Semana On

Segunda-Feira 20.nov.2017

Ano V - Nº 280

Gov Refis

Auau Miau

Cães interagem melhor com humanos do que com outros cachorros

Para especialista, isso ocorreu devido à domesticação desses animais ao longo dos últimos milênios

Postado em 01 de Novembro de 2017   - Galileu

Sarah Marshall-Pescini, da Universidade de Viena, descobriu que os cães são terríveis em tarefas que exigem cooperação com outros membros da espécie. O mesmo comportamento não é notado nos lobos, o que leva conclusão de que a convivência milenar levou esses animais a terem um relacionamento melhor com humanos do que com outros cachorros.

A ideia é que os antigos lobos começaram a interagir com pessoas para poderem obter comida e outros benefícios, e por isso começaram a agir de forma mais dócil. Dessa forma, as espécies evoluíram juntas e hoje a interação cachorro-humano é mais eficiente do que cachorro-cachorro.

"A ideia é que mudamos sua psicologia para transformá-los em seres super-cooperativos", diz Marshall-Pescini ao The Atlantic. Mas isso só é verdade para seus relacionamentos com nós, seres humanos. Ao domesticar cães, prejudicamos seu instinto, fato que torna os lobos alguns dos melhores caçadores de quatro patas. "Eles se adaptaram ao nicho que nós criamos para eles, o que mudou sua socialidade", completa a pesquisadora.

O processo fez com que esses bichinhos se desenvolvessem mais de acordo com a humanidade do que com a própria espécie, diferentemente dos lobos. Acredita-se que os antepassados dos nossos pets precisavam estar unidos para conseguirem caçar e sobreviver.

Cachorros podem ser treinados, entretanto. Quando cachorros são criados juntos, pode até haver um estranhamento inicial, mas logo eles começam a trabalhar em cooperação. O fato foi observado em um estudo de 2014 de Ljerka Ostojić, da Universidade de Cambridge.

O experimento

O experimento realizado foi o seguinte: trabalhando juntos, os cães tinham que puxar dois pedaços de corda para trazer um pedaço de comida ao alcance, o que não deu muito certo. No caso dos lobos, no entanto, foram muito mais bem sucedidos, superando em muito seus parentes domesticados.

Apenas um dos oito pares de cães conseguiu puxar a bandeja em apenas uma tentativa das várias feitas. Por sua vez, cinco de sete pares de lobos conseguiram. Mesmo depois que a equipe treinou os animais, o resultado ainda foi ruim: "Imaginamos que encontraríamos algumas diferenças, mas não esperávamos que elas fossem tão fortes", diz Marshall-Pescini.


Voltar


Comente sobre essa publicação...