Semana On

Sexta-Feira 20.set.2019

Ano VIII - Nº 364

Coluna

Campo Grande em crise

O ano que não acaba foi o pior em décadas para a cidade morena.

Postado em 16 de Dezembro de 2016 - Liziane Berrocal

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O caso Omep e Seleta é grave. A Capital viu os serviços de atendimentos sociais e educacionais praticamente pararem devido à falta de funcionários, já que a Justiça determinou que todos fossem demitidos. Claro, o prefeito se fez de "bonzinho" e cumpridor dos deveres e mandou todo mundo embora às vésperas do natal.

Acontece que, o problema está no ar desde 2011, e foi "empurrado com a barriga" desde então. Por Nelsinho, por Bernal, por Olarte e depois por Bernal de novo. Mas, vítima nessa história toda, só a população e os trabalhadores. E ainda há uma tchurma que conclama os pobres trabalhadores (pobre não no sentido monetário) a dormirem em frente ao fórum, a acamparem na frente da casa do Juiz David de Oliveira que deu a decisão? Isso sim é feio, muito feio! Aliás, juiz cumpre a lei e isso era assunto para ter sido resolvido há tempos!

E incluo nesse meio também os presidentes de sindicatos, que acabam usando esses trabalhadores para fazer o que querem. A irresponsabilidade é tamanha, que esse povo leva a vida no ditado que diz "farinha pouca, meu pirão primeiro".

Má fé

Não se discute com quem age de má fé, mas quando a verdade prevalece é uma delícia. Os comissionados de Bernal, ou viúvas como queiram, continuam com as falácias por aí, e acabam por cair em contradições. Um dos casos foi o suposto aumento dos vereadores, quando na verdade a votação era para revogar a lei de 2014 que aumentava o salário. Apesar disso, os que agem de má fé continuaram uma campanha na internet. Quebraram a cara...

Porque verdade seja dita, quando é necessário descer a lenha, descemos, porque não falar a verdade mesmo que ela seja benéfica a quem não gostamos? O problema do ser humano geralmente é ele mesmo. Fazendo um balanço do ano, se formos ver, o Brasil ficou em uma guerra política tão insana, que quem perdeu foi só o povo.

Aliás, o jogo de empurra feito por quem está lá em cima, na beira da piscina, olhando simples mortais, é para fazer isso mesmo. As pessoas se digladiarem entre si e eles ficarem de boas. E não falo isso de políticos só não. Grandes empresários, pessoas com poder aquisitivo elevado, pessoas que apesar de não serem mandatários usufruem da política e no fundo, não estão nem aí com o povo em si.

Capital dos protestos

Campo Grande está sob protestos. São professores, agentes culturais, artistas, funcionários da OMEP e Seleta, caçambeiros, catadores do lixão. Marquinhos Trad vai ter que ter paciência com o que vai encontrar e o povo vai ter que ter paciência com Marquinhos para pelo menos começar a "arrumar a casa". Aliás, e que arrumação. Há muito não se via a cidade tão cheia de buracos, tão "feia" e cinza como estamos vendo agora. Nem as luzes de natal que costumam dar um colorido a Campo Grande nessa época foram colocadas. Afinal, o cara está saindo, não foi reeleito, vai querer agradar quem?

Diferença

Marquinhos Trad (PSD) tem mostrado a que veio. Diferente do corre-corre de 2013, quando Bernal demorou um século para mostrar seu misterioso secretariado – já que ninguém queria trabalhar com ele (e hoje a gente entende porquê), Marquinhos foi diferente: fez coletiva para apresentar os secretários, com currículos dos escolhidos. Os nomes não agradaram a todos, porém mostrou que não será a bagunça de antes.

Dois nomes me "agradaram" bastante. Valério Azambuja na segurança e Eneas Carneiro na Agência Municipal de Habitação (EMHA). Não por serem amigos (já que não o são), mas por ter acompanhado o trabalho deles lá atrás, quando eram secretários na gestão de Olarte. Valério, aliás, é técnico experiente no assunto.

Aham Claudia, senta lá!

Tem parlamentar que está chegando de forma completamente difusa, jogando para a plateia, porém, como na prática a teoria é outra, o assunto promete dar pano pra manga na Câmara Municipal. Chegar desmerecendo os servidores... vixi, muita treta, vixi...

Enquanto isso

Enquanto a crise no municipal é de lascar, o governo nada de braçada, no quieto e bem de boas. Aliás, até a suposta CPI dos Fantasmas foi desfeita na Assembleia sem muito alarde...


Voltar


Comente sobre essa publicação...