Semana On

Quinta-Feira 14.dez.2017

Ano V - Nº 283

Governo dengue

Auau Miau

Cinco benefícios de ter um cachorro

Eles dão trabalho e despesas, mas também muita alegria

Postado em 31 de Maio de 2017   - Redação Semana On

Enquanto alguns querem distância de cachorros porque eles dão trabalho e custam dinheiro, outros veem a companhia canina como uma necessidade. Veja alguns benefícios dessa convivência:

Cães deixam crianças menos estressadas

Estudo publicado na Social Development confirma os benefícios de crianças conviverem com cães de estimação. “Uma das formas com que isso pode acontecer é que os cães ajudam as crianças a lidar com estresse. A forma como aprendemos a lidar com isso quando crianças tem consequências para a vida toda”, diz a pesquisadora principal, Darlene Kertes, do departamento de psicologia da Universidade da Flórida.

No estudo, Kertes e sua equipe da Universidade de Flórida e da Universidade Estadual do Arizona (EUA) testaram se cachorros de estimação acalmam as crianças. Os participantes eram 101 crianças entre 7 e 12 anos de idade, além de seu responsável e seus cachorros.

Para deixar as crianças estressadas, elas tinham que completar uma tarefa que envolvia falar em público e também resolver exercícios de matemática. Essas duas ações são as que mais causam estresse em crianças.

Os participantes foram divididos em vários grupos, passando pela situação sozinhas, com seus cães ou com seus responsáveis. Amostras de saliva foram coletadas antes e depois da atividade para medir os níveis de cortisol das crianças, o hormônio do estresse.

“Nossa pesquisa mostra que ter um cão presente quando a criança está passando por uma situação estressante diminui bastante a sensação de estresse”, diz Kertes. A presença do cão foi até mais impactante que a do cuidador.

“A metade da infância é a fase em que as figuras de apoio das crianças começam a se expandir além dos pais, mas suas capacidades emocionais e biológicas para lidar com o estresse ainda não estão amadurecidas”, aponta ela.

Cães nos deixam ativos

Pesquisadores da Universidade Estadual de Michigan (EUA) concluíram em pesquisa publicada em 2011 que 60% dos donos de cães os levam para caminhadas regulares e seguiam a quantidade de exercício físico recomendada (30 minutos, 5 vezes por semana).

Os idosos que tinham cães tinham uma rotina de exercícios mais regular de acordo com outra pesquisa de 2010 publicada na revista Journal of Pychosocial Nursing and Mental Health Services.

Cães nos deixam mais felizes e com senso de propósito

Uma simples troca de olhares com o cão de estimação é capaz de liberar ocitocina, substância que traz bem-estar e que tem como uma das funções desenvolver o apego e empatia.

Um estudo realizado pela Universidade Azabu (Japão) em 2009 mostrou que donos de cães que faziam contato com seus cães tinham níveis mais altos de ocitocina do que pessoas que evitavam olhar para seus cachorros.

Cães podem salvar vidas

Além dos cães treinados para acompanhar pessoas com autismo ou que sofrem de crises de ansiedade, alguns cachorros até são capazes de indicar que uma pessoa está com câncer, através do olfato.

Um dos casos mais impressionantes é o de Daisy, uma labradora treinada para identificar câncer através do cheiro da pele ou da urina que já farejou 6 mil amostras de urina e detectou mais de 500 casos de câncer com taxa de acerto de 93%.

Daisy inclusive alertou sua treinadora e pesquisadora, Claire Guest, da existência de um tumor de mama em 2009. Um dia, quando saíram para passear, a labradora se recusou a descer do carro e ficou dando fortes patadas em sua dona, que sentiu um pequeno calombo na região e procurou um médico.

Daisy e outros cães são treinados com amostras de urina. Quando conseguem apontar amostras de pacientes de câncer, recebem uma recompensa. As primeiras pesquisas sobre o assunto foram publicadas em 2004, na revista British Medical Journal.

Crescer com animais de estimação diminui as alergias

Crianças que crescem com cachorros e gatos têm menos chances de desenvolver alergia a eles depois, mas apenas se o animal viver com ela quando ela ainda tiver menos de um ano de vida, diz estudo publicado na revista Journal Clinical & Experimental Allergy.

No estudo, 566 crianças e seus pais foram observados em relação às suas alergias e o contato com animais. Depois de 18 anos, os adolescentes foram novamente examinados, e o resultado foi que crianças que cresceram em casas com gatos tinham 48% menos chance de serem alérgicas aos bichanos quando adolescentes. Já os meninos que cresceram com cães tiveram 50% menos chances de desenvolverem alergias a eles, mas o mesmo resultado não foi observado nas meninas. Este fato intrigou os pesquisadores e exige maiores pesquisas.

Por isso, o pesquisador David Nash, do Hospital Infantil de Pittsburgh (EUA) orienta que pais não se livrem de bichos de estimação apenas por que há um novo integrante da família chegando.

Os pesquisadores acreditam que o contato com os animais fortaleça o sistema imunológico e acostume o corpo aos alérgenos.


Voltar


Comente sobre essa publicação...