Semana On

Sexta-Feira 22.nov.2019

Ano VIII - Nº 372

Mato Grosso do Sul

Governador diz que reforma administrativa amplia a capacidade de desenvolvimento de MS

Azambuja avalia que enxugamento da máquina administrativa garante economia nos gastos de custeio e amplia a capacidade do governo de investir em obras e ações que asseguram o desenvolvimento

Postado em 09 de Março de 2017 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O governador Reinaldo Azambuja disse nesta semana, durante a abertura da Dinâmica Agropecuária (Dinapec), que a reforma administrativa, aprovada na Assembleia Legislativa, vai melhorar o desempenho do governo.

A diminuição da estrutura administrativa garante economia nas despesas de custeio e gastos com pessoal e dá mais eficiência às ações do governo, segundo Reinaldo Azambuja, lembrando que o Estado precisa de investimentos em obras que impulsionam o desenvolvimento. Para o governador, embora MS seja um dos poucos estados que mantêm os salários em dia, é preciso adotar medidas que ampliem a capacidade de investimento.

O governador frisou que mesmo MS sendo um dos poucos Estados que está em dia com os salários dos servidores, as mudanças estruturais da máquina estadual são necessárias para avançar também nos investimentos que garantem o desenvolvimento econômico.

“A reforma é necessária porque prevê o enxugamento da máquina estadual e isso, com certeza, vai ajudar no avanço do desenvolvimento de Mato Grosso do Sul. O importante é que estamos avançando numa pauta que garante que MS permaneça nesta situação mais tranquila”, ponderou.

Segundo o governador, o objetivo é buscar o equilíbrio financeiro para gastar menos com o Governo e mais com as pessoas. “Mato Grosso do Sul é um dos poucos estados que estão pagando seus servidores em dia, mas não queremos apenas pagar a folha do funcionalismo, que é nossa obrigação, o que buscamos é aprovar esse projeto que também vai permitir avanços nas ações que promovam o desenvolvimento econômico”, completou.

Sobre o rito que o projeto tramita dentro da Assembleia Legislativa, Reinaldo Azambuja considerou que o prazo está dentro da normalidade. O Estado encaminhou a matéria para o Legislativo na semana que antecedeu o Carnaval e que deve ser aprovada em primeira votação nesta semana. “O ritmo da aprovação do projeto é da Assembleia, não interferimos nisso e não esperávamos que o projeto fosse aprovado em toque de caixa”, finalizou.

Reforma

Entre as principais mudanças da reforma está a redução de três secretarias, passando de 13 para 10. No início da gestão, em janeiro de 2015, duas pastas já tinham sido extintas, passando de 15 para 13 secretarias, considerando os dois enxugamentos, em dois anos de mandado, o Governo diminuiu em um terço o tamanho da máquina do Estado.

A reforma administrativa é uma das ações que o Governo do Estado tomou como forma de buscar o equilíbrio fiscal. O principal objetivo é gastar menos com o Governo e mais com as pessoas.

Outra medida é a Proposta de Emenda Constitucional do Limite de Gastos, restringindo o orçamento do Estado a sua arrecadação.


Voltar


Comente sobre essa publicação...