Semana On

Sexta-Feira 06.dez.2019

Ano VIII - Nº 374

Coluna

PF coloca tornozeleira em André Puccinelli

4ª fase da operação Lama Asfáltica agita o MS

Postado em 12 de Maio de 2017 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O ex-governador André Puccinelli (PMDB) foi um dos alvos da quarta fase da operação Lama Asfáltica deflagrada hoje em Campo Grande e em outras cidades de MS e do PR e SP. O ex-governador de Mato Grosso do Sul foi levado à Superintendência da Polícia Federal e depois encaminhado para colocação de tornozeleira eletrônica e está proibido de deixar a cidade por ordem da Justiça Federal, que estipulou fiança de R$ 1 milhão para o ex-governador. "Não estou entendendo essa história da fiança de um R$ 1 milhão se ele não está preso", disse à imprensa o advogado Renê Siufi, afirmando que seu cliente teve os bens bloqueados e não tem como pagar o valor. O advogado André Puccinelli Júnior, filho do ex-governador, de quem a empresa de saneamento Águas Guariroba teria comprado livros jurídicos sem necessidade, também foi ouvido e liberado. Três pessoas são alvo de mandados de prisões preventivas: o ex-secretário adjunto de Fazenda de MS, André Cance Júnior; o dono da Gráfica Alvorada, Mirched Jafar Júnior; e o ex-assessor de André, Mauro Cavalli. A operação investiga desde 2015 desvios de dinheiros públicos em obras em avenidas da Capital e rodovias, no Aquário do Pantanal e compras nas gestões do peemedebista como governador.

Zeca do PT compara André à Lula e diz que adversário pode ficar mais forte para 2018

O deputado federal Zeca do PT comparou seu principal adversário político André Puccinelli (PMDB) ao seu principal aliado, o ex-presidente Lula, como alvos de investigações da Polícia Federal que, na opinião do ex-governador petista poderão ficar ainda mais fortes políticamente para as eleições estaduais e federais de 2018 caso não haja provas consistentes contra eles. Ao comentar a nova fase da Operação Lama Asfáltica deflagrada hoje pela Polícia Federal que colocou tornozeleira eletrônica e proibiu o ex-governador de deixar Campo Grande, Zeca disse ao Blog que lamenta a situação. "Penso que devemos ser coerentes. Essa situação é muito ruim para a imagem do Estado". Frisando que faz "luta política, não pessoal", Zeca disse que não comemora a ação contra o adversário. Zeca do PT comparou a situação de André à de Lula, alvo de denúncias na imprensa originadas na operação Lava Jato, no momento em que ambos são fortes nomes para as eleições de 2018, um para voltar a disputar o governo estadual e o outro para voltar a concorrer à Presidência da República. "O ônus da prova cabe a quem acusa. A expectativa agora deve ser da apresentação das provas sobre toda a investigação, sob pena de parecer com o que aconteceu na Lava Jato: um monte de indícios e de hipóteses sem nenhuma prova concreta", disse o ex-governador. Para Zeca, se essas provas não existirem, André pode ficar ainda mais forte politicamente, e comparou: "Veja o caso do Lula: é alvo de quatro ou cinco investigações, mas, sem provas suficientes das acusações, ele fica cada vez mais forte".

MS sobe de 2,5 para nota 10 na Escala Brasil Transparente da CGU

O governo de Mato Grosso do Sul foi o que mais subiu na "Escala Brasil Transparente" que avalia os portais de transparência dos estados brasileiros e as respostas aos questionamentos dos cidadãos (SIC/e-SIC). Na ultima avaliação, a nota do governo Azambuja era 2,5 e depois de subir 7,5 pontos agora chega a 10 ficando entre os líderes. Os municípios que lideram o ranking em MS são Ladário e Nova Andradina, com nota 10, seguidos de Corumbá em segundo com 9,72. Veja aqui no site da CGU.

Marun quer afastar presidente da Comissão de Ética da Presidência

Carlos Marun (PMDB) entrará com pedido de afastamento do presidente da Comissão de Ética da Presidência da República, Mauro Menezes. Para o deputado de MS, Menezes, indicado para o cargo pela ex-presidente Dilma, está tendo uma atuação muito mais rígida no governo de Michel Temer do que tinha na gestão petista, tomando decisões que têm constrangido ministros e o próprio presidente. Depois da divulgação das delações da Odebrecht, o presidente da Comissão de Ética criticou decisão de Temer de só demitir ministros que virarem réus na Lava Jato, e decidiu abrir investigações contra os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Moreira Franco (Secretaria de Governo) e Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia). O descontentamento dos ministros chegou aos ouvidos de Marun que confirmou aqui ao Blog que vai pedir o afastamento. Consultado pela GloboNews, Menezes afirmou que só vai se pronunciar depois de ter acesso ao conteúdo da representação.

MS deve ganhar uma das maiores usinas de energia solar do mundo, diz deputado

Cassilândia, em Mato Grosso do Sul, deverá sediar uma das maiores usinas fotovoltaicas do mundo, anunciou hoje o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT-MS) depois de reunião da comissão de Minas e Energia da Câmara com participação do ministro Fernando Coelho Filho (Minas e Energia) em que cobrou celeridade no processo de abertura do 2º Leilão de Energia de Reserva (LER), cujo cancelamento represou os investimentos. "O ministro garantiu que esse leilão vai ocorrer no segundo semestre de 2017 e possibilitará a construção da usina, trazendo investimento ao estado e gerando centenas de empregos", disse o deputado. Com grande potencial para geração de energia solar, MS já conta com aproximadamente 20 empresas instaladas. A expansão do setor depende do leilão para negociar Contratos de Energia de Reserva (CER) com empreendimentos de geração de energia elétrica a partir das fontes eólica e solar fotovoltaica, que era previsto para o fim do ano anterior, mas foi cancelado pelo ministério

Marun e o 'cheese previdência'

Para evitar que a fome levasse deputados a se ausentar fazendo demorar ainda mais a tensa sessão que durou quase dez horas concluiu a análise do texto da reforma da Previdência (PEC 287/16) ontem, o presidente da comissão da Câmara, Carlos Marun (PMDB-MS), resolveu ser, sem trocadilhos, previdente: ofereceu lanches aos parlamentares no horário de almoço. Até integrantes da oposição apreciaram o "cheese previdência". Agora, apesar das resistências, Marun aposta na aprovação da reforma ainda neste mês no plenário da Casa, onde a PEC precisa de pelo menos 308 votos (três quintos dos 513 deputados) em dois turnos de votação, para depois seguir à análise do Senado.


Voltar


Comente sobre essa publicação...