Semana On

Sexta-Feira 05.mar.2021

Ano IX - Nº 433

Coluna

Minha contribuição para a Polícia Militar Paulista

Nossa polícia está matando cachorro a tiro.

Postado em 17 de Junho de 2016 - Rodrigo Amém

De acordo com moradores, Bob foi assassinado pela PM por latir. De acordo com moradores, Bob foi assassinado pela PM por latir.

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Todo cidadão de bem tem o dever cívico de colaborar com as autoridades. Ajudar na manutenção da ordem pública, nas investigações criminais, na preservação do meio ambiente. E poucas instituições precisam de mais ajuda que a Polícia Militar, sempre mal equipada, mal treinada, mal paga e mal compreendida.

Todo mundo deveria colaborar com a Polícia. Colocar seu talento à disposição dos nossos heróis fardados. Eu decidi dar a minha contribuição a uma das áreas mais sobrecarregadas da Polícia Militar: o departamento de Relações Públicas da corporação.

Sábado passado, uma viatura da PM paulistana patrulhava a comunidade de Heliópolis. Bob, um cachorro de rua que era meio um mascote da comunidade, brincava com as crianças. Ao ver o carro da polícia passar, correu atrás. Um dos policiais, incomodado com o barulho do cão, desceu do carro, puxou a arma e atirou na cabeça de Bob.

A comunidade reagiu com revolta e indignação e o assunto ganhou as redes sociais. Como imagino que a assessoria de imprensa da organização anda ocupada contextualizando outras execuções atribuídas ao seu efetivo, ofereço algumas possíveis versões sobre o ocorrido. A PM pode utilizar a que achar mais conveniente, sem custo. Só queremos ajudar.

Heliópolis. Bob, um cachorro de rua que era meio um mascote da comunidade, brincava com as crianças. Ao ver o carro da polícia passar, correu atrás. Um dos policiais, incomodado com o barulho do cão, desceu do carro, puxou a arma e atirou na cabeça de Bob.

Nota da Assessoria 1 - Viatura reage a ataque de cão de guarda de traficante.

Um bravo policial com reflexos de ninja e nervos de aço para defender-se do ataque de um feroz cão de guarda treinado pelo PCC para farejar e agredir policiais. O policial passa bem.

Nota de Assessoria 2 - "Cão-goeta" - Bandidos treinam cães como alarme anti-polícia.

A ousadia dos bandidos parece não ter limites. Em Heliópolis, os chefes do tráfico agora recrutam adestradores de cães. Os animais são treinados para latir ao sentirem cheiro de coturno. Uma viatura avistou um desses cães durante uma patrulha e os PMs logo trataram de desativar o alarme.

Nota da Assessoria 3 - PM troca tiros com bandido pulguento em SP.

O que começou como uma fiscalização de rotina terminou em violência e morte. Uma viatura policial em patrulha na favela de Heliópolis foi surpreendida por Bob, um famoso meliante conhecido por aliciar as crianças da região. O indivíduo desacatou os policiais e recusou-se a cooperar com as investigações. A tensão escalou quando o bandido levantou a perna na orelha, exibindo o que parecia ser uma faca retrátil vermelha, de fabricação caseira. Buscando garantir a segurança dos moradores, os policiais dispararam um tiro de alerta no crânio do meliante.

Com a sensação de dever cumprindo, ficam aqui meus votos de que a sociedade e o poder público compartilhem um objetivo comum: uma força policial que não seja igual ou pior aquilo que eles deveriam combater.

Agora, com licença: a PM de Tocantins está precisando de uma consultoria no seu canal no Youtube.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Publicidade