Semana On

Segunda-Feira 08.mar.2021

Ano IX - Nº 433

Coluna

Disputo o Senado. E só!

As notícias que fizeram a cena política em MS nesta semana

Postado em 23 de Junho de 2017 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Com respingos da Lava Jato Brasil afora, senadores de vários estados, cujos mandatos estarão expirando no ano que vem, cogitam desistir da reeleição (que deve ser ainda mais difícil com a torneira dos grandes doadores fechada) para disputar cadeiras de deputado federal e manter o foro privilegiado. Indaguei ao deputado federal Zeca do PT se pretende entrar nessa onda e alterar seus planos eleitorais para 2018 em MS. O ex-governador foi curto e objetivo: "Disputo o Senado. E só!"

Deputado de MS pede que livro infantil que aborda incesto seja recolhido das escolas

O deputado estadual Paulo Siufi (PMDB) apresentou na Assembleia requerimento a ser encaminhado ao Ministério da Educação para que recolha o livro de contos "Enquanto o sono não vem", voltado a crianças de 6 e 8 anos, que aborda o tema do incesto. De autoria de José Mauro Brant (Editora Rocco), o livro é distribuído a alunos do primeiro ao terceiro ano do ensino fundamental por meio do Programa de Alfabetização na Idade Certa (Pnaic). Um dos contos, "A triste história de Eredegalda", fala de uma menina que se recusa a casar com o pai, é aprisionada em uma torre e acaba morrendo de sede. "Que educação e cultura traz um livro que sugere casamento entre pai e filha? Inaceitável isso. Contra todos os princípios familiares, é repugnante para a sociedade brasileira", disse Siufi, que também apresentou ontem uma moção de repúdio ao ministro José Mendonça Bezerra Filho (MEC) pela distribuição dos livros. A obra também gerou polêmica em outros estados. No Espírito Santo, o livro foi retirado das escolas municipais pelas prefeituras da capital Vitória, e de cidades do interior.

Arquiteto desabafa sobre Plano Diretor

Dizendo-se cansado de ver por décadas o Plano Diretor de Campo Grande ser desfigurado por vereadores para atender interesses de especuladores, o arquiteto Fayez José Rizk, o "Fez", postou hoje no Facebook o seguinte desabafo sobre os atuais debates relacionados ao conjunto de diretrizes que ordena o crescimento da cidades e define áreas residenciais, comerciais etc.: "Sobre Plano Diretor. Estão sendo realizadas reuniões sobre a reforma do Plano Diretor. Importante, mas não participei de nenhuma e nem tenho vontade de participar e explico. Há mais de quarenta anos participo ativamente do planejamento urbano, não só em Campo Grande, mas em várias localidades brasileiras. E estou frustrado. Por exemplo, no começo da década de 80, juntamente com os Arquitetos Elvio Garabini, Celso Costa e Lauro Malaquias fizemos a primeira reforma da Plano Lerner para Campo Grande, elaborado em 1978. Resultado: nem nos livros de história consta essa intervenção. Planos? Vários, participei ou tomei conhecimento. Resultado: TODOS, absolutamente TODOS, são desfigurados pelos 'representantes do povo', os vereadores, nas famosas sessões de final de ano, onde eles atendem aos especuladores, que aqui nessa outrora bela cidade são alcunhados de 'investidores'. Ou seja, dá-se um jeitinho daqui, outro dali e tudo é permitido para quem tem dinheiro e 'prestígio' político. Então fico aqui no conforto da minha cadeira observando..." Leia aqui a íntegra no Facebook.

Juiz suspende pagamento em dobro de verba indenizatória para vereadores

O juiz David de Oliveira Gomes Filho, da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande, suspendeu em liminar concedida a pedido do Ministério Público atos da Câmara que dobraram de R$ 8,4 mil para R$ 16,8 mil o valor das verbas indenizatórias pagas a cada um dos 29 vereadores da Capital, autorizados no início do ano pelo presidente do Legislativo, João Rocha (PSDB), e pelo primeiro-secretário, Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSD). Além do salário de R$ 15 mil, cada vereador tem direito a gastar essa verba para gastos com combustível, material de consumo, assinaturas de TV a cabo, jornais, revistas etc., e ser reembolsado com o dinheiro público. Conforme o MP estadual, o valor "ultrapassa aquilo que se enquadra como verbas indenizatórias" porque os próprios vereadores podem escolher fornecedores e serviços que ser contratados pela Câmara por meio de concorrência pública.

Pedro Chaves vira 'imortal' da ASL

O senador Pedro Chaves (PSC-MS) agora é integrante da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras. O educador, ex-reitor da Uniderp e escritor, foi eleito em assembleia da instituição ontem e assumirá a cadeira de nº 19, que era ocupada pela escritora e professora Maria da Glória Sá Rosa. "É uma honra e uma responsabilidade muito grande entrar para a Academia Sul-Mato-Grossense de Letras e ocupar a mesma cadeira da minha querida amiga Glorinha Sá Rosa, uma referência da cultura em nosso estado", disse Chaves. Na ocasião, também foi eleito membro da ASL o advogado Oswaldo Barbosa de Almeida. Os dois novos "imortais" de MS serão diplomados e empossados em data ainda a ser definida.

Deputado quer criminalização da zoofilia

A inclusão da prática de zoofilia, sexo de humanos com animais, como crime hediondo no Código Penal Penal está sendo solicitada pelo deputado estadual Marcio Fernandes (PMDB) em indicação procolotada ontem na Assembleia a ser encaminhada ao presidente Michel Temer, com cópia aos senadores Simone Tebet e Waldemir Moka e ao deputado federal Carlos Marun, todos da bancada do PMDB-MS. Médico veterinário, Fernandes diz que a prática se prolifera de modo impune no País e cita caso de um homem flagrado praticando zoofilia em dois cães no portão de uma casa em Nova Andradina (MS) neste ano, e precisa ter punição. Médicos alertam que sexo com animais pode causar sérias doenças aos humanos.


Voltar


Comente sobre essa publicação...