Semana On

Sexta-Feira 05.mar.2021

Ano IX - Nº 432

Coluna

Em nome da Lei

A ficção da luta contra o crime organizado em Mato Grosso do Sul.

Postado em 22 de Abril de 2016 - Danilo Custódio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Nos anos 90, Mato Grosso do Sul se tornou uma importante rota para os traficantes latino americanos, uma vez que dali se escoava a produção vinda da Bolívia e do Paraguai para os demais estados brasileiros e também para o exterior. Era muita terra e pouca fiscalização. Na ilha quadrada, bairro da periferia de Campo Grande onde cresci, era possível sentir diariamente os tentáculos do crime organizado no comando do tráfico da região.

Essa realidade começou a mudar quando o pernambucano de Exu, Odilon de Oliveira, assumiu a vara criminal em Ponta Porã, fronteira com o Paraguai. Nos anos seguintes, Odilon se tornou o mais respeitado Juiz Federal brasileiro, depois de desmantelar as duas maiores organizações criminais do pais: o PCC e o Comando Vermelho. Caçou e condenou grandes estrelas do narcotráfico latino americano, como o colombiano Juan Carlos Abadia e os brasileiros Cabecinha e Fernandinho Beiramar.

Em nome da lei, dirigido pelo grandioso Sérgio Resende, chega nas telonas tupiniquins nessa semana e é baseado na guerra que a Polícia Federal travou contra o crime organizado brasileiro, sob as ordens de Odilon. O filme promete ser um triller bem acabado e de muita ação. Bora conferir?

 

Cachoeira Doc

Estão abertas as inscrições para a Mostra Competitiva do VII Cachoeira Doc – Festival de Documentários de Cachoeira. Os interessados podem se inscrever gratuitamente até o dia 15 de maio pelo site www.cachoeiradoc.com.br. A 7ª edição do festival acontece entre 6 e 11 de setembro, no Cine-teatro Cachoeirano e no Centro de Artes, Humanidades e Letras da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, na cidade de Cachoeira, localizada a 110 km de Salvador. Partiu?

 

Fórum de Fomento à Cultura

Estão abertas as inscrições para o IX Fórum de Fomento à Cultura – O Produtor Cultural e a Lei Federal de Incentivo à Cultura, que vai acontecer em Curitiba, no Paraná, nos dias 11 e 12 de maio, na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Diversas atividades de interesse do produtor cultural compõem o evento, que acontece em paralelo à 244ª reunião ordinária da Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC), mais uma vez agrupada para analisar projetos culturais de todo o país que se candidataram à autorização para captação de recursos de renúncia fiscal via Lei Rouanet. As inscrições são gratuitas e ficam abertas até 6 de maio, ou até preenchimento total das vagas de cada atividade, por meio de formulário online disponível em http://tinyurl.com/forumcuritiba.

 

Corra Lola, corra (Lola Rennt)

Convidado: Luciano Maccio

Um filme alemão de 1998, dirigido por Tom Tykwer, Lola Rennt tem um ritmo frenético que nos prende do começo ao fim. Com a mesma história repetindo-se várias vezes no decorrer do longa. A premissa é bem simples, Manni (Moritz Bleibtreu) trabalha para uma quadrilha de contrabandistas e acaba cometendo um erro que irá custar-lhe a vida. Sua única opção é pedir ajuda à namorada, Lola (Franka Potente), que é filha de um banqueiro importante. Deste ponto em diante começa a corrida de Lola.

O filme trabalha muito bem na construção do roteiro, pois a mesma história é contada diversas vezes e a cada volta ao ponto de partida, um detalhe da trajetória da personagem muda. Jogar com a linha de tempo é sempre arriscado, pois pode deixar a narrativa cansativa e maçante. Efeito Borboleta nos mostrou isso peremptoriamente. Mas neste caso, o dinamismo não se perde a cada volta do relógio, pois os pontos de mudança são cruciais e nos deixam ansiosos para saber o desfecho da nova versão que nos foi apresentada. Lola Rennt é daqueles filmes que nos energizam e nos fazem querer levantar do sofá. Assista em um sábado de manhã e eu garanto que seu dia vai render.


Voltar


Comente sobre essa publicação...