Semana On

Sábado 27.fev.2021

Ano IX - Nº 432

Coluna

Nem com a faca no pescoço o governo aprende a respeitar os LGBT

Publicação polêmica foi até apagada depois de críticas.

Postado em 15 de Abril de 2016 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Uma publicação de uma fanpage de esquerda patrocinada pelo governo federal publicou na última quinta-feira (14) uma imagem da bandeira LGBT com os dizeres "sou viado, defendo casamento homoafetivo #EuApoioEsseGoverno". É claro que teve polêmica: para uns, pelo termo 'viado'. Para mim, pelo texto da hashtag.

Já cansei de falar aqui, ser chamado de 'viado' e 'bicha' não pode mais ser considerado ofensa (confira esta coluna e entenda porque). Acho a palavra 'viado' ok, ela foi ressignificada. Mas, ser 'viado' e apoiar o governo está separado por um abismo de ser 'viado' e ser contra o golpe. O que irrita no post não é uma palavra que já foi pejorativa, é a hipocrisia.

Eu não apoio o governo, ainda mais no tocante aos diretos LGBT. Só sou contra o golpe e o conservadorismo que vem a reboque (como também deixei claro NESTA coluna). E francamente, acho que isso é fácil demais de entender.

É claro que a publicação foi apagada, republicada com palavras mais suaves (gay, no caso) e a hashtag sumiu. Bem típico do governo que NUNCA apoiou ou deliberou ações pela diversidade. E sempre que o fez minimamente, recuou. O governo Dilma NÃO DEFENDE A DIVERSIDADE.

Claro, não é por isso que passarei a apoiar impeachment, muito embora considere que este governo é um lixo. O que está em jogo é a democracia e por isso defendo a permanência da presidente em seu cargo - por questões jurídicas e principiológicas - e mantendo-me crítico a essa gestão nefasta. Mas, não vai ter bicha sendo massa de manobra de governista, não. Isso não vai ter.

 

Para temperar a noite

Uma das drag queens mais famosas do Brasil, Rita Von Hunty, é atração do próximo dia 16 no Daza Club. Rita, que participou da primeira temporada do webshow Academia de Drags, também é youtuber e estrela do canal Tempero Drag, onde ela ensina receitas veganas com deboche e humor.

Além de Rita, o Daza também vai trazer drag queens locais, como Andromeda Black, Cruella Bloom, Lauanda, Meri Joana, Rafa Spears e Ramonna Blair, todas trabalhadíssimas no lip sync que deverá rolar boa parte da noite (obrigado, Cher!).

Os ingressos vão custar R$ 15 antecipados. Na hora, só Cher sabe (e ela é VIP). Outras informações sobre o evento, clique AQUI.

 

Teve beijo gay no comercial da Samsung sobre os jogos olímpicos

Foi rapidinho, não dura mais que um segundo, mas teve, sim, beijo gay no novo comercial da Samsung para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, que traz atletas olímpicos em treino, torcidas e, claro, pessoas comemorando (veja o vídeo acima, por volta dos 32 segundos de exibição). A cena acontece bem no momento que a narração diz "Os jogos olímpicos, eles não são apenas competições. São momentos em que desafiamos todas as barreiras".

A empresa declarou que conteúdo diverso nas ações de marketing fazem parte de um incentivo aos consumidores "de romper barreiras, atuando lado a lado com eles e reforçando o comprometimento da nossa parceria". A empresa também destacou que o papel da Samsung é contribuir para que todos possam atingir os próprios objetivos, independentemente do desafio que se submetam diariamente". Recado dado.

 

Nos bastidores de Marilyn Monroe

A Harper Bazaar divulgou na última semana imagens que quebram a quarta parede das produções cinematográficas que trazem a estrela Marilyn Monroe, uma das figuras mais míticas de Hollywood e referência de dezenas de artistas, de Andy Warhol a Madonna, para citar os mais óbvios.

Basicamente, a galeria traz imagens raras que humanizam a atriz, clicadas nos bastidores de filmes a exemplo de 'Como conquistar um milionário', 'O pecado mora ao lado' e 'Adorável pecadora'. Não há nada de 'diva' nas fotos, uma delas mostra até a atriz dormindo no set de gravação. Confira a galeria.

 

Reconhecimento

Finalmente e ativista de direitos humanos Cindy Lauper, 62, conquistou sua estrela na Calçada da Fama, em Hollywood. A intérprete da canção True Colors (que dá nome a esta coluna) foi reconhecida para estar num dos pontos turísticos mais visitados de Los Angeles, nos Estados Unidos.

A cerimônia aconteceu no último dia 11, em Los Angeles, e também laureou Jarvey Fierstein, que junto a Lauper produziu Kinky Boots, um dos maiores sucessos recentes da Broadway. Durante o evento, a cantora não escondeu a animação e falou um pouco sobre o processo criativo do musical pelo qual foi reconhecida.

"Eu perguntei para o meu anjo da guarda se eu iria conseguir fazer um show tão grande assim e ele apenas me mostrou uma imagem de mim como Dorothy, junto do espantalho, o homem de lata e o leão e foi assim que eu soube que tudo iria dar certo!", disse. A cerimônia também contou com a apresentação da música 'History of Wrong Guys', do musical, interpretada pela cantora Tiffany Engen.

Nascida em 22 de junho de 1953 em Nova York, a cantora é um dos estandartes dos anos 80 e lançou músicas icônicas, como 'Girls Just Wanna Have Fun'. São mais de dez álbuns ao longo da carreira - o mais recente, 'Detour', que trará clássicos do country reinterpretados, está em vias de lançamento.

Lauper também é criadora da Ture Colors Fund, uma fundação que consolida sua militância por direitos fundamentais à população LGBT.


Voltar


Comente sobre essa publicação...