Semana On

Sábado 27.fev.2021

Ano IX - Nº 432

Coluna

O começo da vida

Qual é a sensação de ser humano?

Postado em 06 de Maio de 2016 - Danilo Custódio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A estreia tupiniquim da semana fica por conta dum belíssimo filme sobre a vida, mais especificamente sobre o começo da vida. Trata-se da mais recente produção da Maria Farinha Filmes, onde trabalha um povo que acredita que uma história bem contada pode realmente fazer a diferença na forma como as pessoas veem o mundo. E é justamente disso que se trata.

O começo da vida promete histórias bem contadas através do olhar sensível de Estela Renner. Um olhar para as descobertas do mundo, partindo da nossa chegada nele. Um olhar repleto de sentidos e sensações. E o mais legal é que o filme conseguiu uma boa ocupação a nível nacional, estreando em vinte cidades brasileiras, incluindo Campo Grande, Santos, Juiz de Fora, Aracaju, além das principais capitais brasileiras. Bora se programar pra ver?

 

Propriedade Intelectual na Indústria Audiovisual

“Ninguém assiste celular, ninguém lê tablet, ninguém ouve MP3. Pessoas assistem filmes, lêem romances e ouvem música” afirma o Doutor em direito pela UERJ Cláudio Lins de Vasconcelos, no primeiro dos cinco artigos jurídicos encomendados pelo portal Jota, em comemoração ao Dia Mundial da Propriedade Intelectual (World IP Day). Numa época onde a tecnologia dita as regras da indústria cultural – como aconteceu com o ipod, por exemplo – e considerando as possibilidades da internet, nunca o Direito Autoral esteve tão ameaçado. A quem diga o contrário, mas a pirataria tá ai pra nos fazer enxergar a realidade. E como entende de cinema o Dr Cláudio viu, tá de parabéns. Confira aqui o artigo completo, garanto que é uma ótima leitura.

 

Perfume – A história de um assassino

Convidado: Luciano Maccio

A beleza em todos os sentidos é abordada nesse filme que conta a história de Jean-Baptiste Grenouille (Bem Whishaw), um homem com um talento olfativo tão exacerbado que isso se torna uma obsessão, que se transforma em psicopatia. Por ter esse talento tão latente Jean é ensinado a produzir perfumes para ganhar a vida. E desse ponto em diante começa a ascensão ambiciosa do protagonista, que na tentativa de criar o perfume perfeito, começa a buscar essências em lugares cada vez menos convencionais. Bem Whishaw – o “Q” dos novos filmes do 007 – apresenta um assassino meigo, quase inocente, que encontra justificativa para seus atos na busca pela beleza absoluta.  O longa em si tem uma construção muito bem feita e principalmente bela no quesito fotografia, roteiro, atuação etc.


Voltar


Comente sobre essa publicação...