Semana On

Domingo 29.nov.2020

Ano IX - Nº 421

Coluna

Ano novo

A esperança do povo.

Postado em 09 de Dezembro de 2016 - Josceli Pereira

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Com a proximidade do Natal e Ano Novo, todos nós, na ânsia de descarregar o fardo de preocupações que veio ganhando volume desde que iniciamos 2016, faremos também a última descarga. Por hábito costumeiro e, até como desculpa para aliviar as preocupações, usamos esta válvula de escape para recomeçar um ano novo com outros propósitos, com promessas de ser mais efetivo nas suas realizações e também como forma de fragmentar a vida neste ciclo de tempo chamado ano.

O ano de 2016 foi marcante na vida de todos os brasileiros. Foi ano de eleições, de impeachment da presidente Dilma, embate do judiciário com o legislativo, medidas saneadoras que irão interferir na vida de todos os brasileiros, crise econômica, sucateamento dos serviços públicos, falência de vários estados da Federação e até mesmo a comoção geral com a queda de um avião com um time de futebol brasileiro, comissão técnica e profissionais da imprensa.

Com certeza cada um poderá fazer uma escala de vários acontecimentos que interferiram na sua vida particular. Muitos também terão a relação das coisas boas, mas como a notícia que mais gera ibope é a trágica, estes casos de alegria serão relevados ao segundo plano, ficando somente no pensamento dos seus atores.

Na expectativa de um novo ano esperamos que a paz venha em forma de tranquilidade pra se viver. Que as pessoas possam amadurecer na conscientização de que o fortalecimento do coletivo deve prevalecer sobre as conquistas individuais. Que a ética tão amplamente divulgada e discutida possa de fato ser colocada em prática. Que as pessoas possam olhar um pouco mais para o lado e enxergar que não caminhamos sozinhos. Que as pessoas possam, de fato, praticar aquilo que em suas orações ao Pai Celestial sejam efetivos. Que perdoar significa esquecer de fato. Que não existe perdão apenas em oração. É preciso ação, é preciso se reconciliar. Que nossos atos sirvam de exemplos. Que colhemos apenas aquilo que plantamos, pois nossos corações são depósitos onde armazenamos as nossas sementes, sejam elas boas ou ruins.

Para mim em especial, o ano trouxe muitos entraves e confesso que tudo isto que aconteceu nas particularidades me fizeram refletir sobre o verdadeiro sentido de muitos conceitos: afeto, amizade, comprometimento e cidadania. A vida é uma eterna junção de fatos e atos e a todo o momento são necessários ajustes. Somos ingênuos em achar que é o tempo que se ajusta a nós. Este elemento fatídico chamado tempo é continuo e algoz daqueles que não dão a ele a sua real importância.

Não administramos o tempo, ele não permite que alterem o seu ciclo. São as nossas ações e atitudes que precisam ser adaptadas a ele. Somente assim teremos a efetividade dos nossos propósitos.

Em 2017 EU serei diferente!

Feliz Natal e um excelente Ano Novo para todos!


Voltar


Comente sobre essa publicação...