Semana On

Sexta-Feira 03.jul.2020

Ano VIII - Nº 400

Campo Grande

Repasse do Estado amplia número de equipes tapa-buraco em Campo Grande

Intenção pé ampliar para 30 as frentes de trabalho

Postado em 31 de Março de 2017 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Reforçar o número de frentes de trabalho é a principal meta da primeira parcela repassada pelo governo do Estado para a prefeitura de Campo Grande por meio do convênio firmado para tapar os buracos da Capital. O anúncio foi realizado na terça-feira (28), pelo secretário de Estado de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, e pelo secretário Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Rudi Fiorese, durante uma visita técnica às ruas e avenidas de Campo Grande.

“A parceria prevê um investimento total de R$ 50 milhões, mas neste primeiro momento estamos trabalhando com os R$ 20 milhões que irão para a operação tapa-buraco. O Estado repassa R$ 10 milhões com contrapartida de R$ 10 milhões da prefeitura”, explicou Miglioli.

De acordo com Fiorese, a intenção é ampliar a quantidade de frentes de trabalho para 30. “Quando assumimos estávamos com duas frentes, agora temos 20 equipes e nossa meta é chegar a 30 com esse primeiro repasse do Governo”, disse. O repasse de R$ 10 milhões foi dividido em quatro parcelas e deverá ser disponibilizado conforme o cronograma do município.

Durante a visita à rua Maracaju, no Centro; à avenida José Nogueira Vieira, no bairro Tiradentes e à avenida Marinha, no bairro Coophavila 2, os secretários conferiram o andamento dos trabalhos  e conversaram com a população do entorno.

Para Miglioli o serviço está sendo bem executado. “É indiscutível que Campo Grande precisa de um grande trabalho de recapeamento, temos um grande número de pavimentos com a vida útil vencida e que não receberam recape por falta de recursos e por outros fatores. No entanto, não temos recursos pois seriam necessários R$ 2,5 bilhões para isso, então o que pode e deve ser feito no momento é o tapa buraco”, disse.

Segundo Fiorese a prioridade neste momento são as vias de fluxo intenso, principalmente as de transporte coletivo. “Porque precisamos colocar Campo Grande em situação de normalidade, nossa meta é tapar 2 mil buracos por dia e vamos fazer isso com esses R$ 20 milhões”, pontuou.

A parceria entre governo e prefeitura denominada ‘Juntos por Campo Grande’ foi anunciada em janeiro deste ano e prevê investimentos de R$ 50 milhões, dos quais R$ 20 milhões serão usados para a operação tapa-buraco e outros R$ 30 milhões serão destinados em um segundo convênio para recapear algumas vias da Capital. “Estamos realmente empenhados em resolver essa questão das vias de Campo Grande. Nós trabalhamos pelos 79 municípios de Mato Grosso do Sul e é uma prerrogativa do Governo atender as necessidades das pessoas”, finalizou Miglioli.


Voltar


Comente sobre essa publicação...