Semana On

Terça-Feira 12.dez.2017

Ano V - Nº 283

Governo agetran

Veí­culos

Volkswagen Virtus é revelado no Brasil

Vendas começam em janeiro

Postado em 29 de Novembro de 2017   - Redação Semana On

Sedã do Polo, Virtus será um modelo regional que começa a ser vendido primeiro no Brasil. Marca também venderá seu primeiro carro híbrido no país, o Golf GTE.

Volkswagen revelou o inédito sedã Virtus. Com base na plataforma e mecânica do novo Polo, o modelo começa a ser vendido no mercado brasileiro em janeiro de 2018.

Os preços não foram divulgados, mas a montadora promete "surpreender".

"O Virtus é um carro brasileiro, feito para agradar os clientes da região. No início do ano vamos surpreender com o preço, um bom custo-benefício", afirmou Thomas Owsianski, vice-presidente de vendas e marketing da Volkswagen do Brasil.

A novidade ficará acima do Voyage e abaixo do Jetta, brigando com Honda City e Chevrolet Cobalt, por exemplo. Há ainda futuros concorrentes, como Fiat Cronos e Toyota Yaris.

Depois dele, no 2º semestre do ano que vem, a marca lançará um SUV também inédito, o T Cross.

Além disso, produzirá uma nova picape. Todos os modelos serão sobre a mesma plataforma, a MQB A0, que é uma versão simplificada da arquitetura do Golf.

A Volkswagen também anunciou nesta quinta que o Golf GTE híbrido será vendido no Brasil no ano que vem. A marca também lançará a versão totalmente elétrica do carro, a e-Golf, no mesmo ano.

O que já se sabe do Virtus

Por ora, a Volkswagen só confirmou uma opção de motor para o Virtus, o 1.0 TSI flex, com turbo, visto nas fotos. É o mesmo oferecido no Polo, com 128 cavalos de potência com etanol e 116 cv com gasolina. E é combinado com câmbio automático de 6 velocidades.

A estratégia de oferecer os controles de tração e estabilidade de série nesta motorização 1.0 turbo, usada no Polo, também será mantida no Virtus.

O sedã também deve ter uma versão com motor 1.6 aspirado de 117 cv com câmbio manual de 5 marchas, que também existe no Polo. Não haverá opção de motor 1.0 aspirado.

Não à toa o Virtus não é chamado de Polo Sedan, apesar de sair da mesma "forma" que o hatch. O sedã é bem maior: tem 4,48 m de comprimento, 2,65 m de distância entre eixos, 1,46 m de altura e 1,75 m de largura. A capacidade do porta-malas é de 521 litros, segundo a montadora.

A última geração vendida no Brasil do Polo Sedan tinha 4,20 m de comprimento e 2,47 m de entre-eixos. Já o novo Polo tem 4,05 m de comprimento.

O Virtus tem a mesma altura e largura do no Polo, mas possui 8 centímentros a mais de distância entre eixos. Esta medida é idêntica à Jetta, que é maior (4,66 m de comprimento) e mais caro.

Mordomo a bordo

Assim como o Polo, o Virtus contará com a central multimídia de 8 polegadas. A marca ainda não definiu se ela será item de série ou opcional. Ela possui 3 entradas USB.

Além disso, o sedã será o primeiro carro a ter um "mordomo" virtual. Ele funcionará como uma espécie de manual, baseado no sistema de inteligência artificial Watson, da IBM.

O chamado "manual cognitivo” é um aplicativo que permite escrever, falar ou até tirar uma foto do problema, uma luz acesa no painel por exemplo, e o sistema dá uma resposta para tentar resolver a questão.

Rivais

O segmento dos sedãs compactos deve ter novos competidores em breve, como a versão sedã do Argo, chamada de Cronos, e o Toyota Yaris, que já foi confirmado para o Brasil na carroceria hatchback.

Em termos de faixa de preço, o líder em vendas Cobalt parte de R$ 65.290 e só é vendido com câmbio automático. O segundo colocado City começa em R$ 60.900, com câmbio manual, e R$ 66.400, com CVT. No entanto, o sedã da Honda receberá retoques visuais (e provavelmente novos equipamentos) no início de 2018.

Renovação

O Virtus faz parte de um plano da Volkswagen para voltar a ser líder em vendas no Brasil. Até 2020, a empresa alemã prometeu 20 novos produtos, dos quais 13 serão fabricados no país.

O primeiro passo dessa estratégia foi o novo Polo. A fábrica em São Bernardo do Campo (SP) recebeu R$ 2,6 bilhões em investimentos para ficar mais moderna e produzir o hatch e o Virtus.

Além disso, a Volkswagen anunciou investimento na Argentina, onde deverá produzir um novo SUV, que será exportado para toda a América do Sul. O plano também inclui uma nova picape.


Voltar


Comente sobre essa publicação...