Semana On

Sábado 24.ago.2019

Ano VII - Nº 360

Comportamento

Primeira gravidez: o nascimento de uma mãe

Muita ênfase é dada ao nascimento do primeiro filho, mas este é também o momento do nascimento de uma mãe.

Postado em 07 de Maio de 2014 - Redação Semana On

Tornar-se mãe é a maior mudança que ocorre na vida de uma mulher. Tornar-se mãe é a maior mudança que ocorre na vida de uma mulher.

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Tornar-se mãe é a maior mudança que ocorre na vida de uma mulher. Na primeira gravidez, além do nascimento da criança, há também o nascimento de uma mãe. Aspectos emocionais, efetivos, físicos e comportamentais alteram a mulher transformando-a para sempre.

De acordo com a psicóloga Mariksa Ungerer, o primeiro trimestre de gravidez é marcado pela percepção de “estar grávida”, por mudanças bioquímicas (enjôos, azia...), aspectos de ambivalência afetiva, hipersensibilidade e oscilações de humor. No segundo trimestre há a percepção dos primeiros movimentos fetais, o aumento do corpo físico (e aparecimento da barriga), a construção da relação materno filial e a diminuição das ambivalências afetivas. Já no terceiro trimestre há a preocupação com o parto, introspecção, desconforto, ganho significativo com o peso, aumento das mamas, elevação da ansiedade e, finalmente, o nascimento de uma mãe.

Quando descobre a gravidez, a mulher passa por diversos conflitos emocionais, efetivos, físicos, cognitivos, sociais e familiares. Neste primeiro momento surgem sentimentos e pensamentos ambivalentes, que acarretam em questionamentos e medos.

“A psicologia entende que a sensação do medo vem sinalizando um momento de mudança na vida da mulher e que nesse momento ela vai passar de filha para mãe. Será um momento de amadurecimento e responsabilidade, um divisor de águas na vida da mulher. Os principais medos que a mulher sente são: perda da liberdade social e pessoal, de assumir as rédeas da própria vida, de não ser capaz de gerar uma vida, do bebê morrer, de assumir responsabilidades por ela e pelo filho, de não ser uma boa mãe e da perda do corpo físico. Medos e questionamentos são normais, afinal é o desconhecido que se apresenta a nova mamãe”, orienta a psicóloga Mariksa.

Alegria e emoção

Alegria e emoção também passam a fazer parte do universo desta nova mulher. A alegria de ver o filho pela primeira vez ainda dentro da barriga, a emoção de ouvir o coraçãozinho batendo, o descobrimento do sexo da criança; tudo isso, pouco a pouco, vai modificando a mulher. “Também é um período de descobertas, do quanto ela é forte e capaz de gerar uma vida e do sentimento do amor incondicional, um amor inexplicável, que só quem gera e materna consegue compreender, não há palavras que possam explicar, é preciso sentir”, acrescenta Mariksa.

A futura mamãe Antonia Léa, fotógrafa, que está com 22 semanas de gestação, revela que a espera do filho Italo tem transformado seu maneira de ser e pensar: “Minha forma de pensar mudou, hoje sinto a necessidade de ser alguém melhor, dar bons exemplos, ser mais tolerante com os erros das outras pessoas, ser mais paciente e esperar o tempo certo para cada coisa. Quando nasce uma criança, nasce sim uma mãe. Creio que a gente nasce e cresce junto com o filho. São adaptações feitas com amor, necessárias e consolidadas no decorrer de cada acontecimento”.

Por ser um período totalmente novo na vida da mulher, a psicóloga Mariksa afirma que se faz importante que a gestante conte com boas orientações e assistência emocional, afetiva, física e de saúde. Ser acompanhada por especialistas da área é essencial para assegurar uma gestação saudável e feliz.

Serviço

Mariksa Ungerer realiza na “Papo de Gaia – Assessoria a Gestante & Família” o “2° Curso para Gestantes”, entre os dias 12 e 16 de maio, das 19h às 22h, na Associação Brasileira de Odontologia, localizada na rua da Liberdade, 836, vila Santa Dorothéia. Informações e inscrições pelo telefone (67) 3352-2789 ou pelo site.


Voltar


Comente sobre essa publicação...