da Bahia criou, em parceria com a ONU Mulheres, a campanha “Respeita as Mina”. Um trio elétrico de mesmo nome desfilará pela segunda vez, puxado pelas cantoras Pitty, Karina Buhr e Larissa Luz.

É o segundo ano da campanha, que tem uma ação integrada com a Secretaria de Segurança Pública e com a rede de atenção às mulheres formada por Defensoria Pública, Ministério Público, Ronda Maria da Penha, Tribunal de Justiça da Bahia e Hospital da Mulher. Pela primeira vez, a Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM) do Governo da Bahia terá duas unidades móveis em Salvador para orientar mulheres em situação de violência – uma em parceria com o Hospital da Mulher, que tem uma filial temporária instalada no Circuito Barra-Ondina, e outra em parceria com a Ronda Maria da Penha, que estará na Praça Municipal.

A campanha integrada visa garantir que mulheres em situação de violência sejam atendidas e acolhidas de maneira mais rápida e humanitária. As tropas das polícias também foram instruídas sobre o atendimento a casos de assédio e violência contra mulheres.

A secretaria também se uniu à Associação Baiana da Indústria de Hotéis (ABIH) para promover ações de sensibilização dos hóspedes de hotéis, pousadas, hostels e albergues, com noções sobre a violência de gênero, bem como em pontos receptivos da cidade (rodoviária, Terminal de São Joaquim, Porto e Aeroporto de Salvador). São esperados cerca de 750 mil turistas no carnaval deste ano na capital baiana, de acordo com a assessoria de comunicação da SPM.

Também haverá ações nos blocos – especialmente naqueles que são formados por maioria masculina –, camarotes e portais de entrada de foliões, com distribuição de material informativo, ventarolas e “cartões” verdes e vermelhos do que pode e do que não pode na paquera durante a festa.

Veja a programação de distribuição da tatuagem “Não é não!”

Rio de Janeiro:

Multibloco

Dia: 10/02, sábado de carnaval

Hora: 09h

Local: Rua didimo Lapa, Centro

Exagerado

Dia: 11/02, domingo de carnaval

Hora: 13h

Local: na praça Tiradentes, Centro

Dinossauros Nacionais e Estrategia

Dia: 12/02, segunda de carnaval

Hora: 12h às 20h

Local:  Largo de São Francisco, Centro

Agyto aê

Dia: 13/02, terça de carnaval

Hora: madrugada

Local: Centro

Mulheres Rodadas

Dia: 14/02, quarta feira de cinzas

Hora: 9h

Local: Largo do Machado, Zona Sul

Planta na mente

Dia: 14/02, quarta feira de cinzas

Hora: 16:20

Local: Arcos da lapa, Centro

Mulheres de Chico

Dia: 17/02, sábado pós carnaval

Hora: 17h

Local: na praia do Leme.

 

Belo Horizonte:

Alô Abacaxi

Data: 11/02, domingo de carnaval
Hora: pela manhã

Local: Av. Augusto de Lima

É o Amo!

Data: 11/02, domingo de carnaval
Hora: concentração 12h, sai 15h

Local: Av. Getulio Vargas entre Av. Afonso Pena e Rua Professor Morais

Garotas Solteiras

Data: 12/02, segunda de carnaval

Hora: à tarde.

Local: Região Central

Acorda Amor

Data: 14/02, quarta feira de cinzas

Hora: à definir

Local: Avenida Mem de Sá

 

Recife Antigo e Olinda:

Baque Mulher

09/02, sexta feira

Hora: concentração, 20h, desfile às 22h

Local: Rua da Moeda, Recife Antigo

Comigo é Assim

12/02, Segunda-feira

Hora: 9h,

Local: Rua 7 de setembro (Ladeira da Sé), Olinda

 

São Paulo:

Ilú Obá de Min

Data 09/02, sexta de carnaval

Hora: 19h

Local: República

Ritaleena

Data: 10/02, sábado de carnaval

Hora: concentração às 14h

Local: Praça do monumento x Rua sorocabanos (do lado do parque da independência)

Ilú obá de min

Data: 11/02, domingo de carnaval

Hora: concentração às 14h

Local: Barão de Piracicaba esquina com Eduardo Prado

 

Brasília:

Bloco da Tesourinha

Data: 11/02, domingo de carnaval

Hora: às 16h20

Local: praça da 410 norte

Bloco Aparelhinho

Data: 12/02, segunda de carnaval
Hora: 10h

Local: SCS Setor Comercial Sul

Bloco do Calango Careta

Data: 13/02, terça-feira de carnaval
Hora: 12h

Local: Asa Norte

Bloco da Tesourinha

Data: 13/02, terça-feira de carnaval

Hora: às 16h20

Local: Praça da 410 norte

Essa Boquinha Eu Já Beijei

Data: 10/02, sábado de carnaval
Hora: 14h

Local: Gramado da Funarte

 

Bahia

Filhas de Gandhy

Data: 10/02, sábado de carnaval

Hora: 16h

Local: Terreiro de Jesus

Ilê Ayê

Data: 10/2, sábado de carnaval

Hora: 22h

Local: Concentração de blocos do Campo Grande

Cortejo Afro

Data: 11/2, domingo de carnaval

Hora: 19h

Local: Farol da Barra


Voltar


Comente sobre essa publicação...