Semana On

Segunda-Feira 08.mar.2021

Ano IX - Nº 433

Coluna

Subúrbio

O olhar do fotógrafo Bruno Veiga revela a intimidade e a cultura do subúrbio carioca.

Postado em 24 de Junho de 2016 - Elis Regina Nogueira

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

É impossível passear o olhar pelas imagens de Bruno Veiga e não se identificar, não se emocionar. Mesmo sendo cenas captadas nas casas suburbanas de cidadãos cariocas da gema, há nas imagens algo familiar, algo que nos toca, porque em algum momento já vimos, ou já vivemos em casas assim.

Como bem diz Leonel Kaz, curador e editor “Cada um traz um subúrbio dentro de si”. Sim, a maioria das casas brasileiras traz esse acolhimento que vemos nos detalhes, nas cores, nos móveis, nos objetos. Algumas imagens nos acenam uma certa nostalgia delicada e amorosa. Nos lembra pessoas, avós, amigos.  É na contemplação silenciosa dessas imagens fragmentos que nos embalamos em uma viagem  de sentimentos e de memória.

Bruno Veiga começou sua carreira no fotojornalismo e trabalhou em importantes jornais como Jornal do Brasil e O Globo.  Instigado por Rogério Reis sempre teve em paralelo a produção de ensaios autorais e hoje  está entre os mais importantes fotógrafos que vendem seus trabalhos no mercado de arte.  Tem três  livros publicados, sendo o último Subúrbio com 80 imagens sensíveis e  com a  alma da periferia carioca.

Uma parte interessante desse trabalho está em exposição no Marco, com curadoria de Carlos Beltrão. O design e iluminação é de Ale Teixeira.

Subúrbio fica até o dia 21 de agosto no MARCO – Museu de Arte Contemporânea, na Rua Antonio Maria Coelho, 6000. A  entrada é gratuita.

Confira as fotos de Vânia Jucá.


Voltar


Comente sobre essa publicação...