Semana On

Sábado 20.out.2018

Ano VII - Nº 325

Governo

Auau Miau

Iniciativa pelo bem e pela arte

Artista pinta muros com imagens de cães para sensibilizar contra o abandono e incentivar adoção

Postado em 11 de Janeiro de 2018   - Lívia Marra – Bom pra cachorro

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Um artista plástico decidiu mostrar para todo mundo sua indignação em relação a casos de abandono e maus-tratos contra animais e pintou cachorros em muros de Uberlândia (MG).

Ferreira Marcos, 35, diz que, além de mostrar seu trabalho, a ideia é sensibilizar as pessoas. E desde o primeiro mural, feito em fevereiro de 2017, recebeu apoio.

“Não tenho ONG. Sou um artista que quis levantar esse tema com uma obra de arte na rua, dando visibilidade e, talvez, mudando um pouquinho a realidade de abandono desses animais”, afirma.

O artista diz que uma das obras foi inspirada no trabalho do fotógrafo Eduardo Leporo, que lidera o projeto Moradores de Rua e Seus Cães e retrata a relação entre eles.

Um mural pode levar de dois dias a uma semana para ser concluído, com custo de R$ 500 a R$ 1.000.

Para a obra no muro, Ferreira Marcos pede autorização do proprietário do terreno. Em novembro passado, o artista afirma ter obtido apoio de um advogado da cidade, envolvido com causa animal. Ele cedeu o espaço nos muros e patrocinou a obra, além de abrir um canal de contato por telefone, estampado ao lado dos desenhos, para quem quiser adotar um animal.

Apesar de retratar cães pela cidade, Ferreira Marcos não tem animais em casa. “Moro em um apartamento muito pequeno. Tenho pena de adotar e deixar sozinho o dia todo, em um lugar apertado”, diz. Mas se diverte com Juju, gatinha que vive com sua mãe.

O artista afirma que ainda pintará outros muros como parte dessa campanha. Diz esperar que a tinta dos murais dure bastante tempo, mas não se mostra preocupado em caso de algum dano.

“Por aqui as pinturas de rua duram bastante, até a tinta acabar na parede mesmo. Espero que seja assim com os meus. Mas, se não for, não tem problema porque faz parte da arte na rua a intervenção de qualquer um que por ali passar.”


Voltar


Comente sobre essa publicação...