Semana On

Sábado 21.set.2019

Ano VIII - Nº 364

Coluna

Pinhole: a imagem pelo buraco de uma agulha

A magia de uma técnica alternativa de se fazer fotografia sem a necessidade de uma câmera convencional .

Postado em 25 de Abril de 2014 - Elis Regina Nogueira

Câmera construida por alunos durante o projeto. Câmera construida por alunos durante o projeto.

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Desde sua invenção, há quase dois séculos, a fotografia evoluiu constantemente, e hoje está completamente dominada e diria até contaminada, pela tecnologia digital.

Vilém Flusser, filósofo e teórico da mídia nascido em Praga e naturalizado brasileiro, que viveu por mais de trinta anos no Brasil, já dizia, mesmo antes das câmeras digitais, que quem adquire um equipamento fotográfico, procura  sempre o  “último modelo”.

E hoje, para o fotógrafo Mário Vásquez Amaya,  vivemos a síndrome de aquisição de equipamento, onde “o equipamento ganhou tanta importância, que o fotógrafo se esconde atrás de uma marca e delega à máquina a responsabilidade criativa”.

Porém, em meio a tanta evolução e tecnologia, existem aqueles que buscam em processos manuais, históricos e não comerciais meios para fotografarem e criarem imagens interessantes e mágicas.

Um exemplo é a fotografia Pinhole.

O nome conhecido mundialmente vem do inglês e pode ser traduzido livremente como “buraco de agulha” e é uma analogia ao pequeno furo que se faz com uma agulha por onde a onde a luz é captada para dentro da caixa preta  oulata . O furo funciona como a lente e diafragma, no lugar de uma objetiva.

Essa técnica de produção de imagens é uma união de conhecimentos físicos (a câmara obscura) e químicos (materiais fotossensíveis): a câmera obscura possibilita a produção de uma imagem, e os materiais fotossensíveis (filmes e papéis fotográficos) permitem registrar essa imagem.

Veja aqui como fazer uma Pinhole.

A fotografia para mim sempre foi uma experiência única e mágica. A primeira vez que entrei em um laboratório preto e branco fiquei extasiada com o ambiente de penumbra vermelha.  Foi magia pura ver um papel branco mergulhar em um líquido e aos poucos ir surgindo uma imagem. Com a tecnologia digital, grande parte dessa magia se perdeu. Mas a experiência de tirar foto com uma caixa ou lata permanece.

Pinhole é isso magia e surpresa.

As imagens de uma pinhole tem o foco suave pela falta da objetiva.  Isso confere uma atmosfera onírica e cria  a interessante possibilidade de subverter a busca pela imagem perfeita e pela representação objetiva da fotografia.

E para não deixar essa técnica desaparecer existe o Dia mundial da fotografia Pinhole. É um evento internacional criado com o objetivo de promover e celebrar esta arte. O Dia Internacional da Fotografia Pinhole acontece anualmente no último domingo do mês de abril.  Em 2014 é no dia 27 de abril.

Para ajudar a promover e preservar essa técnica de fotografia artesanal compartilho com vocês algumas imagens produzidas por alunos do Projeto Novo Olhar, organizado por mim e pela fotografa Vânia Jucá.


Voltar


Comente sobre essa publicação...