Semana On

Sábado 21.jul.2018

Ano VI - Nº 312

Parceiros

Mundo

Coreia do Norte aceita convite de Seul ao diálogo e conversa será na 3ª-feira

Estados Unidos disseram que não vão interferir no diálogo entre os dois países

Postado em 05 de Janeiro de 2018   - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A Coreia do Norte aceitou nesta sexta-feira (5) o convite do governo sul-coreano para dialogar e as conversas vão começar na próxima terça-feira (9).

Pyongyang avisou Seul que aceitou a nova rodada de negociações horas após a Coreia do Sul e os Estados Unidos anunciarem que adiaram um exercício militar conjunto na região, um antigo pedido da ditadura norte-coreana.

As conversas vão acontecer na vila de Panmunjom, que fica entre os dois países, e serão o primeiro diálogo oficial entre os dois lados desde dezembro de 2015.

O principal tema do encontro será a participação norte-coreana na Olimpíada de Inverno, que acontece na cidade sul-coreana de Pyeongchang entre 9 e 25 de fevereiro, mas outros temas também poderão ser abordados, disse o porta-voz do Ministério da Unificação da Coreia do Sul, Baik Tae-hyun.

O programa nuclear norte-coreano e os testes de mísseis do país, porém, devem ficar de fora do debate.

Baik disse ainda que Pyongyang pediu que os arranjos necessários para a organização do encontro sejam feitos por documentos escritos. Ainda não estão definidos quem serão os representantes dos dois lados que vão participar das conversas.

A nova rodada de diálogo entre Seul e Pyongyang acontecerá depois que o ditador norte-coreano Kim Jong-un expressou em seu discurso de Ano Novo no dia 1º a intenção de permitir que os atletas norte-coreanos participassem da Olimpíada de Inverno.

A Coreia do Sul imediatamente respondeu apoiando a ideia e no dia 2 fez o convite para um diálogo formal em Panmunjom. No dia seguinte, representantes dos dois lados se falaram por telefone, reabrindo a linha de comunicação que estava fechada há cerca de dois anos.

Kim, porém, avisou que só aceitaria participar das conversas o exercício militar entre EUA e Coreia do Sul fosse adiado. Seul e Washington dizem que o treinamento tem objetivo apenas defensivo, sem ligação com a Coreia do Norte.

A decisão de adiar a operação foi anunciada na quinta-feira (4) a noite pela Casa Branca após uma conversa entre os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da Coreia do Sul, Moon Jae-in.

Oficialmente, o secretário de Defesa dos EUA James Mattis, disse que o adiamento foi feito por questões logísticas, para que a operação não coincida nem com os Jogos Olímpicos nem com os Paraolímpicos, que acabam no dia 18 de março. Assim, o exercício militar deve acontecer após o fim das duas competições.

Os Estados Unidos disseram que não vão interferir no diálogo entre os dois países, mas afirmaram não acreditar na disposição de Kim de dialogar.


Voltar


Comente sobre essa publicação...