Semana On

Segunda-Feira 20.nov.2017

Ano V - Nº 280

Super Banner na capa e em toda a revista

Auau Miau

Vai levar o amigão para viajar?

Confira as dicas para viajar com seu pet

Postado em 17 de Outubro de 2017   - Lívia Marra

Incluir o bichinho de estimação nos planos da viagem deixa o passeio mais divertido.

Mas a companhia precisa de cuidados especiais, já que a mudança de rotina pode afetar a saúde do animal.

O transporte deve obedecer regras de segurança. No carro, cães viajam em caixa fixada ao cinto de segurança ou fora da caixa, mas preso ao cinto de segurança por travas especificas. Gatos vão na caixinha de transporte.

Filhotes, especialmente, pode ter enjoos no trajeto. Evitar dar água ou comida pouco antes da viagem evita também que o pet vomite no caminho. E fazer paradas de tempos em tempos é fundamental para que ele descanse e faça xixi.

O comprovante de vacinação antirrábica e atestado de saúde emitido pelo veterinário deve fazer parte da bagagem.

Se o destino for o litoral, há risco é a dirofilariose – conhecida como verme do coração, que pode ser prevenida com medicamento. Além disso, a combinação areia e água salgada podem provocar problemas de pele, otite e conjuntivite.

Para o interior, vale prevenção contra carrapatos e insetos. Há áreas que pedem cuidados contra a leishmaniose.

Veja abaixo tópicos listados para não deixar nada fora da bagagem do pet e fazer uma viagem tranquila.

ITENS BÁSICOS PARA BAGAGEM

– Coleira e guia

– Ração em quantidade adequada para período da viagem

– Potes para água e comida

– Xampu de costume e toalha

– Cama, brinquedos

– Medicamentos de uso contínuo e para emergências

PREVENÇÃO DE DOENÇAS

Consulte o veterinário antes da viagem. Seu bichinho precisará de prevenção:

– O animal deve estar com vacinação e vermifugação atualizadas;

– Viagens para litoral exigem prevenção contra dirofilariose –ou verme do coração;

– Viagens para localidade rural exigem prevenção contra pulgas e carrapatos, além de cuidados com berne e picadas de insetos que podem ocasionar reações alérgicas

TRANSPORTES

A escolha do meio de transporte mais adequado vai depender da distância até o destino. Viagens longas de carro causam maior estresse ao animal.

CARRO

– O animal deve ser transportado no banco traseiro utilizando cinto de segurança especial para cães ou caixa de transporte adequada (cães e gatos);

– O ambiente dentro do automóvel deve estar fresco, o excesso de calor pode causar danos irreversíveis à saúde do pet;

– Em caso de viagens longas, parar a cada 2 horas para oferecer água e passear com o bichinho.

AVIÃO

– Cada companhia aérea tem sua regra para a caixa de transporte, necessidade de sedação do animal e documentação necessária;

– Algumas empresas permitem a viagem do animal na cabine, com o tutor.

DOCUMENTAÇÃO

VIAGENS NACIONAIS

– Certificado de vacinação antirrábica para animais com mais de quatro meses de idade, com o nome do laboratório produtor da vacina, lote e validade. A dose deve ser aplicada há mais de 30 dias e menos de 1 ano da data da viagem;

– Atestado de saúde emitido por um médico veterinário, com informações sobre as condições de saúde e se o animal está apto para viajar. O atestado tem validade de dez dias a partir data de emissão.

VIAGENS INTERNACIONAIS

– Certificado Zoosanitário Internacional (CZI) emitido pelo Ministério da Agricultura, gratuitamente, nos aeroportos internacionais. A emissão deve ser agendada com antecedência, e o prazo de emissão pode passar de 30 dias úteis;

– Atestado de saúde emitido por um médico veterinário, com informações sobre as condições de saúde e se o animal está apto para viajar;

– Carteira de vacinação atualizada;

– Documento de comprovação da aplicação do microchip, contendo o número, data da aplicação e localização, devidamente firmada pelo técnico responsável;

– Alguns países exigem exames e documentos específicos, além de realizarem quarentena na chegada do animal


Voltar


Comente sobre essa publicação...